Aumenta o número de pessoas em situação de extrema pobreza no Governo Michel Temer

Foto: Agência Brasil/Antônio Cruz

O Brasil ficou mais pobre em 2017, é o que diz o levantamento do IBGE divulgado nesta quarta-feira (05) que aponta aumento do número de pessoas em situação de extrema pobreza durante o governo Michel Temer, atingindo 15,2 milhões, os dados são da Síntese dos Indicadores Sociais (SIS), 

De acordo com o levantamento, a quantidade de pessoas em situação de extrema pobreza no Brasil passou de 13,5 milhões em 2016 (ou seja, 6,6% da população) para 15,2 milhões em 2017 (7,4% da população).

O salto, que representa um crescimento de 13% e de quase dois milhões de pessoas em um ano, é calculado a partir da definição de extrema pobreza do Banco Mundial (BM), que considera pessoas com renda inferior a US$ 1,90 por dia (cerca de R$ 7,33), o equivalente a R$ 140 por mês.

A pesquisa também avaliou o número de pessoas atingidas pela pobreza, que abrange brasileiros com rendimento inferior a US$ 5,5 por dia (cerca de R$ 21,23), o equivalente a R$ 406 mensais.   Entre eles, o crescimento foi de quase 4%: eram 52,8 milhões de pobres em 2016 (25,7%) da população) que, em 2017, somaram 54,8 milhões (26,5% da população total).

POBREZA NO BRASIL É MAIOR NO NORDESTE

Entre as pessoas em situação de pobreza no Brasil, quase metade mora no Nordeste, com 14,7% dos nordestinos que estavam vivendo em extrema pobreza em 2017 contra 13,2% no ano anterior. Entre a população em situação de pobreza, o Nordeste abrange quase metade do índice: tem mais de 25 milhões de nordestinos nessas condições, enquanto o número total do Brasil é de 54,8 milhões.

Ainda na região nordeste, a maior proporção de pobres está localizada no Maranhão, que tem mais da metade da população abaixo da linha da pobreza. Acre, Amazonas, Pará, Amapá, Piauí, Ceará, Alagoas e Bahia também estão entre os estados que tem quase metade das pessoas em situação de pobreza.

A região Sul é a que apresenta a menor taxa de pessoas em extrema pobreza. Mesmo assim, o número aumentou na comparação de 2016 com 2017: eram 2,4% e passou para 2,9%, respectivamente. O menor percentual de pobres fica no estado de Santa Catarina, que tem 8,5% da população vivendo com menos de R$ 406 por mês. Nos outros estados, o índice ficou acima de 13%.

De acordo com o IBGE, A pobreza extrema aumentou em todas as regiões, com exceção da região Norte.

*Com informações da Agência Brasil

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *