Cuidado com Fake News, na Malásia começaram a condenar por disseminação de informações inverídicas

Um dinamarquês foi o primeiro a ser condenado por propagar fake news na Malásia. Salah Salem Saleh Sulaiman foi condenado a uma semana de prisão e uma multa de US$ 2,6 mil, mas como não tinha dinheiro para pagar a multa vai ter que passar um mês preso.

A lei na Malásia foi aprovada no início deste mês e estabelece penas de prisão de até 6 anos, e o dinarmaques foi o primeiro a ser condenado. Ele publicou um vídeo em canal de YouTube, gravado por ele, em que um engenheiro ligado ao grupo palestino Hamas foi roubado e baleado. Na gravação ele afirmou que fez diversas ligações para a polícia para denunciar o caso, mas que as autoridades demoraram a responder. Também garantiu que uma ambulância demorou mais de uma hora para chegar. Mas as informações seriam falsas.

Críticos afirmaram que a lei pode ser também uma forma de reprimir a dissidência política e restringir a liberdade de expressão na Malásia. Principalmente neste período, que antecede a eleição do país.

No Brasil, projetos de lei ainda tramitam no Congresso, mas o ministro do Supremo Tribunal Federal Luiz Fux que assumiu a presidência do Tribunal Superior Eleitoral afirmou que vão ser adotadas medidas duras, que incluem prisão e bloqueio de bens a quem disseminar falsas notícias que influenciarem as eleições de outubro.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *