Veja vídeo: “Sou secretário, não deputado. Juízo de valor que não cabe a mim”, desabafa Jefferson Portela quando questionado sobre parlamentares ouvirem envolvidos em memorando.

O secretário da Segurança Pública do Maranhão, Jefferson Portela (PCdoB), concedeu entrevista hoje (25) para esclarecer detalhes sobre o memorando ilegal emitido sem o conhecimento do Comando da Polícia Militar.

Foi aberta uma sindicância para apurar o documento com suposta determinação para identificar lideranças políticas opositoras ao governo.

O secretário Portela ressaltou que o ato é de responsabilidade individual, sem participação do Comando da Polícia e os envolvidos na ilegalidade vão ser punidos. “Não cabe ao comando inferior editar comando geral sem conhecimento do Comando da PM. Temos os nossos regramentos que nos impõem um modo de agir”, afirmou Portela.

Durante a coletiva, Jefferson Portela enfatizou que “o que for de política que se discuta na política”, e quando questionado sobre a possibilidade dos envolvidos no caso serem ouvidos por solicitação de deputados na Assembleia Legislativa, o secretário foi mais enfático ainda  “Se a Assembleia aprovar o requerimento para que eles compareçam lá, eles irão e falarão. Um juízo de valor que não posso exercer. Sou secretário e não deputado”, afirmando que não poderia interferir nas decisões, nem opinar sobre as atividades na Casa Parlamentar.

Segundo o Comandante Geral da Polícia Militar, Coronel Luongo, os Polícias Militares suspeitos de envolvimento no crime estão sob investigação, e devem ser ouvidos amanhã. Todos os policiais do inteiror que tiveram contato com o documento já foram ouvidos.

Veja o vídeo completo da coletiva de imprensa

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *