Greve dos rodoviários a partir desta terça-feira (29)

O Sindicato dos Rodoviários do Maranhão confirmou que a paralisação da categoria está mantida para amanhã (29). Em comunicado, nesta segunda-feira (28), o presidente da entidade, Marcelo Brito, ressaltou que a greve total foi votada em assembleia geral da categoria e vai ser cumprida. O movimento vai impactar no transporte público de São Luís e demais cidades da Região Metropolitana.

“Os empresários, até então, não apresentaram qualquer proposta que atenda aos trabalhadores. Um total descaso e desrespeito com a população e, principalmente, com os rodoviários, uma categoria que, assim como todas as outras, merece ter os seus direitos garantidos”, frisou o presidente da entidade, Marcelo Brito, em comunicado.

Mês passado, os rodoviários haviam parado 100% da frota, mas a Justiça do Trabalho determinou a manutenção de 60% dos coletivos nas ruas. Desde o dia 16 de fevereiro, cerca de 800 mil usuários do transporte coletivo da Região Metropolitana de São Luís vivem com o estado de greve da categoria.

Reivindicações

Os rodoviários reivindicam índice de 15% de reajuste salarial, ticket alimentação no valor de R$ 800,00 e manutenção do plano de saúde pelas empresas componentes da categoria patronal do dissídio. Pedem ainda, o pagamento das diferenças resultantes desse percentual nos salários e no ticket alimentação dos membros da categoria profissional, retroativamente a janeiro de 2020 (data-base).

São Luís ficará sem ônibus na quarta-feira (16)

O Sindicato dos Trabalhadores do Transporte Rodoviário do Maranhão (Sttrema) anunciou paralisação da frota de ônibus, por tempo indeterminado, a partir de 0h desta quarta-feira (16). A medida foi tomada após reunião da categoria, realizada hoje (15). A paralisação atinge a capital e demais cidades da Grande Ilha.

Rodoviários afirmam que os patrões estão descumprindo cláusulas econômicas da nova Convenção Coletiva de Trabalho com vigência para 2022.

“Mais uma vez, os patrões foram para a audiência, sem uma proposta que atenda as reivindicações dos trabalhadores. A classe empresarial, alega não ter receita para garantir o reajuste salarial e aumento no valor do ticket alimentação”, comunicou o sindicato

Em outubro do ano passado os Rodoviários deflagraram a maior greve geral já registrada na Grande Ilha de São Luís, quando 100% dos ônibus não rodaram por 12 dias.

Rodoviários e SET vão reunir em audiência

O Ministério Público do Trabalho (MTP) convocou o Sindicato dos Rodoviários do Maranhão e o Sindicato das Empresas de Transportes (SET),  audiência de mediação. O encontro será nesta quinta-feira (10), na sede do órgão, bairro Calhau, a partir das 9h40.

O objetivo é que as entidades cheguem a acordo sobre direitos trabalhistas e não haja greve do serviço de transporte coletivo.

O procurador do MTP, Marcos Rosa vai conduzir as conversas, para chegar a um entendimento, no que refere à Convenção Coletiva de Trabalho. Segundo a categoria de trabalhadores, foram várias as tentativas com o SET para se chegar a um acordo, mas não houve contraproposta.

No último dia 2, em assembleia geral, os rodoviários decidiram decretar estado de greve. Caso não haja acordo nessa audiência, a paralisação pode ser decretada.

Greve de coletivos chega ao segundo e audiência deve definir impasse

Está marcada para hoje, 22, uma audiência de mediação entre o Sindicato das Empresas de Transporte (SET) e o Sindicato dos Trabalhadores em Transportes Rodoviários no Estado do Maranhão (STTREMA).

A audiência será às a partir das 10h30, na sede do Ministério Público do Trabalho no Maranhão (MPT-MA) e deve resolver o impasse entre as duas categorias, pelo fim da greve. Desde a madrugada de quinta (21), o transporte coletivo está paralisado.

Os rodoviários chegam ao segundo dia da greve e a categoria mantém a decisão de permanência do movimento. Eles afirmam que os donos das empresas não cumprem com uma Convenção Coletiva de Trabalho que prevê uma série de direitos aos motoristas, por parte das empresas de transporte.

Direitos

As reivindicações incluem reajuste nos salários em 13%, jornada de trabalho de seis horas, tíquete-alimentação no valor de R$ 800, manutenção do plano de saúde e a inclusão de um dependente, e concessão do auxílio-creche para trabalhadores com filhos pequenos.

Determinação

No mesmo dia, o desembargador federal do Trabalho, Francisco Jose de Carvalho Neto, determinou o retorno imediato de 90% dos coletivos da capital, após a greve deflagrada pelos motoristas de ônibus.

Francisco Jose também determinou o envio de ofícios à Polícia Federal e ao Ministério Público Federal em decorrência de possível de desobediência, e outros virtuais tipos penais, caso não haja cumprimento da decisão judicial.

Punição

O prazo máximo dado pelo desembargador para a volta dos coletivos às ruas foi até as 23h59 dessa quinta. A partir desse horário já seria caracterizada a desobediência. Os grevistas também estão sujeitos a bloqueio judicial no valor de R$ 50 mil, por dia.

Empresa de ônibus suspende atividade, nesta terça-feira(19)

Um total de 25 linhas de transporte coletivo estão paradas, após protesto de rodoviários, nesta terça-feira (19). Os funcionários se concentram na porta da empresa de ônibus Ratrans, localizada na Avenida Casemiro Júnior, bairro Santa Cruz, na capital. Nenhum ônibus saiu da garagem da empresa. Os funcionários afirmam que a empresa não está cumprindo os direitos trabalhistas, vigorados pela Convenção Coletiva de Trabalho.

Eles reivindicam pagamento do salário, que estaria atrasado; e a volta dos tickets alimentação, que foi suspenso pelos empresários. Ainda segundo os rodoviários, eles não têm férias há cinco anos; e estão sem depósito do Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS) há oito anos. Os rodoviários dizem que só devem retornam às suas funções, quando todas as reivindicações forem atendidas.

A Secretaria Municipal de Trânsito e Transportes (SMTT), em nota, informou que não foi comunicada da paralisação e que, de forma emergencial, está remanejando frota de outras concessionárias para que a população seja atendida.

Sindicato dos Rodoviários promete paralisação para a próxima segunda

Em nota, o Sindicato dos Rodoviários do Maranhão concluiu a entrega de ofícios destacando a paralisação do sistema de transporte público na capital maranhense, na próxima segunda- feira (15).

O documento foi encaminhado, entre outros órgãos, para a Agência de Mobilidade Urbana (MOB), Ministério Público do Trabalho, Secretaria Municipal de Trânsito e Transportes, sindicato patronal (SET). Além dos órgãos, o ofício também foi entregue para o Prefeito de São Luís.

A paralisação dos ônibus na Grande São Luís, foi decidida pelos trabalhadores Rodoviários, em Assembleia Geral no último dia 5. A greve é motivada por sucessivos descumprimentos da Convenção Coletiva de Trabalho vigente e pelo desinteresse e total omissão do SET em negociar as cláusulas da nova Convenção.