Flávio Dino critica Reforma da Previdência de Bolsonaro: “impõe ônus ainda maior sobre os mais pobres”

O governador do Maranhão, Flávio Dino (PCdoB), usou as redes sociais nesta segunda-feira, 4 de fevereiro, para questionar a eficácia da Proposta de Emenda à Constituição (PEC) de Reforma da Previdência que o governo Jair Bolsonaro (PSL) deve enviar ao Congresso Nacional ainda este mês.

Divulgado com exclusividade pelo jornal O Estado de São Paulo, a PEC prevê, por exemplo, obrigatoriedade mínima de 65 anos para homens e mulheres se aposentarem e 40 anos de trabalho para aqueles que quiserem obter 100% do benefício.

Caso seja aprovada no Parlamento, a Reforma da Previdência de Bolsonaro deve acabar com a aposentadoria por contribuição, já que a PEC prevê a criação de um sistema de capitalização obrigatório, onde cada trabalhador deverá depositar percentual dos seus salários para custear seus benefícios na aposentadoria.

Para o governador maranhense, a proposta é “inaceitável”, já que castigaria os mais pobres, aliviando os grandes capitalistas.

“É absolutamente inaceitável uma proposta de reforma da Previdência que impõe ônus ainda maior sobre os mais pobres. Enquanto isso, nada sobre bilionários e ganhos do capital?”, criticou Dino.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *