PL ameaça abrir palanques para opositores, caso Bolsonaro recue de filiação

Se o presidente Jair Bolsonaro recuar da filiação ao PL, Valdemar Costa Neto, que preside a legenda, pode liberar diretórios estaduais na eleição de 2022. É o aviso dado a aliados do centrão e sendo assim, os diretórios poderiam apoiar o candidato que quiserem, até os de oposição ao governo. Uma das principais preocupações do governo Bolsonaro.

No cenário de articulações para levar o presidente a se filiar ao partido, Costa Neto tem dito a bolsonaristas que vai trabalhar para reduzir o apoio do PL a palanques opositores. Mas, ele não garante o mesmo empenho, caso o presidente desista de se filiar.

Isso significa que o partido pode ter palanques regionais apoiando Bolsonaro, João Doria e, principalmente, o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva.

O ‘casamento’ entre Bolsonaro e PL inviabilizaria o apoio do partido a Lula, na eleição do ano que vem. Bolsonaro, no entanto, recuou da filiação, por ora, alegando problemas em palanques estaduais, como o de São Paulo. Mas, pesou também a repercussão negativa da aliança entre ele e Valdemar Costa Neto, que foi condenado no mensalão — esquema de corrupção que atingiu o governo Lula.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.