Anvisa nega compra da Sputnik; Maranhão vai aguardar comunidade científica

A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) negou o pedido de autorização excepcional para a importação da vacina Sputnik V. O imunizante contra a Covid-19 é produzido na Rússia. A agência justificou que análise apontou falta de dados e risco de doenças por falha em fabricação da vacina.

O governador do Maranhão, Flávio Dino, se manifestou nesta terça-feira (27), sobre a decisão da agência. Por meio das redes sociais, o governador afirmou que vai esperar “manifestação técnica de cientistas brasileiros e russos” sobre a vacina.

“Sobre decisão da Anvisa quanto à vacina Sputnik, irei aguardar manifestação técnica de cientistas brasileiros e russos. Posteriormente, teremos reunião com governadores da Amazônia e do Nordeste para avaliar fundamentos técnicos, a serem apresentados ao STF e à própria Anvisa”, declarou Flávio Dino.

O Maranhão é um dos 14 estados do Brasil que pediram autorização para importação emergencial de quase 30 milhões de doses da Sputnik. No dia 9 de abril deste ano, o governo do estado acionou o Supremo Tribunal Federal (STF) pedindo que a Anvisa autorizasse a importação e o uso emergencial da vacina no combate a pandemia de Covid-19.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *