Governo do Maranhão aciona Roberto Rocha por crime de transfobia

A fala do senador Roberto Rocha, sobre o influencer Alex Brito, ainda rende. Após ser criticado por diversos segmentos, agora, o Governo do Maranhão acionou a justiça. Por meio da Secretaria de Estado dos Direitos Humanos e Participação Popular (Sedihpop), o Governo encaminhou Notícia Fato ao Ministério Público Federal, Defensoria Púbica do Estado do Maranhão e Procuradoria Geral do Estado, denunciando o senador Roberto Rocha pelo crime de transfobia.

Rocha é apontado por ter agido de maneira intolerante, ofensiva e discriminatória contra o adolescente Alex Brito, mais conhecido como Bota Pó. O jovem de 16 anos, residente no município de Bacabal, protagonizou um vídeo do Governo maranhense, sobre a plataforma Gonçalves Dias, vinculada à Secretaria de Estado da Educação (Seduc).

Em uma postagem nas redes sociais, que, inclusive, já foi apagada, Rocha criticou o fato do Governo ter escolhido para estrelar o vídeo um jovem homossexual assumido, fazendo papel de menina, ao invés de ter promovido a imagem de um adolescente que tenha se destacado em alguma área.

“Lamentável essa situação na qual passamos. Nada contra a opção sexual de alguém. Agora querer obrigar a aceitação desta opção de alguns como regra e apologia a prática homossexual isso não dá para aceitar”, comentou o senador em sua rede social.

De acordo com a Notícia Fato, LGBTfobia é uma violação contra os direitos humanos que consiste na intolerância, discriminação, ofensa ou qualquer manifestação de repúdio a população lésbica, bissexuais, gays, transexuais e outros, com finalidade atentatória à sua dignidade. A prática é equiparada ao crime de racismo, segundo a denúncia.

Roberto Rocha, em uma nota, também publicada nas suas redes sociais, após excluir a postagem sobre Bota Pó, disse que não teve a intenção de ofender a digital influencer. Afirmou, ainda, que sua crítica foi direcionada exclusivamente ao Governo, que utilizou recursos públicos para divulgar propaganda que pode influenciar pessoas.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.