Flávio Dino é o governador que mais cumpre promessas de campanha do país

Um levantamento publicado pelo site G1 afirma que o governador do Maranhão, Flávio Dino, já cumpriu ou cumpre em parte, nos três primeiros anos de mandato, 92% das promessas anunciadas durante campanha política. A média nacional de promessas cumpridas ou em andamento pelos gestores é de 59%. Dino é o governador que possui menos promessas a serem postas em prática – três, no total.

Foram avaliadas promessas relacionadas ao combate à corrupção, transparência, administração, economia, segurança pública, turismo, direitos humanos e sociais, educação e cultura, meio ambiente e agronegócio, esporte, habitação, saúde, mobilidade urbana e infraestrutura. A próxima avaliação será feita ao final do mandato de cada gestor, daqui a um ano.

Entre as promessas ainda não cumpridas durante o mandato do governador estão a retirada das famílias maranhenses da linha de pobreza extrema, criação de um Programa Permanente de Valorização da Docência e implantação do Programa Maranhense de Biocombustíveis. As três constam no programa de governo.

Flávio Dino Governador do Maranhão

Explicações

No primeiro caso, relacionado ao combate da pobreza extrema do estado, a promessa foi categorizada como “não cumprida” pois o “o governo não divulga quantos maranhenses, de fato, saíram da linha de probreza extrema”, informa o levantamento. A gestão, no entanto, indica que as ações têm como foco inicial os 30 municípios maranhenses com menores Índices de Desenvolvimento Humano Municipais (IDHM).

Sobre a segunda promessa, não há Programa específico de valorização da docência, mas houve reajuste do salário dos professores por duas vezes, e a recomposição salarial atinge a marca de 22%. De acordo com o governo, foram mais de 22 mil progressões, promoções e titulações e estímulos a docentes da rede de ensino estadual.

Já em relação ao Programa Maranhense de Biocombustíveis, o governo afirmou que apesar de não ter sido iniciado, houve a criação do projeto Babaçu Mais Valor, que tem como meta gerar subprodutos do babaçu, como biocombustível, e este ano pretende implantar a Unidade Piloto para produção de biodiesel. Há, ainda, segundo a gestão Dino, negociação de incentivos ficais para empresas de etanol já implantadas no estado.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *