Roseana demarca território político com participação da velha guarda do grupo Sarney

A reunião para confirmação da pré-candidatura ao governo de Roseana Sarney (MDB) foi marcada pela presença dos já conhecidos e fiéis políticos do grupo Sarney. O encontro foi realizado na casa da família, no Calhau, com a participação de parlamentares, prefeitos e correligionários.

Entre os parlamentares estiveram os deputados estaduais Adriano Sarney, César Pires, Edilázio Júnior, Roberto Costa, e a deputada Luana Costa. Victor Mendes chegou atrasado devido a um problema ocorrido no veículo em que viajava.

Roseana anunciou a continuidade da pré-candidatura e reafirmou os nomes de Sarney Filho e Edison Lobão para disputarem vaga ao Senado, mas o nome do pré-candidato à vice ficou só na expectativa.

O professor e especialista em política, Marcos Saldanha, falou ao blog sobre a composição de chapa, e ressaltou que a vacância possa ser uma estratégia para agregar novo partido ao grupo. “Roseana Sarney ainda não anunciou o nome do vice, ela deve contar com a possibilidade de algum partido para compor chapa. Inclusive o grupo contou com isto o ano todo, com possibilidade do o PP, por exemplo, o PR, ou sobretudo o DEM. Eles tinham muito interesse no DEM fosse junto com eles, ou PTB, enfim. Manter a vaga aberta de vice, cogita-se, que possa ser para tentar aguardar alguém que, insatisfeito com grupo do Dino, saí em busca da vaga de vice”, disse o especialista.

Dos prefeitos de cidades maranhenses, quatro compareçam ao encontro. São eles: os prefeitos de Rosário, Irlahi Linhares; de São Pedro dos Crentes, Lahesio Rodrigues do Bonfim; de Magalhães de Almeida, João Candido Carvalho Neto; e de Imperatriz, Delegado Assis. Ausência estranha do prefeito de Barreirinhas, Albérico Filho, que é primo do ex-presidente José Sarney. O prefeito de Barreirinhas que teve, recentemente, pedido de afastamento do cargo feito pelo Ministério Público do Maranhão por atos de improbidade administrativa.

Ricardo Murad que é pré-candidato ao governo, e antigo aliado do grupo, também não compareceu.

Marcos Saldanha descreve o momento de hoje, da convocação dos aliados políticos, como uma “demarcação política” importante para o grupo Sarney. “A confirmação de sua [Roseana Sarney] pré-candidatura é muito mais uma demarcação política, evita uma debandada do grupo. Ou uma demarcação no intuito de eleger o irmão [Sarney Filho] senador. O grande problema dela candidata é que ela vai precisar participar de um debate com um governo que está num primeiro mandato, tentando um segundo, contra um governo dela que tem muitos anos, muitos erros no passado. Isso quando você coloca uma coisa ao lado da outra, precisa saber quem vai explorar melhor estas condições, se o Flávio Dino, ou se ela vai conseguir contrastar entre erros e acertos”, ressaltou o especialista.

Outro ponto que não foi destacado no encontro foi o apoio nacional. O nome de Lula chegou a ser citado e foi  ressaltado um cenário de desenvolvimento do país.

O especialista também falou sobre a disputa quando se coloca ao lado de prováveis presidenciaveis. “Pesa sobre a Roseana Sarney uma coisa que é muito delicada, que é o fato dela ser do MDB e tem um atual presidente com alto índice de rejeição. Estamos falando de algo em torno de 87% de rejeição. E quando ela é pré-candidata ao governo do estado aqui, o Temer mesmo que ele não seja candidato ele vai apoiar alguém, e este alguém vem para o palanque de Roseana Sarney aqui, ou seja, ela terá que pedir votos pro candidato à presidência do MDB. É muito difícil isso, porque o cidadão, o eleitor, está vendo a dificuldade: preço de gasolina; a crise econômica; a questão trabalhista; e o desemprego nacional. Esta coisa estar colada ao Temer, então o maior desafio dela vai ser ficar descolada.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *