“Fiz uma campanha da militância”, diz Márcio Jerry em entrevista

O Deputado federal eleito com expressiva votação, o presidente do PCdoB-MA, Márcio Jerry, participou, na noite de quinta-feira (11), do programa Ponto e Vírgula, na rádio Difusora FM. Em conversa comandanda pelo radialista Marcelo Minardi, com participação do jornalista Leandro Miranda e de ouvintes, Márcio falou sobre a importância histórica da vitória da chapa liderada por Flávio Dino, sobre campanha no Maranhão para o presidenciável Fernando Haddad, agradeceu a grande votação e foi categórico: “fiz uma campanha da militância partidária, movimentos sociais e aliados”.

Grato aos mais de 134 mil votos, Márcio Jerry defendeu que o excelente resultado se deu ao engajamento massivo do partido e de aliados. “Tive apoio do nosso partido em todos os cantos do Maranhão, incluindo 23 prefeitos, dos quais 20 são PCdoB.”, contabilizou Jerry, que foi votado em 215 dos 217 municípios do estado.

Márcio coordenou, assim como em 2014, a campanha vitoriosa do governador Flávio Dino. Para ele, a vitória em 2018 tem uma importância histórica e simbólica para o Maranhão ainda maior do que a anterior, com eleição também de Weverton Rocha e Eliziane Gama ao Senado. “Vejam que tivemos, no pleito, disputando o filho e a filha da pessoa que se achava o dono do Maranhão e ambos foram derrotados fragorosamente. O governador Flávio Dino, pelos braços do povo do Maranhão, derrotou a ex-governadora Roseana Sarney, que chegou a 30% dos votos, menos do que o ex-senador suplente, Edinho Lobão, em 2014, e o deputado federal desde 1978, que é o Sarney Filho, teve uma derrota aqui no Maranhão. Portanto é uma mudança de página muito profunda, um novo momento para o Maranhão e isso é muito importante para a história do nosso estado”, considerou o deputado federal eleito.

SEGUNDO TURNO
Durante a entrevista, Márcio adiantou que uma frente, figurada pelo PCdoB ao lado do PT e partidos aliados, está trabalhando no Maranhão com a intenção de eleger Fernando Haddad e Manuela D’Ávila. A campanha é feita não só sob a percepção clara de que são os candidatos mais preparados, mas também combatendo à ameaça de retrocesso, intolerância e negação de direitos que representa o candidato Jair Bolsonaro.

“Já estou em campo, lutando pela eleição de Fernando Haddad e Manuela D’Ávila, por acreditar que seja essa a melhor proposta, que mais pacífica o país, que mais tira da agenda essa clima de intolerância, de ódio, de pregação da violência e que mais conquistas pode trazer para o povo trabalhador”, destacou Jerry, que já convocou reunião plenária da militância do PCdoB para a próxima segunda-feira (15), para debater a eleição nacional.

Justiça atesta credibilidade da TV Difusora na geração da propaganda eleitoral

Os brasileiros mais uma vez foram as urnas no último domingo, dia 7, desenhar novos traçados para a conjuntura política brasileira. No Maranhão não foi diferente. A vontade popular, como deve ser de praxe em uma democracia, prevaleceu. E, é claro, a Propaganda Eleitoral Gratuita cumpriu a importante missão de propiciar aos eleitores um contato mais próximo com as ideias daqueles que se candidataram a representá-los.

Durante o período de 35 dias o Sistema Difusora de Comunicação foi o responsável pela geração de material de propaganda para TV no Estado do Maranhão, conforme sorteio realizado na sede do Tribunal Regional Eleitoral do Maranhão.

Na semana passada o trabalho da emissora foi formalmente questionado pela coligação “MARANHÃO QUER MAIS” que entrou com representação junto ao TRE-MA (11541 – Processo: 0601769-79.2018.6.10.0000). A justiça decidiu que a representação que alegava suposta violação das mídias antes do momento de sua veiculação foi improcedente. O responsável por relatar o processo foi o Juiz Clodomir Sebastião Reis que afirmou em sua decisão que “não encontra lastro de provas”.

A alegação da coligação, considerada frágil pela justiça eleitoral, era sustentada no fato dos temas abordados pela candidata Roseana Sarney serem semelhantes aos abordados pelo candidato Flávio Dino em seus programas eleitorais. O juiz entendeu que é comum que fatos desta natureza aconteçam com diversos candidatos, já que os temas são objeto de programas de diversos concorrentes ao cargo de Governador do Estado. Além disso, o magistrado relatou que qualquer alteração desta natureza demandariam um tempo considerável, visto que os programas são gravados e editados e o tempo mínimo para que haja alteração de programas de mídias já entregues é de 5 horas.

