Mais de 500 mil documentos da redemocratização brasileira ganham versão digital

Arquivos presidenciais do primeiro governo civil brasileiro pós-ditadura militar, documentos do Senado Federal dos anos 2000 e relíquias documentais do Governo do Maranhão da década de 1960 começaram a ser disponibilizados em formato digital para acesso público no site da Fundação da Memória Republicana Brasileira (FMRB). Também entram no processo de ‘arquivamento eletrônico’, 40 mil livros e cinco mil obras de arte do acervo da FMRB.

A digitalização do acervo ainda está em fase inicial e deverá prosseguir pelos próximos anos. “O conteúdo já está sendo disponibilizado ao público de forma lenta e gradual à medida que o trabalho evolui. É um trabalho lento que irá demorar muitos anos, mas esse processo é normal”, explica o assessor da FMRB, Madson Fernandes.

O trabalho está sendo gradualmente disponibilizado no site da FMRB (www.fmrb.ma.gov.br), por meio da Plataforma Tainacan, ferramenta em código aberto que atua na gestão de acervos culturais, arquivos, bibliotecas e cinematecas.

Desenvolvido em 2014 pela Universidade Federal de Goiás (UFG), em parceria com o extinto Ministério da Cultura, o Projeto Tainacan atualmente auxilia na democratização dos acervos virtuais de casas como o Museu Histórico Nacional, do Rio de Janeiro, e o Museu da Inconfidência, de Minas Gerais.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *