UFMA e UEMA vão exigir comprovante de vacina contra a Covid-19

A Universidade Federal do Maranhão (UFMA) anunciou que exigirá, para o retorno presencial das suas atividades acadêmicas e administrativas, no dia 11 de abril, a apresentação do comprovante de vacinação. As informações do ciclo vacinal contra a Covid-19 devem ser apresentadas, a partir do dia 6 de abril.

O servidor ou aluno que não informar o ciclo vacinal terá o acesso aos Sistemas da UFMA suspenso a partir de 11 de abril. A universidade também poderá solicitar, a qualquer momento, o comprovante de vacinação. Por isso, servidores, terceirizados e discentes deverão sempre portar as informações do seu ciclo vacinal.

Ainda de acordo com a resolução, todas as atividades presenciais na UFMA, seja em local aberto ou fechado, serão realizadas obrigatoriamente com o uso de máscaras e seguindo o protocolo de biossegurança de retorno das atividades presenciais.

UEMA

Membros da UEMA que não tiverem completado o ciclo de imunização contra o coronavírus devem permanecer dispensados de suas atividades presenciais, enquanto vigente a emergência de saúde.

Decreto do Governo do Estado flexibiliza uso de máscara em locais fechados

O governador Flávio Dino (PSB) emitiu decreto facultando o uso de máscaras em locais fechados no Maranhão. A determinação consta do Decreto nº 37.492, de 11 de março de 2022. Agora, a máscara não precisa mais ser usada em espaços fechados, desde que mais de 70% da população da cidade esteja vacinada com as duas doses ou dose única.

O texto diz que, em locais fechados “nos municípios em que mais de 70% da população tenha recebido as duas doses ou a dose única da vacina contra a Covid-19, conforme dados constantes do Sistema de Informações do Programa Nacional de Imunizações (SIPNI), o uso de máscaras faciais de proteção é uma faculdade de cada indivíduo, ou decorrerá de norma municipal, não havendo mais obrigatoriedade estadual”.

O uso é obrigatório em locais fechados nos municípios com menos de 70% de vacinados. A dispensa nesse caso se dará no acesso a estabelecimento que exija comprovação da imunização.

Devem continuar usando o item nestes locais, pessoas infectadas com a Covid-19 e que tenham necessidade de sair do isolamento.

Bebê de 11 meses morre vítima de Covid-19 em Imperatriz

Um bebê, de 11 meses faleceu, nesta quarta-feira (23), em decorrência de complicações causadas pela Covid-19, em Imperatriz. A informação foi confirmada pela Prefeitura do município.

A criança era do sexo masculino e estava internada em um hospital particular da cidade. Ele não tinha comorbidades.

Este é o segundo caso, em menos de um mês, de crianças abaixo de um ano. que morreram no Maranhão vítimas da doença. A outra morte por Covid-19 foi de um bebê, de um mês e 16 dias, que morreu em Balsas, sul do estado.

O caso acende o alerta para a importância da vacinação contra a Covid-19 em crianças. Apesar das publicidades e empenho para ampliar o número de imunizados, a vacinação deste público tem avançado pouco no país.

Prefeitura realiza mutirão de vacinação em Juçatuba

A prefeitura de São José de Ribamar, por meio da Secretaria Municipal de Saúde (Semus), realizou o mutirão de vacinação contra Covid-19 no Quilombo Juçatuba.

De acordo com a Semus, o objetivo é facilitar o acesso à vacinação para pessoas que trabalham durante a semana. Foram disponibilizadas as vacinas da Astrazeneca, para quem foi tomar primeiro e segunda dose, e Pfizer, para quem foi receber a dose de reforço.

Segunda a secretária da Semus, Bernadete Ferreira,  o município de São José de Ribamar não parou de vacinar a população. “Essa é uma forma de aumentar a cobertura vacinal na cidade e imunizar as pessoas que estão trabalhando durante a semana”, relatou.

A vacinação no Quilombo Juçatuba foi ao público a partir dos 12 anos, sem comorbidades.

Governo do Estado leva Dose Premiada a Colinas e Presidente Dutra

O Mutirão da Dose Premiada chega aos municípios de Colinas, nesta quinta (17) e Presidente Dutra, na sexta (18). A ação do Governo do Estado premia as pessoas que se vacinarem no mutirão, com sorteio de prêmios que vão de de R$ 1 mil a R$ 10 mil. A vacinação ocorre a partir das 8 horas.

Podem vacinar pessoas com idade a partir de 12 anos, com a 1ª, 2ª ou dose de reforço contra a Covid-19. Devem ser apresentados um documento de identificação com foto, cartão de vacinação e cartão do SUS.

A ação já esteve em Cururupu, São Mateus, Amarante do Maranhão, Codó, Carutapera, Timbiras, Coroatá, Humberto de Campos, Tutóia, Barra do Corda e Turiaçu.

O trabalho é coordenado pelas secretarias de Estado da Saúde (SES), de Governo (Segov) e da Cultura (Secma), em parceria com as prefeituras.

 

Leitos para Covid-19 têm queda na ocupação, na Grande Ilha

Pela segunda semana consecutiva, reduz a taxa de ocupação dos leitos exclusivos para Covid-19, na Região Metropolitana de São Luís. Dados do último boletim divulgado pela Secretaria de Estado da Saúde (SES), no domingo (13), apontam queda nestas ocupações, no comparativo dos últimos sete dias.

Leitos de Unidades de Terapia Intensiva (UTI) estão ocupação em 48,84%. Atualmente, 42 dos 86 leitos disponíveis estão ocupados, Um total de 44 leitos está livre. Nos registros do dia 7 de fevereiro, estes leitos apresentavam taxa de 54,65%.

Redução também no índice de ocupação dos leitos clínicos – de 49,38% para 38,13% no período. Dos 160 leitos disponíveis, 61 estão ocupados, restando 99.

Em Imperatriz, a ocupação dos leitos de UTI se manteve a mesma do dia 7 – 30%. Já os leitos clínicos apresentaram alta – de 36,11% há uma semana, ficaram em 41,67% neste último boletim.

Os dados referem à hospitais de São Luís, São José de Ribamar, Paço do Lumiar e Raposa.

Covid-19: Ministro da Saúde pede que pais vacinem filhos

O ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, participou de um ato de vacinação infantil contra a Covid-19, em Maceió (AL), no sábado (12). Apesar de defender a não obrigatoriedade da vacinação de crianças de 5 a 11 anos, fez um apelo para que os pais levem seus filhos para vacinar. “Vamos disponibilizar as vacinas para os pais e eu exorto a cada pai e cada mãe que levem seus filhos para a sala de vacinação”, disse. O percentual de crianças imunizadas contra a doença não passa de 15%.

Durante o ato, ele vacinou duas crianças e voltou a afirmar que, até o dia 15 de fevereiro, o ministério vai distribuir vacinas suficientes para aplicar a primeira dose em todas as crianças de 5 a 11 anos no país.

Queiroga criticou ainda aplicação de uma segunda dose de reforço das vacinas contra a doença. Segundo ele, o país precisa avançar antes na aplicação da dose de reforço ou terceira dose. A aplicação de uma quarta dose foi levantada pelo governo de São Paulo e pela Prefeitura do Rio de Janeiro.

“Antes de querer aplicar quarta dose sem evidência científica precisamos avançar na aplicação da terceira dose de vacina. O Brasil aplicou em cerca de 30% da sua população a dose de reforço, não queremos aplicar uma quarta dose sem ainda termos uma evidência científica forte”, explicou.

“Médicos ainda prescrevem o ‘kit Covid’”, diz Carlos Lula

O secretário de Estado da Saúde e presidente do Conselho de Secretário de Saúde (Conass), Carlos Lula, classificou como “conduta absurda” atitudes de médicos que ainda prescrevem o chamado Kit Covid.

A fala foi dada em entrevista à Folha de São Paulo. Ele apontou que, apesar da ineficácia comprovada deste kit contra a doença, há profissionais indicando o medicamento em unidades da rede do Sistema Único de Saúde (SUS).

“Ainda há [medicamentos sendo prescritos]. Eu me assusto, tem médico que prescreve e tem médico ainda dizendo para o pai não vacinar o filho. É um tipo de conduta absurda, mas existe. Lógico que com intensidade bem menor, mas ainda continuam prescrevendo”, disse Carlos Lula.

Quando questionado sobre a autonomia médica, ele frisou que “autonomia médica não quer dizer que eu posso prescrever o que eu bem entender. Isso não é autonomia médica”, disparou. E completou: “Ela tem limites. Se há evidência científica que determinado medicamento não é eficaz para alterar a condição clínica do paciente, o médico não pode receitar o medicamento”, afirmou.

Carlos Lula disse ainda que o Conselho Federal de Medicina (CRM) precisa retomar os debates sobre essas atitudes médicas. “A pessoa deveria responder por isso. Deveria responder no conselho, civilmente e criminalmente, se algo acontecesse com o doente”, apontou.

Imperatriz: Novo decreto contra Covid-19 entra em vigor em Imperatriz na segunda (8)

A Prefeitura de Imperatriz vai emitir decreto com novas medidas de combate à Covid-19, no município. A decisão partiu de reunião com representantes do Ministério Público e estabelecimentos comerciais, por conta da redução de internações e óbitos, por conta da doença. O decreto entra em vigor na segunda-feira (8) e volta a permitir eventos.

Pelo documento, fica reduzida a lotação máxima de 2 mil pessoas para 700 pessoas, sem prejuízo da atividade econômica, com comprovação de vacinação em duas doses para eventos fechados e em casos de ambientes abertos com lotação a partir de 300 pessoas.

Nos cultos religiosos, a lotação será de 50%, desde que não ultrapasse o máximo de 700 pessoas e com uso obrigatório de máscara e higienização com álcool em gel. Sendo lotação a partir de 300 pessoas, é necessária a comprovação da vacinação em duas doses.

As normas terão validade até 7 de março e podem ser alteradas, se o cenário pandêmico tiver mudanças significativas, segundo informou a prefeitura.

Na cidade, 83% da população já foi vacinada com as duas doses.

 

Ômicron avança e já ultrapassa os 50 casos no Maranhão

O Laboratório Central de Saúde Pública do Maranhão (Lacen/MA) concluiu o sequenciamento genômico de 68 amostras, coletadas entre 14 de dezembro de 2021 e 21 de janeiro de 2022. Destas, 58 foram diagnosticadas com a variante ômicron e 10 com a delta.

Os casos confirmados da ômicron foram identificados nos municípios de Barreirinhas, Cururupu, Santa Helena, Santa Inês, Turiaçu, Tutóia, Urbano Santos, Paço do Lumiar, Pinheiro, Anajatuba, Balsas, Itapecuru Mirim, São José de Ribamar e São Luís.

“A gente já acreditava que o espalhamento muito rápido da doença no Maranhão era de fato a Ômicron, mas a gente não tinha confirmação genética disso. Dessa vez a gente tem, de fato, a gente tem Ômicron no Maranhão, e a tendência é que ela se torne rapidamente propagada”, afirmou o secretário”, afirmou o secretário Carlos Lula.

Nas amostras sequenciadas positivas para ômicron, 57% são do sexo feminino e 43% do sexo masculino.