Advogada espancada pelo ex-namorado, Lúcio Genésio, presta novo depoimento

A advogada, Ludmila Rosa Ribeiro da Silva, foi ouvida na manhã de hoje (13) na Casa da Mulher Brasileira, acompanhada por representantes da OAB, depois de ter sido espancada pelo ex-namorado, Lúcio Genésio, no final de semana.

O suspeito chegou a ser detido, mas foi liberado após pagar fiança. A justiça decretou prisão preventiva do suspeito, decisão esta assinada pelo juiz Clésio Cunha. O delegado de Polícia Civil, Válber Braga, que arbitrou fiança ao agressor, também deve ser investigado pela Corregedoria a pedido da Justiça.

A advogada, Ludmila Ribeiro, e o suspeito, Lúcio Genésio, saíram para jantar na noite de sábado (11). Com ciúmes, Lúcio, iniciou uma discussão e levou a ex-namorada para casa dela, e no caminho agrediu por várias vezes a advogada.

Lúcio Genésio ainda teria tentado atropelar a vítima, mas foi impedido por vizinhos da advogada, que chamaram a polícia.

A OAB EMITIU NOTA SOBRE A AGRESSÃO

A Ordem dos Advogados do Brasil, Seccional Maranhão vem a público repudiar todo tipo de violência praticada contra as mulheres e se solidarizar com a advogada Ludmila Rosa Ribeiro da Silva. Ela foi vítima de violência moral e física praticada pelo seu ex-companheiro, Lúcio André Genésio, no último final de semana.

A Seccional Maranhense, assim como tem feito em episódios envolvendo casos de violência contra a mulher e desrespeito aos direitos e princípios fundamentais dos cidadãos e advogados, tem se posicionado, tomado todas as providências cabíveis e acompanhado às investigações e desdobramentos de todos os casos. Neste de violência contra a advogada Ludmila Rosa Ribeiro da Silva, a OAB/MA será vigilante e colocará à disposição da vítima a Comissão da Mulher e da Advogada para que sejam tomadas todas as providências legais e cabíveis para que o ato violento seja submetido aos preceitos legais.

É imensurável e inaceitável a violência moral e física em que a profissional em advocacia foi submetida. A ação reflete que a sociedade ainda tem muito a caminhar para garantia plena dos direitos das mulheres. A violência contra a mulher está, sim, enraizada na cultura brasileira, que banaliza as agressões e, não raro, atribui a culpa à própria vítima. Uma cultura que o sistema OAB, da qual faz parte a Seccional Maranhense, tem trabalhado para descontruir, e fortalecer o conceito de soridade, ação fortemente presente no feminismo, sendo definido como um aspecto de dimensão ética, política e prática deste movimento de igualdade entre os gêneros. Do ponto de vista do feminismo, a sororidade consiste no não julgamento prévio entre as próprias mulheres que, na maioria das vezes, ajudam a fortalecer estereótipos preconceituosos criados por uma sociedade machista e patriarcal. O sistema OAB se coloca à disposição das instituições de Estado e da Sociedade Civil Organizada, para sermos os mediadores desse grandioso processo de mudanças no país.

Comissão da Mulher e da Advogada da OAB/MA
Comissão de Acompanhamento das Vìtimas de Violência da OAB/MA
Comissão de Direitos Humanos da OAB/MA
Diretoria da Subseção de Pinheiro

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *