CPI da Covid: Bolsonaro pode ser apontado por 11 crimes

Relatório final da CPI da Covid será conhecido na próxima terça-feira, 19. O relator Renan Calheiros está na fase final dos trabalhos e já definiu que vai pedir indenização para os órfãos de vítimas da covid-19. O senador quer o pagamento de pensão durante 21 anos por parte da União.

Jair Bolsonaro deve ser acusado de 11 crimes: epidemia com resultado morte; infração de medidas sanitárias; emprego irregular de verba pública; incitação ao crime; falsificação de documento particular; charlatanismo; prevaricação; genocídio de indígenas; crimes contra a humanidade; crimes de responsabilidade; e homicídio por omissão.

Ex-ministro da Saúde, o general Eduardo Pazuello será apontado como responsável por seis crimes na condução do combate à pandemia do novo coronavírus no Brasil: epidemia com resultado morte; incitação ao crime; emprego irregular de verbas públicas; prevaricação; comunicação falsa de crime; genocídio de indígenas; e crimes contra a humanidade.

O relatório de Renan Calheiros também responsabilizará coronel Élcio Franco, que era adjunto de Pazuello na Saúde, e mais 40 nomes com ligação com o governo federal.

Maranhão recebe mais de 114 mil doses da Pfizer

O Maranhão recebeu mais 114.660 doses da vacina Pfizer, que vão garantir a continuidade da Campanha de Vacinação contra a Covid-19 no estado. As doses foram encaminhadas à Secretaria de Estado da Saúde (SES), responsável pela distribuição dos imunizantes e passarão por conferência para serem distribuídas aos 217 municípios maranhenses.

Para a distribuição em tempo recorde, a SES conta com a parceria do Centro Tático Aéreo (CTA), que faz o transporte das vacinas com o uso de helicópteros e avião, e da Polícia Militar, responsável pela segurança no deslocamento. Para o transporte das vacinas também são utilizadas vans refrigeradas.

Com a nova remessa, o Maranhão totaliza 9.369.725 doses recebidas, sendo 2.475.280 doses da CoronaVac, 3.959.275 doses da AstraZeneca, 2.821.420 doses da Pfizer e 113.750 doses da Jansen.

Ribamar é a cidade mais populosa a não registrar mortes por Covid-19, em setembro, no país

São José de Ribamar foi a cidade mais populosa do país a não registrar mortes por Covid-19 no mês de setembro de 2021. Os dados são de levantamento feito com base em dados das secretarias de saúde dos estados.

Ao todo, foram cerca de 13 municípios brasileiros com mais de 100 mil habitantes que não relataram mortes no mês, e São José de Ribamar foi o mais populoso que não teve sequer um caso de óbito registrado em setembro – e em outubro também ainda não houve mortes pela doença.

Com pouco mais de 180 mil habitantes, segundo estimativa do IBGE, São José de Ribamar está localizada na Ilha de Upaon-Açu, no Norte do Maranhão, onde também estão localizados os municípios de Paço do Lumiar e Raposa, além da capital São Luís.

Covid-19: TRE exige comprovante de vacinação para acesso ao órgão

O Tribunal Regional Eleitoral do Maranhão (TRE-MA) passou a exigir a apresentação do comprovante de vacinação contra o novo coronavírus (Covid-19). Apenas com o documento, pessoas podem ter acesso às unidades judiciais e administrativas vinculadas ao segundo grau da Justiça Eleitoral do Estado.

A determinação consta da Portaria 1329/21 e considera-se comprovante de vacinação o documento físico ou eletrônico, emitido pela autoridade sanitária competente, que ateste, pelo menos, a aplicação da primeira dose, ou dose única, se for o caso, do imunizante contra a doença.

Pessoas com contraindicação da vacina contra a Covid-19, podem ter acesso ao órgão apresentando relatório médico justificando a falta da vacinação.

São Luís: Profissionais de saúde recebem 3ª dose da vacina contra Covid-19

Começa nesta segunda-feira (27), a aplicação da terceira dose ou dose de reforço contra a Covid-19, em profissionais da saúde a partir de 60 anos. Podem vacinar os que que tomaram a segunda dose até 30 de março.

A vacinação ocorre em nove pontos instalados pela Prefeitura de São Luís: Multicenter Sebrae, UFMA, UEMA, IFMA Maracanã e Drive-thru do Ceuma, UFMA e Shopping da Ilha, das 8h às 18h. Para ter acesso, é necessário levar um documento de identificação com foto e o cartão de vacina.

São Luís: É grave estado de filipino infectado pela variante Delta do coronavírus

T

Tripulante filipino que foi levado para um hospital particular de São Luís segue em estado grave, após testar positivo para Covid-19 com a variante Delta do coronavírus. O nome do paciente não foi divulgado.

Apesar disso, o governo estadual diz que não há circulação da Delta em território maranhense. Até o momento, foram confirmados oito casos importados da variante, que vieram em navios, incluindo o caso do filipino. Dentre esses casos, um tripulante indiano foi internado em um hospital particular de São Luís e morreu 43 dias depois.

O navio MV Sagittarius saiu da África do Sul em 31 de julho com 19 pessoas, a maioria de origem filipina, além de um tripulante russo e outro da Geórgia. Após chegar na costa maranhense, o navio ficou em uma área de fundeio e não chegou a atracar.

Segundo o governo, após a confirmação da variante Delta, todas as pessoas que tiveram contato com o filipino foram rastreadas e monitoradas, e nenhum caso a mais foi confirmado. O período de quarentena dos tripulantes do navio já se encerrou e eles foram liberados pela Anvisa para seguir viagem.

Maranhão tem 100% dos municípios vacinando quem tem 18 anos

O Maranhão já conta com todos os 217 municípios imunizando a faixa etária de 18 anos com a primeira dose da vacina contra a Covid-19. O resultado positivo conta com a contribuição do Governo do Estado, que tem trabalho em parceria com as prefeituras maranhenses com o objetivo de acelerar a vacinação.

O secretário de Estado da Saúde (SES), Carlos Lula, diz ser reflexo do bom trabalho realizado no estado, a exemplo dos Mutirões da Segunda Dose, ação em parceria com as prefeituras.

Durante a realização dos Arraiais da Vacinação, mais de 168.647 pessoas receberam a primeira dose da vacina em mais de 50 municípios. Agora, o Governo trabalha com os municípios na realização dos Mutirões da Segunda Dose para a conclusão do esquema vacinal.

Outro fator que contribuiu positivamente, foi a logística montada pela SES em parceria com a Secretaria de Segurança Pública (SSP) para a distribuição em tempo recorde dos imunizantes. Para o transporte dos imunizantes são utilizados aviões e helicópteros, além de vans refrigeradas, que garante a chegada aos municípios em até 48h após o recebimento das doses.

Covid-19: Maranhão sem registro de mortes

O Maranhão não registrou mortes por Covid-19, nem mesmo de datas retroativas. É a primeira vez que isso acontece desde o início dos registros de óbitos, no dia 05 de abril de 2020. A divulgação foi neste domingo (19). Com isso, o estado se mantém com 10.135 mortes pela doença, desde o início da pandemia.

Em relação aos casos, foram 5 em todo o estado, chegando a 353.700 no total. Já o número de casos ativos (pessoas que, no momento, estão com Covid-19) teve nova redução e chegou a 32.269. Desse número, 32.063 estão orientadas a ficar em isolamento domiciliar, 110 estão internadas em enfermarias e 36 em leitos de Unidade de Terapia Intensiva (UTI).

Até o momento, 311.296 pacientes já se recuperaram da Covid-19 (Confira algumas histórias de recuperados pela doença no estado no fim desta reportagem).

Quanto aos profissionais da saúde, 4.682 já foram infectados pela Covid-19, 4.469 se recuperaram da doença e 88 morreram.

Ao todo, a Secretaria de Saúde diz que já foram realizados 852.642 testes (rede privada + pública) para a Covid-19, sendo que 597.348 casos foram descartados. O número de casos suspeitos é de 588.

Mutirão da 2ª dose de vacinação contra Covid-19, em São Luís

Neste domingo (19), acontece a segunda etapa do Mutirão da 2ª dose de vacinação contra a Covid-19, no bairro Cidade Olímpica, em São Luís. A ação do Governo do Estado, será no Centro Educa Mais Padre José Bráulio Sousa Ayres.

O atendimento no Mutirão da Vacinação na Cidade Olímpica funciona das 8h às 16h. Para tomar a vacina, precisam ser apresentados documentos como RG, CPF, Cartão do SUS e comprovante da primeira dose.

O serviço tem como público-alvo pessoas com 25 anos ou mais, residentes no bairro e adjacências. No primeiro mutirão na Cidade Olímpica, realizado no último dia 3 de setembro, 2.248 pessoas foram vacinadas.

 

“É um pedido para priorizar idosos”, explica Carlos Lula, sobre medida do Ministério da Saúde

O secretário de Estado da Saúde (SES), Carlos Lula, explicou a medida do Ministério da Saúde, sobre a vacinação de adolescentes. Segundo o secretário, o pedido não é para suspender a imunização deste público, mas sim, priorizar pessoas a partir dos 60 anos, devido maior vulnerabilidade de saúde deste segmento. A mensagem foi divulgada em vídeo, na quinta-feira (16).

“Na verdade, não é um pedido de suspensão da vacinação dos adolescentes. É um pedido de priorização da população idosa. É fundamental entender que a população acima de 60 anos ainda é a majoritária que tem hospitalizado e tem perdido a vida, em razão da Covid-19. Então, nesse momento, caso ainda haja ausência de doses e não tenhamos vacina suficiente para estass duas parcelas da população, pedimos ao Mnistério para poder usar a dose de reforço na população idosa”, explica Carlos Lula.

O estoque de vacinas no Maranhão segue o mesmo ritmo do Brasil, com a possibilidade de falta de doses da Astrazeneca, sobretudo da segunda dose, alerta o secretário de Saúde. “Isso porque, houve um atraso na entrega de parte das vacinas pela Fiocruz, o que tem afetado, de fato, a disponibilidade de vacinas para a segunda dose no Brasil como um todo”, disse.

No Maranhão, 29 cidades já não têm segunda dose de Astrazeneca e 10 apresentam quantitativo muito baixo, que deve ser encerrado até final dessa semana. “Isso demonstra que, na verdade, o Maranhão vive a situação que ocorre no Brasil, onde passamos a ter problemas com a segunda dose, em razão desse atraso na entrega por parte do Ministério da Saúde”, frisa Lula.

Devido à dificuldade enfrentada no Maranhão para garantia da segunda dose, O Governo do Estado, via SES, tem solicitado mais doses, a fim de continuar apoiando os municípios. Porém, segundo Carlos Lula, há resistência da população. “Temos encontrado resistência das pessoas em voltar para tomar a segunda dose e pedimos para tomem a segunda dose. Assim, estarão se protegendo e protegendo a sociedade”, enfatizou Carlos Lula.

Segundo o titular da SES, o Maranhão precisa atingir entre 4 e 5 milhões de pessoas imunizadas com a duas doses. “Este alcance nos dará a certeza do controle da doença no nosso estado e ainda estamos muito longe disso acontecer. Por isso, fazemos esse pedido a todos, prefeitos, população e quem reside no Maranhão, para que possa tomar a segunda dose da vacina e a gente, enfim, vencer a Covid-19”, finalizou Carlos Lula.