Decisão de permitir que Lula deixe a carceragem veta presença de imprensa e de declarações públicas

O presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), Dias Toffoli, decidiu permitir que o ex-presidente Lula da Silva deixe a carceragem em Curitiba para se reunir com familiares em uma unidade militar. O corpo de irmão de Lula, o Genival Inácio da Silva, Vavá, já foi sepultado.

Toffoli concedeu a Lula o direito de se encontrar exclusivamente com os seus familiares, mas vedou “o uso de celulares e outros meios de comunicação externo, bem como a presença de imprensa e a realização de declarações públicas”, informa a “BBC“.

Genival Inácio da Silva morreu na manhã desta terça-feira (29), aos 79 anos. No pedido apresentado ao STF, a defesa argumentou que a Lei de Execução Penal prevê o “direito humanitário” de o ex-presidente comparecer ao velório.

1 thought on “Decisão de permitir que Lula deixe a carceragem veta presença de imprensa e de declarações públicas

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *