Programa especial brasileiro prepara exploração comercial do CLA

O anúncio foi feito nesta sexta-feira (14) no Centro de Lançamento de Alcântara. O Programa Espacial Brasileiro considera o CLA uma mina de ouro, e está sendo preparada para a exploração comercial para os próximos anos. Anúncio que foi feito na presença da imprensa nacional e internacional.

O centro de lançamento de Alcântara tem um diferencial e representa economia para as empresas que tiverem interesse em utilizar a base. Os veículos lançados gastam até 30% menos combustível em comparação a outros centros de lançamento, devido à proximidade com a linha do equador.

O CLA foi implantado em 1983. São 62 mil hectares à disposição da Aeronáutica, quase dez mil hectares já são utilizados. Hoje, o centro dispõe de toda infraestrutura necessária para o lançamento de foguetes e artefatos no espaço. Boa posição geográfica e ótimas condições meteorológicas fazem de Alcântara, segundo os oficiais, o melhor centro de lançamento do mundo.

O que se quer é que esse potencial seja utilizado por empresas privadas, principalmente internacionais.

A exploração comercial do CLA não seria apenas rentável para o país. Garantiria maior segurança, permitiria o desenvolvimento de novas tecnologias e traria avanços significativos na área da comunicação. Para isso acontecer, está em discussão um acordo de salvaguarda com os Estados Unidos. O documento foi firmado em 2001. De lá pra cá, vários pontos foram revistos e um novo acordo foi estabelecido em 2017. 16 anos depois, a expectativa é que ele comece a tramitar no congresso nacional no início do ano que vem.

Depois do acidente de 2013, o CLA foi totalmente reestruturado, com sistemas de segurança mais modernos e eficientes. Hoje, o centro passa por um processo de expansão, que busca novas áreas para lançamentos.

Quando estiver em operação, a expectativa é que o CLA supere facilmente os 140 milhões de reais de arrecadação por ano com taxas de lançamentos, 5 vezes o valor médio anual investido no programa espacial brasileiro nos últimos 10 anos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *