Luciano Leitoa sobre Flávio Dino no PSB: ‘Muito a acrescentar’

Após a manifestação favorável do deputado estadual Bira do Pindaré, sobre a ida do governador Flávio Dino para o Partido Socialista Brasileiro (PSB), o prefeito de Timon, Luciano Leitoa, que é líder do partido no Maranhão, também dá seu aval.

Leitoa afirmou que a filiação de Flávio Dino ao PSB vai trazer ganhos para a legenda. Em entrevista a emissora local, nesta terça-feira (13), o prefeito de Timon destacou o histórico político do governador, o fato de ser um dos únicos a ter passado pelos três poderes – Executivo, Legislativo e Judiciário – e sua experiência e expertise.

Luciano Leitoa ressaltou ainda que, em nível nacional, há também o aval positivo para Flávio Dino. A legenda é coesa em querer o governador no seu quadro de políticos. Agora, basta Flávio Dino avaliar as possibilidades que se desenham para sua candidatura nas próximas eleições.

CPI da Pandemia pode se estender a prefeitos e governadores

Um grupo de senadores quer pedir abertura de uma Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) no Senado para apurar, além dos atos do governo federal, a responsabilidade de governadores e prefeitos na crise provocada pela pandemia da Covid-19.

O requerimento que pede a CPI é de autoria do senador Eduardo Girão (Podemos-CE) e alcançou 34 assinaturas, na manhã desta segunda-feira (12). Seriam necessárias apenas 27 para a abertura das investigações. O pedido deve ser protocolado na terça-feira (13).

Eduardo Girão justificou o pedido de instalação da CPI afirmando que o governo federal repassou bilhões de reais aos entes federados e faltou transparência nos contratos firmados pelos gestores públicos.

Na semana passada, o ministro do Supremo Tribunal Federal (STF), Luís Roberto Barroso, determinou, em uma decisão liminar (provisória), a instalação de uma CPI no Senado, para investigar ações e omissões do Governo Federal na pandemia. Senadores governistas e o presidente Jair Bolsonaro defenderam que prefeitos e governadores também deveriam ser alvo da comissão.

Vacina contra Influenza é furtada no Maranhão

Um caso inusitado ocorreu no município de Timon, nesta segunda-feira (12). Veículo que trazia 1.250 doses da vacina contra a Influenza foi furtado.

A Polícia Militar informou que um motorista da Secretaria Municipal de Saúde estacionou o carro aberto, em frente a uma clínica da cidade, deixando a chave na ignição. Vendo o veículo aberto, um homem não identificado furtou com as vacinas dentro.

A polícia fez barreiras e fechou a cidade para localizar o homem. O veículo foi abandonado com as vacinas, que foram devolvidas para a campanha.

A imunização acontece nesta semana. Com o ocorrido, a partir de agora, a polícia vai acompanhar o deslocamento de todas as vacinas da região – tanto da Influenza, quanto da Covid-19.

Imposto de Renda pode ser entregue até 31 de maio

O prazo final de entrega da Declaração de Imposto de Renda das Pessoas Física (IRPF) de 2021, referente ao ano calendário 2020, foi prorrogado até 31 de maio. A mudança foi implementada por meio da instrução normativa 2.020, publicada no “Diário Oficial da União” desta segunda-feira (12).

A Receita Federal prorrogou também, para 31 de maio, os prazos de entrega da Declaração Final de Espólio e da Declaração de Saída Definitiva do País, assim como o vencimento do pagamento do imposto relativo às declarações.

O cronograma de restituição do Imposto de Renda foi mantido. Deste modo, o primeiro lote será pago no dia 31 de maio, e o último em 30 de setembro.

Reabertura de templos reforçada pelo dízimo

Apoiar organizações religiosas é a causa mais popular de doações no Brasil, segundo a pesquisa Brasil Giving Report 2020, realizada pelo Instituto para o Desenvolvimento do Investimento Social (IDIS). Na rotina das igrejas, depósitos em espécie feitos durante as celebrações são importante modalidade de arrecadação, principalmente nos templos frequentados por pessoas mais pobres.

Contribuições de fiéis de todas as denominações religiosas levam cerca de R$ 15 bilhões para dentro das instituições. O valor equivale a 65% de tudo o que as entidades arrecadam, de acordo com os mais recentes dados da Receita Federal, de 2018.

A doação online não é a mais comum no Brasil. O estudo do IDIS indica que a contribuição em dinheiro é a opção de 65% dos fiéis. Transferências bancárias e pagamento via cartão de crédito são escolhidos por 23%. Boletos, por 7%.

Celebrações

Neste domingo (11), o pastor Valdemiro Santiago, da Igreja Mundial do Poder de Deus,  convocou fiéis para culto presencial, prometendo “um tempo poderoso de milagres e salvação” na pandemia de covid-19. Em São Paulo, a imponente sede da igreja, que abriga até 10 mil pessoas, encheu. Ao final de mais de duas horas de sermões e testemunhos, Valdemiro pediu doações.

“Queria dizer que estamos dando um duro danado para pagar aluguéis, funcionários, fornecedores. Está tão difícil para todo mundo…”, implorou o pastor. Dentro da igreja, números das contas bancárias foram projetados em telões. Valdemiro, no entanto, se concentrou no método tradicional, e seus colaboradores percorreram o templo com envelopes, sacolas de pano e pequenas urnas de madeira. “Você vai colocar uma oferta generosa, com muita alegria. Vai colocar e dar um beijinho: ‘Essa é para o Senhor Jesus'”, orientou.

O pastor Silas Malafaia, líder da Assembleia de Deus Vitória em Cristo, confirmou a redução nas ofertas, mas disse que é mínima, não justificando sua defesa pela abertura de templos. “O mundo mudou. Para ter uma ideia, 80% de tudo o que recebo de oferta e dízimo é por dispositivos eletrônicos. A queda na arrecadação é ínfima. A prova é que, do ano passado até aqui, eu inaugurei 20 igrejas”, destacou.

Decisão

Na última quinta-feira, porém, o plenário do Supremo Tribunal Federal derrubou a liminar que havia sido concedida pelo ministro Kassio Nunes Marques. Ao afastar os fiéis das celebrações presenciais, o coronavírus reduziu a arrecadação de instituições evangélicas e católicas.

O presidente Jair Bolsonaro ajudou na pressão sobre a Corte. “Supremo fechar igrejas é o absurdo do absurdo”, insistiu ele. Na prática, a limitação das receitas é um dos panos de fundo do lobby religioso para que templos não sejam fechados no pior momento da covid-19.

Presidente da Frente Parlamentar Evangélica, o deputado Cezinha de Madureira (PSD-SP) minimizou a questão dos recursos: “O prejuízo maior é para o próprio fiel, que tem seu direito fundamental de aconselhamento espiritual atingido, suas liberdades de culto e liturgia embaraçadas. As igrejas querem cultuar Deus, interceder pelo País neste momento de crise. O financeiro vem depois”.

 

Auxílio aos nascidos em março, será pago neste domingo, 11

Trabalhadores informais nascidos em março, começam a receber neste domingo, 11, a nova rodada do auxílio emergencial. O benefício terá parcelas de R$ 150 a R$ 375, dependendo da família. O pagamento também será feito a inscritos no Cadastro Único de Programas Sociais do Governo Federal (CadÚnico) nascidos no mesmo mês.

O dinheiro será depositado nas contas poupança digitais e poderá ser movimentado pelo aplicativo Caixa Tem. Somente de duas a quatro semanas após o depósito, o dinheiro poderá ser sacado em espécie ou transferido para uma conta-corrente.

Ao todo 45,6 milhões de brasileiros serão beneficiados pela nova rodada do auxílio emergencial. O calendário de pagamentos foi divulgado pelo governo no início do mês.

O auxílio será pago apenas a quem recebia o benefício em dezembro de 2020. Também é necessário cumprir outros requisitos para ter direito à nova rodada.

Para os beneficiários do Bolsa Família, o pagamento ocorre de forma distinta. Os inscritos podem sacar diretamente o dinheiro nos dez últimos dias úteis de cada mês, com base no dígito final do Número de Inscrição Social (NIS). O auxílio emergencial somente será pago quando o valor for superior ao benefício do programa social.

Campanha de vacinação contra a Influenza começa nesta segunda (12) em São José de Ribamar

A prefeitura de São José de Ribamar lançou o calendário 2021 da vacinação contra a Influenza. A campanha começa nesta segunda-feira (12) e vai até o dia 9 de julho de 2021, das 8h às 17h, em todas as unidades básicas de saúde.

Na campanha serão vacinadas crianças de 6 meses a menores de 6 anos, gestantes, puérperas, povos indígenas, trabalhadores de saúde, idosos a partir de 60 anos, professores das escolas públicas e privadas, pessoas portadoras de doenças crônicas não transmissíveis e outras condições clínicas especiais, pessoas com deficiência permanente, forças de segurança e salvamento.

Também serão imunizadas forças armadas, caminhoneiros, trabalhadores de transporte coletivo rodoviário de passageiros urbano e de longo curso, trabalhadores portuários, funcionários do sistema prisional, adolescentes e jovens de 12 a 21 anos de idade, sob medidas socioeducativas e população privada de liberdade.

A campanha será dividida em três etapas. A primeira começa nesta segunda-feira (12) e se estende até o dia 10 de maio. Nesta fase, serão imunizadas crianças de 6 meses a menores de 6 anos, gestantes, puérperas, povos Indígenas e trabalhadores de saúde.

A segunda etapa vai vacinar idosos a partir de 60 anos e professores. A imunização acontece de 11 de maio a 08 de junho.

De 9 de junho a 9 de julho ocorre a terceira fase da vacinação contra a Influenza. Nela, serão imunizadas pessoas com comorbidades, pessoas com deficiência permanente, caminhoneiros, trabalhadores de transporte coletivo rodoviário passageiros urbano e de longo curso, trabalhadores portuários, forças de segurança e salvamento, forças armadas, funcionários do sistema de privação de liberdade e população privada de liberdade e adolescentes e jovens em medidas socioeducativas.

Vale destacar que a campanha contra Influenza acontece no período da vacinação contra a Covid-19. Pessoas que estão nos grupos prioritário da vacina Covid-19 devem tomar a vacina influenza, respeitando o intervalo mínimo de 14 dias entre as vacinas.

“Bolsonaro é forte candidato a ser 1º presidente a não se reeleger”, diz Flávio Dino

O governador do Flávio Dino avalia que o presidente Jair Bolsonaro enfrenta o seu pior momento político desde que foi eleito. A combinação de uma atuação criticada durante a pandemia com a dificuldade de lidar com o Congresso levam o comunista a fazer projeções pouco otimistas para o atual presidente.

“Bolsonaro é forte candidato a ser o 1º presidente a não ser reeleito, desde que a reeleição foi permitida no Brasil”, disse, em entrevista ao Poder360. Fernando Henrique Cardoso (PSDB), Luiz Inácio Lula da Silva (PT) e Dilma Rousseff (PT) foram todos reeleitos.

A volta do ex-presidente Lula à arena política com a anulação dos seus processos pelo ministro Edson Fachin, do STF (Supremo Tribunal Federal), também fizeram arrefecer as suas movimentações para ser candidato à Presidência por uma frente de esquerda.

Municípios maranhenses vão receber nova remessa de vacinas contra a Covid-19

As 110.850 doses das vacinas CoronaVac e AstraZeneca, enviadas ao Maranhão pelo Ministério da Saúde, serão distribuídas aos municípios, a partir da próxima semana. As vacinas são destinadas à aplicação da segunda dose em 30,7% dos trabalhadores da saúde e 22% da população de 70 a 74 anos, e da primeira dose para idosos com idade de 65 a 69 anos, forças de segurança, salvamento e armadas.

Com a nova remessa, o Maranhão totaliza 1.344.590 doses recebidas, sendo 373.750 da AstraZeneca e 970.840 doses da CoronaVac. Para acelerar o processo de imunização, o Governo tem buscado intensificar a aplicação das doses junto aos públicos preconizados pelo Ministério da Saúde.

A mais recente estratégia elaborada, e que já está em execução, foi a contratação de profissionais digitadores, técnicos de enfermagem e enfermeiros. O reforço vai  auxiliar os municípios com menos de 50 mil habitantes, a alcançarem o percentual de vacinação.

CPI da Pandemia vai investigar atos do Governo Federal no combate à Covid-19

O ministro do Supremo Tribunal Federal (STF), Luís Roberto Barroso, decidiu pela instalação da CPI da Pandemia. A CPI foi requerida por parlamentares. O objetivo da comissão é investigar as ações e possíveis omissões do governo Bolsonaro no combate à pandemia do coronavírus.

A abertura da investigação no Congresso bate à porta do Palácio do Planalto no momento em que o Brasil enfrenta recordes diários de óbitos pela Covid-19, sem sinais de diminuição do ritmo de contaminação ou de aceleração da vacinação.

Além da crise sanitária, o governo federal enfrenta um cabo de guerra com o Centrão, que vem cobrando a conta desde o apoio bem-sucedido para eleger Pacheco, no Senado, e  Arthur Lira (PP-AL), como presidente da Câmara dos Deputados.

Entregue em fevereiro, o pedido da oposição já havia preenchido todos os requisitos, mas o presidente do Senado, Rodrigo Pacheco (DEM-MG), eleito ao cargo com apoio do presidente, vinha resistindo em instalá-la.