Congresso nacional do PC do B reúne lideranças políticas até de outros partidos

Reunindo lideranças dos movimentos sociais, autoridades e lideranças políticas de diversos partidos, o ato do 14º Congresso do PCdoB, realizado neste sábado (18), transcendeu o encontro da legenda e se transformou num grande movimento das forças populares em defesa dos interesses nacionais e contra o retrocesso do governo de Michel Temer.

“Somos retalhos de uma mesma colcha e os nossos militantes serão os costureiros da unidade”, sintetizou a pré-candidata do PCdoB à Presidência da República, ao se referir aos partidos presentes no ato, que contou com representantes do PDT, PT, PSB, PV e PPS. O ex-presidente Lula esteve no encontro no domingo (19), no encerramento do Congresso.

“Não tentem nos dividir”, advertiu Manuela, numa clara referência ao discurso propagado por parte da grande mídia de que a sua pré-candidatura seria para dividir o campo progressista ou atrapalhar as pretensões de outros pré-candidatos.

“Não tentem dividir aos homens e mulheres que estão neste palco e que vivem o que significa a desconstrução veloz do Estado brasileiro. Não tentem dividir aqueles que trabalham e sabem o valor da CLT. Não tentem dividir as mulheres e homens que estão nas universidades ou institutos federais e sabem o que significa a Emenda Constitucional 95. Não tentem dividir aqueles que sonham com um Brasil soberano, desenvolvido e justo para o seu povo”, reafirmou a deputada gaúcha.

E completa: “Nós, do PCdoB, sempre fomos aqueles que soubemos o valor da unidade. Não será num momento de busca de saídas de uma crise tão severa que faltaremos com o compromisso com a bandeira e os sonhos de um Brasil justo e soberano”.

Legitimidade

A presidenta nacional do PCdoB, deputada Luciana Santos (PE), asseverou que 2018 será a grande arena de debate no país. “O PCdoB defende a legitimidade da campanha de Lula. Assim como é legítima a candidatura de Ciro Gomes. E é nessa mesma seara que o PCdoB, um partido de 95 anos, apresenta pela terceira vez na sua história, uma pré-candidatura a presidente da República com Manuela D’Ávila”, disse a dirigente comunista.

E acrescenta: “Todas são candidaturas estão a serviço da retomada do projeto nacional e popular. A serviço de uma frente ampla que discuta o Brasil e possa dar garantias de que esse pais tem saídas e a nação não se renderá e vai assegurar a retomada do projeto nacional e popular”.

PDT e Ciro

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *