Márcio Jerry pede liberdade de imprensa e acusa Bolsonaro de agredir a democracia

Os jornais Folha de S.Paulo, O Estado de São Paulo e o Grupo Globo anunciaram, na segunda-feira (25), que não enviarão mais repórteres para a cobertura em frente ao Palácio da Alvorada por falta de segurança. A decisão foi seguida por Metrópoles, Band e Correio Braziliense.

Vídeos que circulam pela internet mostram apoiadores de Jair Bolsonaro (sem partido), estimulados pelo discurso retórico do próprio presidente, insultando repórteres de maneira agressiva. Os manifestantes, que em nenhum momento são contidos por seguranças do local, também não respeitam a fita de isolamento que os separam do setor da imprensa.

Para o deputado federal Márcio Jerry (PCdoB), jornalista graduado pela Universidade Federal do Maranhão, a ambiente criado em Brasília por Bolsonaro e seus seguidores é mais um reflexo de como a democracia está sendo agredida.

“Quando a imprensa não pode fazer a cobertura da sede de governo por receio de agressões, é porque a democracia está ultrajada, agredida. Que todos os jornalistas que defendem a democracia se unam na defesa da liberdade de imprensa”, disse o parlamentar.

Em nota, a Associação Brasileira de Imprensa (ABI) elogiou a decisão das empresas que suspenderam a cobertura no Alvorada. O Sindicato dos Jornalistas Profissionais do Distrito Federal e a Federação Nacional dos Jornalistas cobraram ações de proteção aos profissionais por parte do Gabinete de Segurança Institucional da Presidência da República (GSI) e da Secretaria Especial de Comunicação Social do governo federal.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *