Prefeitura de Ribamar vacina crianças contra a Covid-19, a partir de hoje, 17

Nesta segunda-feira (17), a prefeitura de São José de Ribamar iniciará a vacinação contra a Covid-19 em crianças de 5 a 11 anos.

Inicialmente, a vacinação acontecerá de segunda a sexta, 8h às 17h, no Liceu Ribamarense I, sendo ampliada para outros pontos em breve.

As crianças devem comparecer acompanhadas dos pais ou responsáveis, portando certidão de nascimento ou RG e documento médico que comprove a deficiência ou comorbidade.

Nesta primeira etapa, serão imunizadas crianças de 5 a 11 anos, com as seguintes comorbidades ou deficiências:

implantados;
Talassemia;
Síndrome de Down;
Diabetes Mellitus; Pneumopatias crônicas graves;
Hipertensão arterial;
Doença cerebrovascular Insuficiência cardíaca; cardíaca;
Cor pulmonale;
Hipertensão pulmonar;
Cardiopatia hipertensiva;
Valvopatias;
Miocardiopatias e pericardiopatias;
Doença da aorta, dos grandes vasos e fístulas arteriovenosas;
Arritmias cardíacas;
Próteses valvares e dispositivos cardíacos;
Doença renal crônica;
Imunossuprimidos (incluindo pacientes oncológicos)
Anemia falciforme;
Obesidade mórbida;
Cirrose hepática;
HIV;
Deficiência física;
Neurodiversos (TDAH, TEA e deficiência Intelectual).

Ribamar começa a vacinar crianças contra a Covid-19, na segunda (17)

Nesta segunda-feira (17), São José de Ribamar iniciará a vacinação contra a Covid-19 em crianças de 5 a 11 anos.

Nesta primeira etapa, serão imunizadas crianças de 5 a 11 anos, com as seguintes comorbidades ou deficiências:

implantados;
Talassemia;
Síndrome de Down;
Diabetes Mellitus;
Pneumopatias crônicas graves;
Hipertensão arterial;
Doença cerebrovascular;
Insuficiência cardíaca;
Cor pulmonale;
Hipertensão pulmonar;
Cardiopatia hipertensiva;
Valvopatias;
Miocardiopatias e pericardiopatias;
Doença da aorta, dos grandes vasos e fístulas arteriovenosas;
Arritmias cardíacas;
Próteses valvares e dispositivos cardíacos;
Doença renal crônica;
Imunossuprimidos (incluindo pacientes oncológicos)
Anemia falciforme;
Obesidade mórbida;
Cirrose hepática;
HIV;
Deficiência física;
Neurodiversos (TDAH, TEA e deficiência Intelectual).

Inicialmente, a vacinação acontecerá de segunda a sexta, 8h às 17h, no Liceu Ribamarense I, sendo ampliada para outros pontos em breve.

As crianças devem comparecer acompanhadas dos pais ou responsáveis, portando certidão de nascimento ou RG e documento médico que comprove a deficiência ou comorbidade.

80% das internações por Covid-19 são de não vacinados, diz secretário de Saúde

O secretário de Estado da Saúde (SES), Carlos Lula disse que, 80% dos casos de internação por Covid-19 no Maranhão são de pessoas que não completaram o ciclo de vacinal. Ele orientou para que todos se vacinem, pois, mesmo pegando a doença após a imunização, os sintomas são muito leves e não há necessidade de internações.

“Faço um apelo a todos que, ou não vacinaram, ou não completaram o ciclo, que completem, se vacinem, tomem a dose de reforço. Quem ainda não tomou, temos vacina também para este público. 80% das internações atuais, são de não vacinados”, afirmou Carlos Lula.

O secretário reforçou a importância da vacina para evitar internações. “Quem toma a segunda dose da vacina e ainda assim, pega a Covid-19, consegue sim, transformá-la em uma ‘gripezinha’. Vacinado, a doença pouco afeta. E também, é importante que possamos diminuir o número de internações. As pessoas estão passando bem, graças a Deus, em razão da vacinação que conseguimos efetuar”, frisou

Segundo o último boletim epidemiológico, divulgado pela SES, 104 pessoas estão internadas em enfermaria e 80 em UTI. A taxa de ocupação de leitos de UTI exclusivos para Covid na Grande Ilha é de 52% e 48,75% de ocupação em leitos clínicos. Nas demais regiões, a ocupação em UTI é de 53,33% e 31% em leitos clínicos.

Covid-19: Vacinação de crianças deve começar em janeiro

O Ministério da Saúde informou, que a vacinação de crianças de 5 a 11 anos contra a covid-19 deve começar em janeiro de 2022. Em nota, a pasta declarou que a recomendação é para inclusão da faixa etária no Plano Nacional de Imunização.

Segundo o ministério, a posição favorável à vacinação poderá ser formalizada no dia 5 de janeiro, após o fim do prazo da consulta pública aberta para tratar da questão, se a recomendação for mantida.

“A recomendação do Ministério da Saúde é pela inclusão das crianças de 5 a 11 anos na Plano Nacional de Operacionalização da Vacinação contra a Covid-19 (PNO), conforme posicionamento oficial da pasta declarado em consulta pública no dia 23 de dezembro e reforçado pelo ministro da Saúde em manifestações públicas”, diz a nota.

No dia 16 de dezembro, a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) aprovou o uso da vacina produzida pelo consórcio Pfizer-BioNTech em crianças com idade de 5 a 11 anos.

Secretário de Saúde afirma que não há casos da variante da Covid-19 no Maranhão

O Maranhão não possui registros de casos da variante da Covid-19 – a ômicron. A notícia foi dada pelo secretário de Estado de Saúde (SES). Ele informou ainda que a situação está sendo acompanhada e o estado cumpre todas as recomendações sanitárias.

Reunião com representantes do Ministério da Saúde está marcada para discutir o tema e alinhar estratégias, informou Carlos Lula.

Ele ressaltou que o momento é de cautela e atenção. “Não temos casos confirmados, mas, há pelo menos uma pessoa no Brasil. Esta semana, teremos reunião com o ministro da Saúde e representantes das secretarias municipais. É um momento de todo mundo se manter, mais uma vez, em alerta”, frisou Carlos Lula.

O secretário disse ainda que foi estipulado um prazo de 15 dias para que se saiba as consequências da ômicron e o nível de escape da vacina.

Decreto estadual determina às empresas que atuem no desembarque de pessoas, informem à SES, ao Centro de Informações Estratégicas de Vigilância em Saúde (Cievs) e também à Agência Nacional de Vigilância Sanitária, sobre casos suspeitos.

São José de Ribamar aplica mais de 30 mil doses contra a Covid-19

A Prefeitura de São José de Ribamar, por meio da Secretaria Municipal de Saúde (SEMUS), vem se empenhando para vacinar a população. A quantidade de doses aplicadas chegou a 30.355, sendo 22.509 primeira dose e 7.846 segunda dose.

Com a nova remessa de doses recebidas pelo Ministério da Saúde, a cidade chegou a 70.521 doses recebidas. Para acelerar o processo, a vacinação segue no formato de força tarefa e está imunizando a população em geral de 55 a 59 anos e grupos prioritários.

Desde o começo da força tarefa de vacinação, no dia 26 de maio, foram aplicadas 3.113. Desse total, 1.012 doses foram aplicadas só no dia 1º de junho.
Os grupos, idade e cronograma de vacinação são atualizados toda semana, de acordo com a quantidade de doses no estoque.

Na sexta-feira (4), a prefeitura segue vacinando no Liceu Ribamarense I e III, Escola Municipal Alto do Turu e SESI Araçagy, das 8h às 16h. No sábado (5), a imunização ocorre das 8h às 13h no Liceu Ribamarense I, e das 8h às 12h no SESI Araçagy.

Vereadores debatem sobre percentual de vacinados em São Luís

Foto: Leonardo Mendonça

Na sessão ordinária remota desta quarta-feira (2), os vereadores Astro de Ogum (PCdoB) e Dr. Gutemberg (PSC), debateram sobre o percentual de vacinados contra a COVID-19 na capital, discutindo possíveis explicações para o crescente número de internados em leitos de UTI, mesmo com o aumento no número de vacinações.

No primeiro momento do debate, o vereador Dr. Gutemberg relembrou a recente declaração feita pelo prefeito Eduardo Braide (Podemos) de que São Luís será a primeira capital a vacinar toda a sua população no Brasil, enfatizando o desafio que o gestor municipal tem pela frente. “Tenho certeza que ele dará conta deste grande compromisso”, afirmou o parlamentar.

Em seguida, o vereador Astro de Ogum questionou sobre o número de vacinados na capital, apontando que, nos últimos dias, houve piora no número de internações. O parlamentar alertou sobre o desrespeito da população às normas estabelecidas pela gestão estadual quanto ao número de pessoas permitidas em eventos. “Onde houve autorização de até cem pessoas, vimos lugares com mil. Tem que haver maior fiscalização”, afirmou.

Ao retomar a palavra, o vereador Dr. Gutemberg apresentou os dados referentes à vacinação no Maranhão e em São Luís, indicando que foram 1.759.701 pessoas vacinadas no Estado, e 20 a 23% da população vacinada na capital.

“Nosso quadro só vai mudar e só teremos maior tranquilidade quando vacinarmos 70% da população. Temos um caminho longo a percorrer. Um grande benefício que observamos, é cada vez menos idosos internados nas UTIs, porque já foram vacinados. Hoje, a faixa etária que mais ocupa leitos de UTI é de 30 a 50 anos. Semana que vem, o calendário de vacinação irá avançar para pessoas mais jovens”, informou o vereador.

No debate, Dr. Gutemberg relembrou que, mesmo que haja medidas de fiscalização, o Poder Executivo Municipal e Estadual não têm como fiscalizar toda a população, de modo que cabe às pessoas a conscientização sobre o momento de pandemia que estamos vivendo e a necessidade de manter os cuidados para evitar a transmissão com o novo Coronavírus.

Covid-19: Jornalistas vão ser vacinados no Maranhão


O governador do Maranhão Flávio Dino (PCdoB), anunciou nesta sexta-feira (28) que irá iniciar na próxima segunda-feira (31), a vacinação dos profissionais de comunicação.

A solicitação foi feita pelo Sindicato dos Jornalistas e por vários profissionais da comunicação que fizeram um movimento para chamar atenção da necessidade da imunização do profissional que não parou o trabalho em nenhum momento durante a pandemia. A vacinação dos profissionais da comunicação vai ocorrer nas próprias empresas através do envio de equipes de saúde do Governo do Maranhão.

Flávio Dino garantiu que todas as empresas de comunicação envolvendo jornais impressos, televisão, rádio e demais que estão inclusas no grupo. Isso envolve todos os profissionais, desde o porteiro até os jornalistas.

Quando as ações demoram muito mais que o discurso

A barreira sanitária prometida no Aeroporto Hugo Machado, em São Luís, ainda não foi iniciada. Nem tão pouco no terminal Rodoviário ou Ferroviário. O saguão do aeroporto permanece com a mesma rotina, nesta terça-feira (25), sem ao menos verificação de temperatura daqueles que circulam pelo local.

O ministro da Saúde Marcelo Queiroga veio ao Maranhão por conta da confirmação da variante indiana em tripulantes do navio ancorado em alto mar na costa do estado, e trouxe com ele 600 mil testes rápidos de COVID-19. Mas os testes sequer chegaram aí almoxarifado da secretaria estadual da Saúde.

No discurso, a promessa de ações enérgicas e teoricamente intensas, bem diferente da prática que é marcada pela lentidão da execução das medidas anunciadas.

O que se espera é mais ação e menos discurso…

Confirmado: Variante indiana entra no Brasil pelo Maranhão

O governador do Maranhão Flávio Dino anunciou nesta quinta-feira (20) que a variante indiana da COVID-19 entrou no Brasil pelo Maranhão.

O indiano de 54 anos entrou no Brasíl na última sexta-feira (13) e foi internado em um hospital da rede privada de São Luís com sintomas do novo coronavírus (Covid-19. Segundo a SES, o fato foi informado pela Agência Nacinal de Vigilância Sanitária (Anvisa). O paciente é um dos tripulantes do navio “MV SHANDONG DA ZHI”, que saiu da Cidade do Cabo, na África do Sul, com destino a São Luís. O indiano começou a sentir os sintomas da doença em 4 de maio e teve febre.

Por conta do quadro, o indiano foi encaminhado em um helicóptero para um hospital da rede privada por determinação da equipe médica. O indiano segue internado e outros dois que também foram retirados do navio para tratamento já voltaram para a embarcação.

Na noite de segunda-feira (17), subiu para 15 o número de tripulantes que foram diagnosticados com Covid-19 dentro do navio “MV SHANDONG DA ZHI”, que foi fretado pela Vale para transportar minério de ferro e está ancorado na costa maranhense.

As amostras de cada paciente foram encaminhadas ao Laboratório Central de Saúde Pública do Maranhão (Lacen) e para o Instituto Evandro Chagas (IEC), em Belém, no Pará, onde foi realizado o sequenciamento genômico para determinar qual é a variante do coronavírus presente em cada um deles.