Programa do Maranhão é referência para criação de auxílio no Nordeste

O governador Flávio Dino participou de encontro do Consórcio Interestadual de Desenvolvimento Sustentável do Nordeste (Consórcio Nordeste), nesta quarta-feira (25), na cidade de Natal, Rio Grande do Norte. Na ocasião, foi lançado o programa Nordeste Acolhe, destinado a crianças e adolescentes que ficaram órfãs durante a pandemia da Covid-19. O programa vai conceder auxílio de R$ 500. A iniciativa é inspirada no Programa Cuidar, experiência do Maranhão, que concede R$ 500 por mês a crianças órfãs por Covid-19, até que atinjam a maioridade.

“Uma reunião muito importante aqui, em Natal, no Rio Grande do Norte, no Fórum de Governadores do Nordeste, onde aprovamos o projeto Nordeste Acolhe, que é uma extensão do Auxílio Cuidar que criamos no Maranhão, por lei aprovada na Assembleia Legislativa. Agora, por essa decisão de hoje, os nove estados do Nordeste estão incorporando esse projeto do Maranhão, no sentido que os órfãos da pandemia tenham um apoio financeiro. Situação que demanda a atenção do Estado, para que essas pessoas possam recuperar as condições mínimas de subsistência, em face dessa tragédia sanitária que se abateu sobre o país”, pontuou o governador Flávio Dino.

O Nordeste Acolhe foi tema discutido no encontro virtual do Consórcio Interestadual de Desenvolvimento Sustentável do Nordeste (Consórcio Nordeste). Para além de uma ação social, a iniciativa é uma preocupação com os efeitos do pós-pandemia. Um dos focos analisados pelo grupo de governadores é a geração de emprego e renda. A pandemia, que dura mais de um ano, deixou muitos cidadãos desempregados e com dificuldade de manter suas famílias. Diante disso, o Consórcio do Nordeste trará mais ações na área social.

O Auxílio Cuidar, que inspirou o Nordeste Acolhe, foi aprovado por unanimidade pela Assembleia Legislativa do Maranhão, por meio da Lei n° 323/2021. O valor de R$ 500 será pago mensalmente, até o alcance da maioridade civil (21 anos) dos beneficiários. O programa é coordenado pela Secretaria de Estado de Desenvolvimento Social (Sedes).

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.