Jornalistas aderem ao MEI para serem empreendedores

Entre as ocupações permitidas para registro como Micro Empreendedor Individual (MEI), pelo menos sete podem ser aproveitadas por jornalistas que precisem se tornar empreendedores. Atualmente, 1.323 maranhenses se formalizaram no estado, conforme as estatísticas do Portal do Empreendedor do Sebrae. Neste, que é o Dia do Jornalista – 7 de Abril – uma opção para ter mais autonomia.

Dentre os 466 tipos de atividades para requerer um CNPJ como MEI, podem ser listadas como da área de atuação dos jornalistas: apurador, coletor e fornecedor de recortes de matérias publicadas em jornais e revistas independente, editor de jornais não diários independentes, editor de jornais diários independentes, editor de revistas independente, editor de vídeo independente, filmador de vídeo e fotógrafo independente.

Os registros se concentram no audiovisual, abrangendo quatro atividades  – apurador, coletor e fornecedor de recortes de matérias publicadas em jornais e revistas independente; editor de vídeo independente; filmador de vídeo; e fotógrafo independente. A estimativa é que cerca de 100 novos jornalistas são formados pelas universidades maranhenses e chegam ao mercado todos os anos.

O MEI permite a atuação em até 15 atividades profissionais. Além das sete  típicas de quem atua na Comunicação, é possível ampliar com atividades complementares que se adequem ao perfil do profissional. Tudo isso, podendo emitir notas fiscais e tendo acesso à seguridade social garantida a esse perfil jurídico.

Jornalistas podem procurar orientações em uma das 12 unidades regionais do Sebrae (Portal do Sebrae Maranhão – Encontre o Sebrae no Maranhão) no estado. De lá, já saem com o CNPJ, informações sobre recolhimento mensal dos tributos do MEI e outras necessárias à boa gestão do negócio.

Podem ainda se formalizar sozinhos e gratuitamente, no Portal do Empreendedor. Basta clicar na aba “Quero ser MEI” e seguir as instruções. Consultando o artigo ‘Jornalismo abraça o digital para ganhar novos horizontes’, é possível identificar oportunidades surgidas nesse ambiente atual de transformações da atividade jornalística.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *