Maranhão está fora de perigo quanto a febre amarela, afirmam especialistas

O Aedes aegypti, que pode transmitir a febre amarela, está presente em 3600 municípios brasileiros, incluindo os do Maranhão. No Brasil, não ocorria transmissão da febre amarela nas cidades desde 1942, mas nos últimos 6 meses o país já registrou 35 casos e 20 mortes em decorrência da doença. O medo de contaminação levou milhares de pessoas a procurarem os postos de saúde em busca da vacina, e aqui no estado não foi diferente.

O Maranhão está na área considerada de risco, existe recomendação para a vacina mas não é para entrar em pânico. De acordo com a Secretaria de Estado da Saúde (SES), o Maranhão não registra um caso de Febre Amarela a mais de 20 anos, o último caso foi em 1995 em Amarante do Maranhão.

Maranhão está na área de risco de febre amarela

A Superintendente de Epidemiologia e Controle de Doenças da Secretaria de Estado da Saúde, Graça Lírio, disse que a imunização precisa ser permanente.
“Já temos a recomendação para vacinação há algum tempo. Nas décadas de 1980 e 1990 tivemos um surto, que fez o vírus circular aqui, desde então temos a recomendação. A imunização é uma ação permanente”, explicou.

O que chama atenção é que foram encontrados macacos mortes no Maranhão contaminados pelo vírus, mas a superintendente tranquiliza ressaltando que ações ininterruptas são feitas para evitar surgimento de casos em área maranhense. “Estamos trabalhando com antecedência para evitar casos no estado. Estamos monitorando também as regiões onde há identificação de óbitos de macacos. Investigamos a causa e já atuamos com a vacinação da população das proximidades”, disse.

A Secretaria de Estado da Saúde (SES) também anunciou que adota ações de vigilância preventivas para garantir que a doença permaneça erradicada. A principal ação é o reforço da imunização da população, em especial das regiões mais expostas.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *