Pesquisa do IBGE aponta que expectativa de vida sob maranhense é a menor do país

As pessoas nascidas no Maranhão são as que têm menor expectativa de vida no Brasil, segundo números divulgados hoje  (01) pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. O estado apresenta também uma das maiores taxas de mortalidade infantil, pois para cada mil crianças nascidas são registrados 21,3 óbitos.

De acordo com os dados, uma pessoa nascida no Brasil em 2016 tinha expectativa de viver, em média, até os 75,8 anos, o que representa um aumento de três meses e 11 dias a mais do que para uma nascida em 2015.

Entre as Unidades da Federação, a maior expectativa de vida foi encontrada em Santa Catarina, 79,1 anos, e a menor no Maranhão, 70,6 anos. Uma pessoa idosa que completasse 65 anos em 2016 teria a maior expectativa de vida (20,1 anos) no Espírito Santo. Por outro lado, em Rondônia, uma pessoa que completasse 65 anos em 2016 teria expectativa de vida de mais 15,9 anos.