Temer coloca forças armadas contra a greve dos caminhoneiros

O presidente Michel Temer (MDB) anunciou no início da tarde desta sexta-feira (24) o uso das Forças Armadas para pôr fim às manifestações nas estradas em todo país.

Os caminhoneiros continuam em greve por não terem aceitado um acordo feito ontem entre o presidente Temer e representantes da categoria. Das 11 entidades que iniciaram as negociações, duas decidiram não assinar o documento final, a Associação Brasileira de Caminhoneiros e a União Nacional dos Caminhoneiros. Juntas, elas dizem representar cerca de 700.000 profissionais, enquanto que as outras nove representam 1 milhão.

A medida extrema do presidente foi tomada menos de 24 horas depois do acordo que não foi cumprido, segundo Temer a intenção é garantir o abastecimento da população pois “uma minoria radical tem bloqueado estradas e impedido que muitos caminhoneiros levem adiante o seu desejo de atender à população e fazer o seu trabalho”, afirmou o presidente.

O governador do Maranhão Flávio Dino (PCdoB) falou em suas redes sociais sobre a greve dos caminhoneiros.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.