Com pouco dinheiro para campanha, número de candidatos cai 20% no MA

Encerrado o prazo para a confirmação dos pedidos de candidaturas para as eleições gerais de 7 de outubro, a Justiça Eleitoral divulgou as estatísticas daqueles que pretendem sair das urnas com vagas garantidas no Legislativo e Executivo. No Maranhão foram registrados 714 pedidos, número 20% menor do que há quatro anos, quando também houve eleições gerais.

O perfil da maioria dos candidatos que disputarão o pleito aqui no Estado: homem, casado, entre 40 e 44 anos, com curso superior completo e empresário.

São seis candidatos a governador, respectivamente seis a vice; 11 ao Senado, com 11 na 1ª suplência e mais 11 à 2ª suplência; 197 disputam as 18 vagas à Câmara Federal e 472 à Assembleia Legislativa – são 42 vagas.

O partido que mais registrou candidaturas foi o PSL, 83. Por sua vez, o com menos pedido de candidaturas foi o PCO, apenas uma, a deputado estadual.

Em pleno 2018, onde os movimentos feministas têm bastante repercussão na sociedade, ainda é pequena a representatividade do gênero. No Maranhão, apenas 215 (30%) pedidos de candidaturas são de mulheres e a ampla maioria 499 (69,9%) de homens. Em relação à faixa etária, o maior quantitativo (15,97%) tem entre 40 e 44 anos, e o menor (apenas um), tem 19 anos.

A maior parte, 47,62%, disse ter cor parda; 279 branca; 92 preta; e somente três indígenas.

Em relação ao grau de instrução, 339 (47,48%) possuem ensino superior completo e um (0,14%) declarou-se analfabeto, enquanto que três (0,42%) disseram apenas ler e escrever.

Já em relação à ocupação um fato curioso: 49 declaram ter como ocupação principal ser deputado. Ou seja, nem levaram em conta suas respectivas formações! Ainda neste quesito, 11,9% (85) dos pedidos de candidaturas são de empresários e 3,78% (27) são comerciantes.

A partir de agora começa o período em que o membros do TRE deferem ou não os pedidos de candidatura. Em termos comparativos, em 2014, das 895 candidaturas solicitadas, apenas 725 foram consideradas aptas a disputar o pleito.

As estatísticas completas podem ser consultadas no site tse.jus.br.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *