Aumentou o número de milionários no Brasil

Aumentou o número de brasileiros milionários no país. O levantamento aponta crescimento de quase 5% no número de brasileiros de alta renda, que são aqueles com pelo menos R$ 1 milhão em aplicações financeiras e atendidos especificamente pelo canal de private banking. Eles somaram 117.421 clientes em 2017 e fecharam o ano passado com R$ 964 bilhões investidos no país, segundo divulgou nesta terça-feira (21) a Associação Brasileira das Entidades dos Mercados Financeiro e de Capitais (Anbima).

O número representa um acréscimo de 4,8% ou de mais de 5 mil contas na comparação com 2016, quando o Brasil somou 112.036 milionários com R$ 831,6 bilhões em aplicações.

O total de R$ 964 bilhões investidos por esses milionários em 2017 representa 36% de todo o investimento de pessoas físicas no Brasil, que totalizou R$ 2,658 trilhões em dezembro do ano passado, segundo a Anbima, que consolida os investimentos das 73,7 milhões de contas dos segmentos de varejo e de private banking das instituições do país.

Preço do combustível cai pela primeira vez depois de 14 semanas de altas

O preço médio da gasolina para o consumidor final caiu na semana passada, segundo dados divulgados nesta quinta-feira (15) pela Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP). Trata-se da 1ª queda após 14 semanas consecutivas de aumento nos postos.

O valor médio por litro passou de R$ 4,221 para R$ 4,212 na semana encerrada no dia 10. No acumulado de 2018, o preço médio da gasolina nas bombas acumula alta de 2,75%.

O diesel também terminou a semana em queda, passando de R$ 3,395 para R$ 3,388, ainda segundo a ANP. O valor representa recuo de 0,20% na semana. No ano, o diesel acumula alta de 1,86% do valor médio para o consumidor final.

O preço médio do etanol também cedeu na semana, segundo a ANP. O valor médio por litro caiu 0,06%, de R$ 3,023 para R$ 3,021. No ano, o preço do etanol acumula alta de 3,74%.

Também em queda, o preço do gás de cozinha terminou a semana passando de R$ 67,22 para R$ 67,07. Com isso, o valor do botijão terminou em baixa de 0,2%.
Para levantar os dados, são coletados pela ANP os preços em 459 localidades.

São Luís está entre as capitais que sofreram aumento no valor da cesta básica

São Luís está entre as 20 capitais brasileiras que tiveram aumento no custo da cesta básica no mês de janeiro.
A mais alta foi a de Porto Alegre com R$446.69, seguida do Rio de Janeiro com R$ 443.81. A capital maranhense ficou em R$ 355.22.

Cestas básicas estão mais caras em São Luís

O aumento de 6.31 por cento da cesta no mês de janeiro compromete 41 por cento do salário mínimo. O percentual é maior que o registrado no mesmo período do ano passado. Em janeiro de 2017, a cesta comprometeu 40,47 por cento do salário.
Entre dezembro de 2017 e janeiro de 2018 houve elevação no valor médio do tomate com 53,59%, banana com 6,69%, óleo de soja com 1,91% e carne bovina de primeira com 0,38%.

O trabalhador ludovicense que ganha um salário mínimo em janeiro necessitou cumprir uma jornada de trabalho de 81 horas e 55 minutos, maior que o tempo necessário em dezembro do ano passado, de 78 horas e 27 minutos.

Segundo o economista Oiama Cardoso vários fatores contribuem para o aumento da cesta básica. “Os fatores que elevaram foram as chuvas e isso favorece o aumento de preço do tomate, da cebola”, finalizou.

Pesquisa de preços do PROCON/MA encontra variação de até 230% em itens de carnaval

No carnaval, muita gente sai a procura de diversão, não é mesmo? Pensando na folia de Momo que está chegando, a equipe do PROCON/MA preparou uma pesquisa de preços com os principais itens de carnaval em São Luís, Imperatriz, Codó, Colinas, Viana e Itapecuru. Na capital, a maior variação foi no preço do preservativo, que atingiu uma diferença de até 230%.

Entre os dias 31 de janeiro e 05 de fevereiro, foram pesquisados 193 itens em 10 estabelecimentos, entre preservativos, bebidas, fantasias e acessórios. Vale lembrar que os órgãos públicos, como postos de saúde, distribuem preservativos, gratuitamente, e que a venda de bebidas alcoólicas para menores de 18 anos é proibida. Além disso, bebida e volante não combinam e o folião deve sempre optar por não dirigir após consumir bebidas alcoólicas.

O preservativo de maior variação é o pacote 3 por 1, da marca “Prudence”, cor e sabor chocolate, que custa entre R$ 1,45, na Pague Menos (São Francisco), até R$ 4,79, no Supermercado Mateus. O segundo produto com maior variação de preços foi o  Lovetex Menta, também 3 por 1, que atingiu variação de até 221%, custando de R$ 1,99, nas Drogarias Globo (São Francisco), até R$ 6,39 no Supermercado Mateus (Cohama).

Segundo o presidente do PROCON/MA, Duarte Júnior, o consumidor deve ficar atento aos preços de produtos cujo valor aumenta nesta época. “Em temporadas festivas, a demanda de produtos específicos faz com o que os preços subam. Por isso, o consumidor consciente fica sempre atento para comprar o melhor produto, pelo preço mais baixo.

A pesquisa é uma importante ferramenta para que as festas não se tornem um peso a mais no orçamento”, alertou o presidente.

Participaram da pesquisa, os estabelecimentos: Comercial Júnior, Supermercado Maciel, Supermercado Mateus, Extrafarma, Pague Menos (São Francisco), Drogarias Globo (São Francisco), Drogaria Farmadel (Angelim), Cantinho Doce (Rua de Santana), Sabrina Festas e Lojas Americanas (Rua Grande).

Acessórios e outros

A Caninha Ypioca Ouro, de 960ml, ficou com variação de 143%, com preço que custa de R$ 11,90, no Supermercado Mateus, a R$ 28,99, no Supermercado Maciel. A fantasia de palhaço, da fabricante Fantasia Super, com preço que vai de R$ 59,90, no Sabrina Festas (Rua de Santana), a R$118,90, no Cantinho Doce (Rua de Santana), com variação de 98%.

Maranhão na contramão da maré de desemprego no país

Apesar da queda contínua da taxa de desemprego ao longo do ano passado o Brasil encerrou 2017 com 12,3 milhões de trabalhadores em busca de trabalho. A taxa de desocupação no trimestre encerrado em dezembro foi de 11,8%, uma queda na comparação com os três meses imediatamente anteriores, encerrados em setembro, 12,4%. Os dados fazem parte da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios (PNAD) Contínua Mensal, do IBGE, divulgada hoje (31).

Os dados no Maranhão são exatamente o contrário do que vem sendo registrado no país. O número de empregos aumentou, o Maranhão foi o segundo Estado que mais criou empregos com carteira assinada em 2017 no Nordeste. O levantamento foi feito pelo Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged), do Ministério do Trabalho.

Sobre os números mostrados no levantamento, a soma de contratações e desligamentos, no Nordeste foram perdidas 14.424 vagas no ano passado. Já o Maranhão criou 1.221 novos postos formais. Na comparação com o Brasil, o Maranhão também ganhou destaque já que o país fechou 20.832 postos em 2017.

O IBGE apontou que o rendimento médio dos trabalhadores foi estimado em 2.141 mil reais ao fim de 2017, alta de 2,4% em relação a 2016. O crescimento, no entanto, não foi sequer suficiente para compensar a baixa inflação apurada no ano passado, de 2,95%. Na comparação com 2012, foi registrado aumento de 4,4%. Em relação a 2014, o quadro foi de estabilidade.

Faturamento dos shopping do país vai ser maior em 2018

O faturamento dos shopping centers de todo o Brasil deve aumentar entre 5,5 e 6% em 2018, em continuidade ao crescimento de 6,2% que foi registrado em 2017, informou hoje (30) a Associação Brasileira de Shopping Centers (Abrasce). “2018 vai ser um ano de consolidar empreendimentos lançados nos últimos anos… Vai ser positivo, mas longe do crescimento de dois dígitos de 2014 e 2015”, disse a jornalistas o presidente da Abrasce, Glauco Humai.

Em 2017, o faturamento do setor somou R$ 167,75 bilhões, alta de 6,2% sobre 2016. Segundo Humai, o desempenho ficou abaixo do crescimento de 7% projetado pela associação para o ano porque o mês de dezembro foi mais fraco que o esperado.

De acordo com a Abrasce, estão previstas 23 inaugurações de shopping centers em 2018, sendo 17 no interior e 6 em capitais, mas o presidente alerta que número de lançamentos pode ser menor. “Acho que 15 a 16 inaugurações é algo factível”, disse.

Gildean Shopping Calhau foi um dos empreendimentos inaugurados em 2017

No ano passado, foram inaugurados 12 empreendimentos, um deles foi em São Luís, o Golden Shopping que fica no Calhau com 197 lojas satélites, cinema e dois centro médicos. A expectativa inicial da Abrasce era de 30 inaugurações.

Inflação mais baixa dos últimos 20 anos

A inflação oficial do Brasil fechou 2017 em 2,95%, abaixo do piso da meta fixada pelo governo, de 3%, segundo informou o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) nesta quarta-feira (10). É a primeira vez que isso acontece desde que o regime de metas foi implantado no país, em 1999.

O resultado de 2017 foi puxado principalmente pelo aumento de preços de botijão de gás (16%), planos de saúde (13,53%), creche (13,23%), gás encanado (11,04%), taxa de água e esgoto (10,52%), ensino médio particular (10,36%), energia elétrica residencial (10,35%) e gasolina (10,32%).

O que explica a forte desaceleração do IPCA em 2017 é o comportamento dos preços de alimentação e bebidas, que têm o maior peso no cálculo do índice. Com o aumento de 30% da safra, os alimentos ficaram 1,87% mais baratos e impediram que a inflação avançasse ainda mais.

Com isso, os preços dos alimentos consumidos em casa fecharam o ano em baixa de 4,85%, sob forte influência das frutas, cujos preços tiveram redução de 16,52%.

CNC estima em 3,9% o crescimento do comércio varejista em 2017

A Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo (CNC) divulgou hoje (9) uma estimativa onde aponta que o crescimento para o comércio varejista em 2017 deve ser de 3,9%. O percentual foi calculado com base em dados da Pesquisa Mensal de Comércio (PMC) de novembro, produzida pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

A PMC de novembro mostra que o volume de vendas nos 10 segmentos que integram o varejo ampliado avançou 2,5% em relação a outubro. Segundo a CNC, foi o melhor resultado na comparação mensal desde 2003, quando o IBGE passou a divulgar os dados do varejo ampliado. Frente a novembro de 2016, houve alta de 8,7%.

“Os segmentos de artigos de uso pessoal e doméstico (8,0%) e móveis e eletrodomésticos (6,1%) foram os principais destaques de novembro, impactados pelo aumento das vendas decorrentes da Black Friday”, registra nota divulgada pela CNC. A entidade também destacou a recuperação do varejo em 23 das 27 unidades da federação, quando considerado o acumulado dos últimos 12 meses.

“Entre 2014 e 2016, o volume médio de vendas do setor recuou 20%, revelando que, apesar dos recentes resultados positivos, a estrada de recuperação do nível de vendas anterior à crise econômica será longa, não devendo ocorrer antes de 2020”, avaliou Fábio Bentes, chefe da Divisão Econômica da CNC.

Fundada em 1945, a CNC é uma entidade sindical que representa cerca de 5 milhões de empresas. Para 2018, ela projeta um crescimento no comércio varejista de 5,1%, desde que se preserve o atual cenário de inflação abaixo da meta e de juros em queda.

Com informações da Agência Brasil

Receita abre hoje consulta ao último lote de restituições do IR

A Receita Federal abre consulta ao lote residual de restituições do Imposto de Renda de 2017 às 9h desta segunda-feira. Para verificar se a declaração foi liberada o contribuinte pode acessar o site da Receita ou ligar para o Receitafone 146

Serão depositados 310 milhões de reais, no dia 15, referentes a restituições dos anos entre 2008 a 2017. Esta etapa vai beneficiar 165.898 contribuintes.

Deste montante, 86,2 milhões de reais correspondem ao pagamento de restituições prioritárias – para idosos (24.474) ou portadores de deficiência (2.491).

Além do site e do Receitafone, a consulta poderá ser feita no aplicativo para tablets e smartphones da Receita. A restituição ficará disponível no banco durante um ano. Se não houver o resgate nesse prazo, a requisição deve ser feita pela internet

Procon orienta para compra de materiais escolares

Com o início do ano letivo, aumenta a procura por materiais que serão utilizados pelos estudantes, entre eles, o uniforme escolar. Nesta época, aumentam também as dúvidas dos pais em relação aos gastos com modelos que venham a ser oferecidos pelas escolas particulares. Quanto a isto, o Instituto de Promoção e Defesa do Cidadão e Consumidor do Maranhão (Procon/MA) orienta quanto à venda e compra do fardamento escolar nas escolas particulares.

Uma portaria, publicada pelo órgão em 2015, determina que o modelo de uniforme não seja modificado pela escola antes de transcorrer cinco anos de sua adoção, evitando, assim, o comprometimento do orçamento com novos modelos de fardamento, conforme Lei n° 8.907/94. Fica também proibida a exigência de compra deste uniforme exclusivamente no estabelecimento de ensino ou em apenas um fornecedor contratado pela escola.

De acordo com a Portaria nº 52/2015 do Procon/MA, as malharias interessadas em produzir e comercializar os fardamentos precisam realizar um cadastro prévio com as escolas, que deverão disponibilizar ficha técnica com a composição do tecido, tonalidade, modelo e logomarca, para que não haja diferenciações.

Em caso de descumprimento do padrão, a instituição de ensino pode descredenciar a malharia.

A exceção nestes casos é para situações em que as escolas possuam uma marca devidamente registrada (nome e/ou logomarca da escola), podendo, nesses casos, estabelecer que a compra do uniforme escolar seja feita no próprio estabelecimento de ensino ou em outros locais por ela definidos.

Caso o consumidor identifique alguma irregularidade praticada, ele pode denunciar nos canais de atendimento do Procon/MA: pelo aplicativo, site ou indo até uma de nossas unidades físicas.