Maranhão em ação nacional para coleta de DNA de familiares de desaparecidos

Integrando a Campanha Nacional de Coleta de DNA de Familiares de Pessoas Desaparecidas, a Secretária de Estado de Segurança Pública (SSP-MA), por meio da Perícia Oficial de Natureza Criminal, órgão da Polícia Civil, realizou cerimônia marcando início das coletas de material genético deste segmento. O evento, nesta sexta-feira (11), na sede da SSP-MA, bairro Vila Palmeira, destaca a iniciativa do Ministério da Justiça e Segurança Pública (MJSP), executada em todo em país, em parceria com os estados.

Na ocasião, o titular da SSP-MA, Jefferson Portela, pontuou a importância da campanha e o engajamento dos estados. “Temos um grave problema humano de pessoas que desaparecem todo dia, em todo o planeta. As famílias entram em processo permanente de sofrimento. Muitas vezes, são casos de tráfico internacional de seres humanos, buscas por extração de órgãos e algo muito triste, que é o desaparecimento da pessoa, sem muita informação”, frisa.

Os dados a serem coletados com a campanha vão compor um banco nacional, para comparação com dados de eventuais pessoas encontradas, com fins à checagem científica do dado e a correspondência com os laços familiares. “É importante que a Perícia Oficial do Maranhão disponibilize esse serviço à sociedade maranhense. Conhecemos aqui pessoas com parentes desaparecidos e sabemos o sofrimento que isso gera. É um dever de busca permanente e a contribuição da família é fundamental nesse processo”, frisou Portela.

As coletas serão realizadas de 14 a 18 junho, em todo o país. No Maranhão poderão ser coletadas no Instituto de Genética Forense (IGF), no Instituto Médico Legal de São Luís (IML) e no Instituto de Perícia para a Criança e Adolescente (IPCA), em São Luís; e também nos interiores, no Instituto de Criminalística de Imperatriz e de Timon. Somado a estes, a Perícia Oficial terá ainda ponto de coleta especial na Praça Deodoro, onde tenda será montada para receber familiares de pessoas desaparecidas.

Todo o material coletado será armazenado no Banco Nacional de Perfis Genéticos, no qual será cruzado, por meio de material genético do próprio familiar ou de algum item de uso pessoal do desaparecido. O serviço de coleta de DNA dos familiares será permanente. Após o fim da campanha nos locais citados, a Perícia Oficial dará continuidade às coletas. A ação nacional tem parceria da Polícia Federal e Ministério Público.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *