“É um pedido para priorizar idosos”, explica Carlos Lula, sobre medida do Ministério da Saúde

O secretário de Estado da Saúde (SES), Carlos Lula, explicou a medida do Ministério da Saúde, sobre a vacinação de adolescentes. Segundo o secretário, o pedido não é para suspender a imunização deste público, mas sim, priorizar pessoas a partir dos 60 anos, devido maior vulnerabilidade de saúde deste segmento. A mensagem foi divulgada em vídeo, na quinta-feira (16).

“Na verdade, não é um pedido de suspensão da vacinação dos adolescentes. É um pedido de priorização da população idosa. É fundamental entender que a população acima de 60 anos ainda é a majoritária que tem hospitalizado e tem perdido a vida, em razão da Covid-19. Então, nesse momento, caso ainda haja ausência de doses e não tenhamos vacina suficiente para estass duas parcelas da população, pedimos ao Mnistério para poder usar a dose de reforço na população idosa”, explica Carlos Lula.

O estoque de vacinas no Maranhão segue o mesmo ritmo do Brasil, com a possibilidade de falta de doses da Astrazeneca, sobretudo da segunda dose, alerta o secretário de Saúde. “Isso porque, houve um atraso na entrega de parte das vacinas pela Fiocruz, o que tem afetado, de fato, a disponibilidade de vacinas para a segunda dose no Brasil como um todo”, disse.

No Maranhão, 29 cidades já não têm segunda dose de Astrazeneca e 10 apresentam quantitativo muito baixo, que deve ser encerrado até final dessa semana. “Isso demonstra que, na verdade, o Maranhão vive a situação que ocorre no Brasil, onde passamos a ter problemas com a segunda dose, em razão desse atraso na entrega por parte do Ministério da Saúde”, frisa Lula.

Devido à dificuldade enfrentada no Maranhão para garantia da segunda dose, O Governo do Estado, via SES, tem solicitado mais doses, a fim de continuar apoiando os municípios. Porém, segundo Carlos Lula, há resistência da população. “Temos encontrado resistência das pessoas em voltar para tomar a segunda dose e pedimos para tomem a segunda dose. Assim, estarão se protegendo e protegendo a sociedade”, enfatizou Carlos Lula.

Segundo o titular da SES, o Maranhão precisa atingir entre 4 e 5 milhões de pessoas imunizadas com a duas doses. “Este alcance nos dará a certeza do controle da doença no nosso estado e ainda estamos muito longe disso acontecer. Por isso, fazemos esse pedido a todos, prefeitos, população e quem reside no Maranhão, para que possa tomar a segunda dose da vacina e a gente, enfim, vencer a Covid-19”, finalizou Carlos Lula.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.