Greve de ônibus: Transporte alternativo é a saída

Os pontos de ônibus da Grande São Luís amanheceram vazios, na manhã desta terça-feira (26). Sem ônibus, o transporte alternativo lucra com a paralisação dos rodoviários, que já entra no seu sexto dia. Já foram quatro reuniões entre as partes, todas sem acordo.

Na área Itaqui-Bacanga, na capital, onde o usuário pagava, antes da greve dos rodoviários, para o transporte alternativo o valor de R$ 3,50 e agora já chega ao preço de R$ 5,00. Situação parecida acontece com quem necessita dos serviços de um mototaxista. Antes da greve, o preço da passagem era R$ 12,00 e agora chega a custar até R$ 15,00.

A categoria quer um reajuste de 13%, jornada de trabalho de seis horas, tíquete de alimentação no valor de R$ 800, manutenção do plano de saúde e a inclusão de um dependente e a concessão do auxílio-creche, para trabalhadores com filhos pequenos. A paralisação dos rodoviários teve início na madrugada da última quinta-feira (21).

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.