O magistrado afirma ainda que após análise mais detida das propagandas confrontadas não enxergou indício de violação e que ficou impressionado com as informações técnicas apresentadas pela TV DIFUSORA e com os pareceres técnicos firmes e lastreados acolhidos pela justiça.

A representação foi considerada improcedente, o que atesta os bons serviços prestados pela TV DIFUSORA, atualmente dirigida pelo Superintendente Zeca Pinheiro e o Diretor Executivo, Manoel Lopes.

Durante as últimas semanas de propaganda gratuita um jornal do estado publicou matérias ofensivas e que questionavam o papel desempenhado pela TV DIFUSORA nessas eleições. De forma irresponsável desferiram ataques pessoais e injustificáveis à conduta profissional da Direção Executiva da emissora sempre pautada pela ética e a moral. “Essa decisão só atesta o nosso compromisso em contribuir com o processo democrático e a lisura do processo eleitoral. Nossa equipe teve muito trabalho nesses dias mas é recompensador saber que a Justiça Eleitoral reconhece o esforço feito por cada funcionário da nossa emissora”, afirma Manoel Lopes.

Nunca deixamos de confiar na integridade dos nossos profissionais e na justiça eleitoral que por meio de sorteio designou a importante tarefa de gerar a propaganda eleitoral para todo o Maranhão à TV DIFUSORA”, afirmou Zeca Pinheiro, superintendente do Sistema Difusora de Comunicação.

Com informações do Blog de John Cutrim

Flávio Dino é o primeiro comunista reeleito na história do país

O governador do Maranhão Flávio Dino foi reeleito com 1.867.396 votos o que representa 59,29% do total dos votos. A segunda colocada, Roseana Sarney (MDB) teve 947.191 votos, 30,07% dos votos. O número de pessoas que votou na emedebista é bem parecido que o número de eleitores que deixaram de votar, 931.611 (20,54%).

Flávio Dino é um dos sete governadores reeleitos no primeiro turno. Os outros reeleitos são todos da região Nordeste com exceção do governador de Tocantins, são eles: Rui Costa (PT) na Bahia; Camilo Santana (PT) no Ceará; Wellington Dias (PT)  no Piauí; Paulo Câmara (PSB) em Pernambuco; Renan Filho (MDB) em Alagoas; e Mauro Carlesse (PHS).

Todos estes governadores tentaram visitar o ex-presidente Lula em Curitiba, no dia 10 de abril, mas foram barrados pela Justiça. Inclusive, a região Nordeste é a que mais recebe benefícios de projetos sociais, herança de do governo Lula e Dilma.

O PCdoB venceu no Maranhão e garantiu mais um marco na história, pois com a vitória, Dino se torna o primeiro comunista reeleito da história do país.

Todos esses governadores tentaram visitar o ex-presidente em Curitiba em 10 de abril, mas foram barrados pela Justiça.

Confira a lista dos Deputados Estaduais eleitos

DETINHA PR
2,71% 88.103 

DRA. CLEIDE COUTINHO PDT
2,01% 65.435 

DUARTE JUNIOR PCdoB
2,00% 65.130 

ZÉ GENTIL PRB
1,92% 62.350 

OTHELINO NETO PCdoB
1,83% 59.534 

MARCIO HONAISER PDT
1,73% 56.322 

DRA. THAIZA PP
1,60% 51.863 

ADRIANO SARNEY PV
1,56% 50.642

CARLINHOS FLORÊNCIO PCdoB
1,54% 50.108 

NETO EVANGELISTA DEM
1,52% 49.475 

MARCELO TAVARES PSB
1,47% 47.785

PROFESSOR MARCO AURÉLIO PCdoB
1,47% 47.683 

ANDREIA REZENDE DEM
1,45% 47.250

FERNANDO PESSOA SD
1,44% 46.791

EDSON ARAUJO PSB
1,41% 45.707

RAFAEL LEITOA PDT
1,40% 45.462

ANA DO GÁS PCdoB
1,36% 44.320

ADELMO SOARES PCdoB
1,35% 43.966 

GLALBERT CUTRIM PDT
1,32% 42.765

RIGO TELES PV
1,32% 42.734

PAULO NETO DEM
1,29% 41.762

DANIELLA TEMA DEM
1,25% 40.536

VINICIUS LOURO PR
1,23% 39.836

DR. YGLESIO PDT
1,22% 39.799

HELIO SOARES PR
1,18% 38.444

ANTONIO PEREIRA DEM
1,17% 37.930 

CIRO NETO PP
1,13% 36.674 

ARNALDO MELO MDB
1,11% 35.958 

ROBERTO COSTA MDB
1,08% 35.214 

FABIO MACEDO PDT
1,07% 34.869 

RILDO AMARAL SD
1,02% 33.236

RICARDO RIOS PDT
1,02% 33.189

DR. LEONARDO SA PRTB
0,97% 31.682

ZE INACIO PT
0,97% 31.603 

PARÁ FIGUEIREDO PSL
0,97% 31.55

DRª HELENA DUAILIBE SD
0,96% 31.125 

MICAL DAMASCENO PTB
0,94% 30.607

CÉSAR PIRES PV
0,92% 30.036 

PASTOR CAVALCANTE PROS

0,90% 29.291

WELLINGTON DO CURSO PSDB
0,77% 24.949

WENDELL LAGES PMN
0,71% 22.983 

FELIPE DOS PNEUS PRTB
0,67% 21.692

99,84% dos votos apurados

Flávio Dino, Carlos Brandão, Weverton e Eliziane concedem entrevista coletiva

O governador do Maranhão reeleito Flávio Dino (PCdoB) e sua chapa vencedora Carlos Brandão (PRTB), Weverton Rocha (PDT) e Eliziane Gama (PPS) concederam entrevista coletiva à imprensa depois do resultado das urnas divulgado.

Dino foi o primeiro a falar e fez um balanço do trabalho realizado em seu primeiro mandato.

“O povo do Maranhão reconheceu o trabalho do nosso governo” afirmou Flávio Dino.

Carlos Brandão, Weverton e Eliziane também discorreram sobre o bom resultado das urnas

Weverton Rocha é eleito Senador do Maranhão

 

Weverton Rocha (PDT) foi eleito neste domingo (07) o mais novo Senador do Maranhão. Com 85% das urnas apuradas foram 1.720.899 votos.

Weverton Rocha Marques de Sousa, mais conhecido como Weverton é um político brasileiro, filiado ao Partido Democrático Trabalhista (PDT).

Aos 16 anos filou-se ao PDT e ingressou na Juventude Socialista do PDT. Durante o ensino médio, foi eleito presidente do Grêmio Estudantil do Colégio Dinâmico, onde estudava e presidente da UMES (União Maranhense de Estudantes Secundaristas).  Como membro da União Brasileira de Estudantes Secundaristas (UBES), foi o único representante do Norte/Nordeste a participar como delegado da OCLAE (Organização Continental Latino Americana e Caribenha de Estudantes), na cidade de Havana.

Graduou-se em Administração pela Faculdade São Luís e durante os anos de faculdade continuou a atuar no movimento estudantil e foi eleito vice-presidente da União Nacional dos Estudantes (UNE). Foi presidente nacional da Juventude Socialista do PDT.

Foi assessor especial da Prefeitura de São Luís entre 2000 e 2006.

Na eleição para o governo do estado em 2006, empenhou-se na vitória de Jackson Lago, que venceu Roseana Sarney, num resultado considerado histórico no estado, já que o grupo político ligado a José Sarney, pai de Roseana, governava o estado há décadas.

Esteve à frente da Secretaria Estadual de Esporte e Juventude do Maranhão, em 2007.

Em 2009, quando Jackson Lago foi cassado pelo TSE, e o STF decidiu pela posse da segunda colocada, Roseana Sarney, Weverton Rocha permaneceu ao lado de Jackson no Palácio dos Leões,[4] sede do governo, até a decisão final sobre o mandato em um movimento de resistência que foi batizado de Balaiada, tendo como referência a revolta popular contra o monopólio de fazendeiros.

Atuou, também, no Ministério do Trabalho e Emprego, em 2009, convidado pelo presidente nacional do PDT, Carlos Lupi, a integrar sua equipe, como assessor especial.

Em 2010, candidatou-se a deputado federal e obteve 47.130 votos, tornando-se suplente. Foi nomeado secretário geral do PDT e voltou a atuar como assessor especial do Ministro do Trabalho, Carlos Lupi.

Em 2011, assumiu a cadeira na Câmara Federal,ainda na condição de suplente, e em 2012, com a eleição de Edivaldo Holanda Júnior a prefeito de São Luís, assumiu definitivamente o cargo de deputado federal. Em 2014, foi reeleito com mais de 81 mil votos, e em 2015, iniciou seu segundo mandato.

É membro da Executiva Nacional do partido e preside o PDT Maranhão.

Em janeiro de 2016, foi eleito líder do PDT[5] na Casa e reconduzido à liderança em 2017. Como líder, em abril de 2016, votou contrário ao processo de impeachment de Dilma Rousseff. Novamente como líder do partido, Weverton Rocha atuou contra a aprovação da Proposta de Emenda Constitucional nº 55/2016,[6] que ficou conhecida como PEC dos Gastos Públicos, por restringir gastos com educação e saúde, enquanto não limita os gastos para o pagamento com a dívida pública.

