Flávio Dino abre mão de investimentos na saúde para evitar manobra de senadores

Os senadores da bancada maranhense Edison Lobão (PMDB), Roberto Rocha (PSDB) e João Alberto (PMDB) se recusam a assinar acordo que deve garantir investimento de R$ 160 milhões para saúde do Maranhão. Tudo seria parte de uma manobra para evitar que parte destes recursos cheguem até o governo do estado.

O destino do investimento, que é oriundo de emendas impositivas da bancada maranhense, foi pactuado entre os municípios maranhenses, através do presidente da Federação dos Municípios do Maranhão Cleomar Tema e o governador do Maranhão, Flávio Dino, que seria feita uma partilha em que 60% fosse repassado para os municípios e 40% ficasse no governo do Maranhão. “Se este for o empecilho, eu faço aqui a declaração pública, o compromisso público: Nós abrimos mão de todo o recurso, o seja, se a bancada federal colocar R$120 milhões para a saúde, nós vamos repassar integralmente para os municípios.” anunciou Flávio Dino.

O deputado federal, André Fufuca, classificou a manobra da bancada maranhense como ilegítima e injusta.“Não é justo que hoje, autoridades constituídas do Maranhão, eleitas com o voto do povo maranhense, se recusem a assinar recurso que vai para a saúde dos municípios. Isso não é legítimo!”, ressaltou o deputado.

Edison Lobão (PMDB), Roberto Rocha (PSDB) e João Alberto (PMDB)

Para que o dinheiro seja destinado ao Maranhão, são necessárias 14 assinaturas de deputados federais e 2 assinaturas dos senadores maranhenses. Hoje já foram computadas 12 assinaturas do deputados e nenhuma dos senadores. Os parlamentares sinalizaram que não vão assinar a emenda impositiva da bancada federal do Maranhão para atingir o governo Dino.

O prazo para a votação da proposta acaba amanhã (20).

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *