Márcio Jerry presta contas e ouve sugestões de moradores da zona rural de São Luís

Ao lado do vereador Astro de Ogum (PR), o deputado federal Márcio Jerry (PCdoB) participou, na tarde desta segunda-feira (20), de uma roda de conversa com mais de 100 lideranças da zona rural de São Luís. Além de prestar contas do mandato, o deputado necessidades da comunidade e sugestões de como o poder público poderia ajudar no desenvolvimento da região.

“Eu saio da reunião muito satisfeito com o resultado. Esses encontros sempre me deixam animado e, entre outros pontos, vou apresentar as demandas que competem ao Estado para o governador Flávio Dino. Na próxima semana vamos andar pelos povoados, encontrar temas mais importantes para atender o coletivo e acelerar o processo para que essas pessoas alcancem seus direitos”, afirmou Jerry.

O deputado também firmou compromisso em “retribuir a confiança” que recebeu dos eleitores da zona rural da capital “com trabalho”. “Nós vamos fazer essa itinerância, identificar os problemas, montar uma agenda de trabalhos com coordenação do vereador Astro de Ogum, para traduzir nosso mandato em serviço para a população. Tenho consciência que não vamos conseguir resolver todos os problemas, mas o critério da verdade é a prática. Vamos poder chegar numa próxima reunião e apresentar o que conseguimos alcançar, o que não conseguimos, e traçar metas para continuar avançando”, completou.

Mais um encontro entre Flávio Dino e Fernando Henrique Cardoso

O Governador Flávio Dino (PCdoB) se reuniu nesta segunda-feira (20) com o ex-presidente Fernando Henrique Cardoso (PSDB)  e o governador do Rio Grande do Sul, Eduardo Leite (PSDB).

O encontro foi na Fundação Instituto Fernando Henrique Cardoso (iFHC), em São Paulo.

A reunião aumenta as especulações sobre a possível candidatura do governador do Maranhão a presidência da República.

E esta não é a primeira vez que Dino tem encontro com o ex-presidente. Na semana passada o comunista esteve com o ex-presidente Lula (PT) e também já esteve com o ex-presidente José Sarney.

As reuniões do governador do Maranhão com vários política articulados nacionalmente fazem parte das estratégias para vencer o presidente Jair Bolsonaro nas eleições de 2022.

Sobre a reforma tributária ‘é o mesmo chassi, só muda a carroceria’, afirma Roberto Rocha

Os parlamentos só voltam plenamente ao funcionamento em fevereiro deste ano, mas já traçam prioridades para a volta do recesso. O senado estuda agilizar a reforma tributária e já colocar em votação em março. A declaração foi dada pelo senador Roberto Rocha (PSDB), indicado para presidir a comissão mista da reforma, ao G1.

“Não vejo dificuldade de, dentro um mês, fazermos um texto único e, em março, iniciar a votação na comissão. O Executivo vai enviar conteúdo também. Câmara e Senado têm textos semelhantes, é o mesmo chassi, só muda a carroceria.”

O debate sobre a matéria foi intenso no ano passado e deve ganhar fôlego agora em 2020, pois tem o apoio também de partidos da oposição.

Municípios do Maranhão com menos de 5 mil habitantes devem ser extintos este ano

O Ministro da Economia Paulo Guedes não descartou a proposta de extinguir os municípios com menos de 5 mil habitantes de todo país na PEC do Pacto Federativo.L, segundo a Folha. São 1.257 cidades com menos de 5 mil habitantes em todo país, 22% do total de 5.570 municípios brasileiros, onde vivem 2% da população (4.234.044 habitantes).

A proposta do Ministério é a fusão de municípios próximos, e segundo o levantamento da pasta de Guedes entre os 30 menores municípios, os gastos com prefeitos, secretários e vereadores é de R$ 20 milhões por ano.

Entre os municípios com menos de 5 mil habitantes e com arrecadação própria menor que 10% (IPTU/ITBI/ISS), no Maranhão, estão as cidades de Nova Iorque (1,30% de renda própria), São Pedro do Crentes (2,80% de renda própria), São Félix de Balsas (2,80% de renda própria) e Junco do Maranhão (0,40% de renda própria).

Entao… se a proposta de Guedes for pra frente, às quatro cidades do Maranhão serão extintas.

Márcio Jerry condena veiculação de fake news para prejudicar Governador

O deputado federal Márcio Jerry (PCdoB) usou as redes sociais nesta última sexta-feira (17) para criticar a postura de um Coronel do Exército que tem disseminado uma fake news para atacar o Governador Flávio Dino.

No perfil, registrado apenas com a patente e o primeiro nome do oficial – @CoronelEdilson -, o militar afirma que uma “estrada de administração maranhense” não permite o socorro de uma mulher prestes a dar a luz. No áudio, uma pessoa não identificada diz que o responsável é Flávio Dino. Ele conclui a postagem com “compartilhem sem dó!”. No entanto, o vídeo exibe trechos deteriorados de uma BR-316, de responsabilidade do Governo Federal.

“Muito feio um Coronel do Exército cometer um absurdo desses. Desonra a farda”, condenou o parlamentar.

A ação, organizada por apoiadores do presidente Jair Bolsonaro, tem tentando ofuscar a visibilidade conquistada por Dino, em constante evidência nacional nas últimas semanas.

Crime
Em agosto de 2019, o Congresso Nacional aprovou a lei que garante punição para quem disseminar fake news eleitorais no Brasil. A pena, para quem criar ou espalhar notícias falsas durante as eleições pode pegar de dois a oito anos de prisão. A regra já valerá para as eleições de 2020.

Flávio Dino é atacado por milícia digital de Bolsonaro com mais uma fake news

Bastou que o governador do Maranhão, Flávio Dino (PCdoB), aparecesse com protagonismo nacional após ser elogiado pelo ex-presidente Lula (PT) em entrevista, e ser cobiçado para uma possível chapa com o apresentador Luciano Huck, que a milícia digital de Jair Bolsonaro abriu o arsenal de fake news contra o comunista.

Nesta quinta-feira, 16, um vídeo de abril de 2019 voltou a circular entre os robôs do bolsonarismo nas redes sociais. Nele, um homem aparece filmando uma grávida em trabalho de parto que atravessa uma estrada cheia de lama sendo carregada devido a precariedade da via.

O problema é que, apesar do homem que fala no vídeo citar Flávio Dino, a rodovia filmada é a BR-316, de responsabilidade do governo federal. Ou seja, de Jair Bolsonaro.

O vídeo, que voltou a circular após quase um ano, está sendo espalhado em uma ação orquestrada por grupos ligados a Bolsonaro. Um deles é intitulado de Aliança Pelo Brasil, mesmo nome do partido que está sendo criado pelo presidente.

Esta não é a primeira vez que Flávio Dino é vítima da milícia digital ligada ao bolsonarismo. Desde que o presidente afirmou que Dino era “o pior governador” e que “não teria que ter nada para ele”, o maranhense virou um dos alvos preferenciais dos robôs que estão a serviço da destruição dos adversários do Planalto.

Do Brasil 247

 

Governo quer apresentar reforma administrativa em fases a partir de fevereiro e aprová-la até 2022

O secretário-especial de Desburoratização, Gestão e Governo Digital do Ministério da Economia, Paulo Uebel, afirmou nesta quinta-feira (16) que a área econômica deve apresentar em fevereiro a primeira fase da proposta de reforma administrativa.

Entre as medidas previstas no texto estarão mudanças das regras para os servidores públicos.

“Vai ser enviado, e implementado, em fases. A expectativa é que esteja tudo aprovado até o fim de 2022, mas tudo depende do Congresso Nacional”, declarou ele.

Uebel não deu mais detalhes sobre o assunto, mas afirmou que a proposta do governo não vai mudar a estabilidade e os salários dos atuais servidores públicos.

O secretário-adjunto de Desburocratização, Gleisson Rubin, disse que a proposta será composta por uma Proposta de Emenda à Constituição (PEC), a ser apresentada em um primeiro momento, seguida de projetos de lei e projetos de lei complementares.

“A reforma é mais do que a PEC. Ela é faseada. Não posso apresentar um projeto de lei sem que a PEC esteja aprovada pelo Congresso. Não vamos impor um prazo ao Congresso. Depende da velocidade em que for avaliado”, declarou Rubin.

No ano passado, Uebel disse que o governo avalia flexibilizar as regras de contratação de novos servidores públicos. Segundo ele, está em estudo, por exemplo, a contratação de celetistas e de funcionários temporários via concurso.

Ele afirmou, em 2019, que a reforma deverá trazer um salário mais baixo para novos servidores, que a progressão de carreira será maior, com mais níveis para atingir o teto da função, e que o número de carreiras do serviço público será reduzido, de mais de 300, para cerca de 20 ou 30.

Do G1

Lula reafirma que pode apoiar Flávio Dino em disputa eleitoral

O ex-presidente Lula (PT) reafirmou nesta quarta-feira (15), em entrevista à Rede TVT que pode apoiar o governador Flávio Dino (PCdoB) em possível disputa à presidência da República em 2020.

Mas Lula deixou claro que o problema não é o nome em questão, ele chegou até a ressaltar qualidades de Dino, mas disse que o partido o qual faz parte o governador do Maranhão torna inviável o apoio.

Neste ponto Lula comparou as legendas PT e PCdoB e destacou o quão maior é o partido dos Trabalhadores em relação ao partido comunista. “Admito, como não? O PCdoB já me apoiou quatro vezes. Sabe, eu não vejo porquê. O problema, a dificuldade que se tem de responder uma pergunta dessas, e eu não tenho mais, é que se você tiver um jornalista em um jornal qualquer que vá assistir o programa, vai dizer: ‘Lula vai apoiar Flávio Dino’. Eu gosto do Flávio Dino, acho ele uma figura competente, um companheiro da maior lealdade comigo durante todos os meus processos, então, eu tenho por ele um apreço extraordinário. Agora veja, o PT é um partido muito grande comparado ao PCdoB“, afirmou Lula.

Já vem sendo ventilado nos bastidores da política a articulação de Flávio Dino para mudança de partido e assim viabilizar uma possível disputa eleitoral. Talvez um PSB, mas nada foi confirmado.

É esperar para ver …

Márcio Jerry critica sigilo na lista de convidados para a posse de Jair Bolsonaro

O deputado federal Márcio Jerry (PCdoB) criticou, nesta quarta-feira (15), a iniciativa do Itamaraty de impor sigilo sobre a lista de convidados da festa de posse do presidente Jair Bolsonaro, realizada no dia 1º de janeiro de 2019.

“Por qual motivo decretaram sigilo na lista de convidados para a festa de posse do Bolsonaro, tinha conhecido miliciano? Quem lá estava que ninguém pode saber? Bolsonaro tem mesmo muitas relações perigosas”, questionou o deputado.

A confidencialidade foi decretada em março de 2019, após um cidadão solicitar, via Lei de Acesso à Informação, os nomes das pessoas presentes, mas a informação só veio à tona nesta quarta-feira (14), após reportagem de O Globo citar a decisão do governo de não divulgar os dados.