Atualmente é líder da Minoria[7], formada pelo PDT, PSB, PT, PCdoB e PSOL, na Câmara dos Deputados.

Posicionou-se contra a proposta de reforma trabalhista[8] enviada pelo governo, já uma das principais bandeiras do PDT é a defesa do trabalhador.

E apresentou diversas emendas à proposta de reforma da Previdência,[9] entre elas para manter as atuais regras de aposentadoria para o trabalhador rural e sua família, que pela proposta passariam a ter que comprovar 15 anos de efetiva contribuição individual, quando atualmente só precisam comprovar coletivamente 15 anos de trabalho no campo; e para manter o tempo de aposentadoria reduzido para professores.

O deputado Weverton Rocha é autor de 283 proposições[10] na Câmara dos Deputados.

Limpeza das ruas foi constante durante todo processo eleitoral

A sujeira nas ruas marcou o dia de votação. Como já é costume vários santinhos foram espalhados no entorno de locais de votação, neste domingo (07). O resultado foram ruas e avenidas repletas de materiais de campanha.

A equipe de limpeza da Prefeitura de São Luís teve trabalho dobrado. Foram disponibilizados uma média de 150 sacos de 200 litros para cada equipe de limpeza.

Na porta de casa local de votação, foram acumulados sacos com santinhos.

Vereadores são presos durante processo eleitoral

O comitê de segurança do Tribunal Regional Eleitoral passou boa parte da tarde deste domingo (07) em reunião à portas fechadas e concentrando as informações.

Hoje três vereadores foram presos acusados de envolvimento em crime eleitoral, um em São Luís, Graça Aranha e Olinda Nova.

Após denúncia anônima, o vereador da capital maranhense e candidato a deputado estadual, Genival Alves foi preso em flagrante comprando votos, no Tibiri, zona rural de São Luís. O vereador foi conduzido para a superintendência de policia federal, localizado no bairro da Cohama, onde será autuado em flagrante por compra de votos. Com ele foram apreendidos santinhos e R$ 8 mil.

O vereador de Graça Aranha Ruzevel Oliveira dos Santos (PP), de 36 anos, foi preso também pela manhã pela Polícia Civil com R$ 14.200.

O outro vereador preso foi na cidade de Olinda Nova, mas o nome não foi informado.

Prefeitura garante 100% da frota de ônibus no domingo de eleição

A Prefeitura de São Luís, por meio da Secretaria Municipal de Trânsito e Transportes (SMTT), garantiu 100% da frota de ônibus para circular durante este domingo (07) de eleições.

A Secretaria realiza ainda o disciplinamento e o ordenamento do trânsito em vários pontos estratégicos e de maior fluxo durante o acesso dos eleitores aos locais de votação em São Luís.

As ações da SMTT começaram a partir das 7h, com agentes de trânsito em viaturas e em pontos específicos no intuito de garantir a fluidez do trânsito e a segurança de motoristas e pedestres. Serão utilizadas também motocicletas para chegar aos locais de difícil acesso em decorrência de possíveis colisões e bloqueios viários.

A SMTT pede ainda a compreensão dos condutores, no sentido de trafegar com segurança, velocidade moderada devido ao grande número de pessoas nas vias, obedecer as orientações dos agentes de trânsito e sair de casa com antecedência para evitar possíveis transtornos nas vias públicas.

O velho hábito de jogar santinhos próximo aos locais de votação

O Maranhão acordou para as eleições com a clássica imagem de santinhos nas ruas. O candidato busca garantir votos dos indecisos e também não cair no esquecimento do eleitor “quem não é visto não é lembrado”.

Nem o rigor da lei inibiu a prática comum no período de eleição.

Mas o hábito é ilegal. Espalhar santinhos próximos aos locais de votação é considerado crime e propaganda ilegal sujeita multa segundo a legislação eleitoral brasileira.

A minirreforma eleitoral de 2015 manteve as previsões legais da Lei nº 9.504/1997 que determina que o “derrame ou a anuência com o derrame de material” de propaganda no local de votação ou nas vias próximas, ainda que na véspera da eleição, sujeita o responsável, após a notificação e comprovação, à restauração do bem.

Caso não seja cumprida a reparação do bem público, os tribunais eleitorais podem aplicar uma multa no valor de R$ 2 mil a R$ 8 mil nos candidatos infratores.

A mesma lei estabelece que a prática também constitui crimes puníveis com detenção, de seis meses a um ano, com a alternativa de prestação de serviços à comunidade pelo mesmo período.