Novo laudo aponta que todas as praias da Grande Ilha seguem impróprias para banho

De acordo com um novo laudo emitido pela Secretaria de Estado do Meio Ambiente e Recursos Naturais (Sema) todos os 22 pontos em praias localizadas na Grande Ilha (São Luís, São José de Ribamar, Paço do Lumiar e Raposa) seguem impróprios para o banho.

O monitoramento dos pontos foi realizado de 9 de maio a 6 de junho, sendo parte do acompanhamento semanal das condições de balneabilidade de praias da Grande Ilha de São Luís. Um laudo anterior também apontava que todos os 22 pontos estavam impróprios para banho.

De acordo com a Sema, a ocorrência de chuvas influencia negativamente na qualidade das águas das praias. A secretaria explica que neste período acontece maior carreamento de matéria orgânica vinda da lavagem das vias públicas para os rios e, consequentemente, para os mares.

Segundo a secretaria, em caso de chuvas, é recomendado que a população evite a recreação nas praias nas próximas 24 horas após as chuvas.

Prefeitura de Ribamar retira mais de 22 toneladas de lixo do rio Ubatuba

A prefeitura de São José de Ribamar, por meio das Secretarias de Meio Ambiente e de Obras e Serviços Públicos, está realizando no bairro Ubatuba, região das Vilas do município, uma ação de limpeza do Rio Ubatuba e ações de conscientização do descarte irregular de lixo na região, como forma de revitalizar o braço do Rio Ubatuba, que corta o município.

Com apenas 40% da limpeza realizada, a prefeitura já recolheu das margens do rio mais de 22 toneladas de lixo, um árduo trabalho realizado com a ajuda de máquinas sob a supervisão de engenheiros e técnicos ambientais da Secretaria Municipal de Meio Ambiente.

Segundo o Engenheiro Ambiental e secretário adjunto de Meio Ambiente, Carlos Eugênio, a ação será contínua e a comunidade é a principal aliada. “Estamos mobilizando a comunidade do Ubatuba para que juntos possamos mudar a realidade deste rio, que por décadas tem sofrido com a poluição”, disse.

A ação socioambiental ofereceu aos moradores palestras, distribuição de mudas, socialização comunitária e compartilhamento de experiências.

Alumar retoma atividades

A mineradora Alumar anunciou o retorno das atividades, com a reinauguração da fábrica de produção de alumínio. A informação foi dada durante evento, realizado nesta quarta-feira (27), no Hotel Luzeiros. O momento contou com presença da  imprensa e executivos da empresa.

A programação teve como pauta principal a retomada das atividades da produção de alumínio e visitação à planta da fábrica.

O retorno da produção da Alumar suscita indagações que referem às compensações em impostos, a geração de emprego com possibilidades de contratação de profissionais maranhenses e a questões ambientais, a exemplo de monitoramento da poluição na ilha de São Luís, por conta da atividade.

Presentes ao evento, o presidente da Alcoa, Otávio Carvalheira, do diretor da Alumar, Helder Teixeira,  do gerente de Redução, Helder Teixeira, e da gerente de Relações Institucionais & Security, Dulcimar Soares.

MA:Polícia Federal aprende madeira em terras indígenas

Operação da Polícia Federal, realizada nesta quinta (25), apreendeu madeira ilegais em terras indígenas maranhenses. A madeira estava em reservas do Alto Turiaçu, Awá e Caru, configurando crime ambiental em áreas protegidas. Os recurso naturais destas áreas é de posse e uso exclusivo dos povos indígenas. A ação tem participação da Funai, Ibama e Força Nacional.

Durante as ações foram lavrados autos de infração com multas aplicadas no valor total de mais de R$ 700 mil e termos de embargo e interdição de cerca de 600 hectares. Além disso, foram interditadas serrarias e movelarias irregulares, bem como foram realizadas apreensões de madeira em tora e beneficiada de variadas essências (maçaranduba, pau santo copaíba, angelin, e um pequizeiro com cerca de 200 anos de existência. A polícia apreendeu ainda três armas de fogo.

As equipes também localizaram pequenas roças de maconha no interior da terra indígena. Os investigados poderão responder por crimes como receptação qualificada, transporte e depósito de produto de origem vegetal sem licença válida, funcionamento de estabelecimento potencialmente poluidor sem autorização.

Especialista: Em Dubai, Bolsonaro diz que Amazônia não pega fogo

Em evento com investidores em Dubai, nos Emirados Árabes Unidos, nesta segunda-feira (15), o presidente Jair Bolsonaro afirmou que “os ataques que o Brasil sofre em relação à Amazônia não são justos”. Ele convidou os investidores a conhecer a floresta e disse que, “por ser uma floresta úmida, não pega fogo.”

A afirmação – semelhante a uma que o presidente fez em discurso na ONU, ano passado – é falsa. “Afirmar que a floresta é úmida, como um todo, era algo verdadeiro há 60 ou 70 anos. Hoje, com 20% desmatado, isso não é mais um fato”, explica o ambientalista Antonio Oviedo, assessor do Instituto Sócio-Ambiental (ISA), ONG presente na Amazônia há 25 anos.

A ONG diz que a floresta é úmida em áreas como no interior do Rio Solimões ou no Alto do Rio Negro, onde não tem muitas estradas. Mas, mesmo lá, o fogo já tem entrado por conta do desmatamento, que facilita a entrada do fogo.

O Instituto de Pesquisa Ambiental da Amazônia (Ipam) reforça que “o desmatamento, a exploração da madeira e outras atividades humanas mudam a condição da floresta úmida como barreira ao fogo”. O Ipam trabalha desde 1995 pelo desenvolvimento sustentável na região.

Números do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe) também apontam, de forma repetida, os focos de incêndio acima da média na floresta, nos últimos meses. Em junho, houve o maior número de focos para o mês em 14 anos; em julho, foram quase 5 mil focos; em agosto, 28 mil.

Brasil cortou 93% da verba para pesquisa sobre clima

Levantamento da BBC News Brasil mostra corte de 93% em pesquisas sobre mudanças climáticas no país. O governo do presidente Jair Bolsonaro promoveu a redução, ao longo dos seus três primeiros anos de mandato. Investimentos nessa área chegaram a R$ 31,1 milhões e na gestão Bolsonaro, os gastos foram de apenas R$ 2,1 milhões. A BBC se baseou em dados do Sistema Integrado de Orçamento do Governo Federal (Siop), de 2016 a 2018.

Pressionado por altas taxas de desmatamento nos últimos anos, o governo Bolsonaro participa da COP-26, Conferência do Clima da ONU, que acontece em Glasgow, no Reino Unido. O próprio presidente não viajou para a Escócia. Um dos principais objetivos da delegação brasileira é convencer a comunidade internacional do seu compromisso com a agenda ambiental.

Na terça-feira (2), representantes de mais de cem países, entre eles, o Brasil, assinaram acordo para proteção de florestas que tem como meta zerar o desmatamento no mundo até 2030. O Brasil também aumentou a meta de redução de gases poluentes de 43% para 50% até 2030 e se comprometeu em antecipar a meta de zerar o desmatamento ilegal de 2030 para 2028.

Parque Botânico retoma atividades presenciais, nesta segunda, 4

O Parque Botânico Vale, na área Itaqui-Bacanga, em São Luís, reabre nesta segunda-feira (4). O retorno das atividades presenciais segue todas as normas de prevenção à Covid-19. O uso de máscara é obrigatório.

O cactário, novo espaço do parque que inaugura na abertura, terá exposição de diversas espécies de cactos e suculentas do Brasil. Cactos são plantas que se especializaram ao longo do tempo em resistir à falta de água, economizando-a. Geralmente é encontrado em terras secas e apresenta características, como: afilia, espinhos, caule fotossintetizante e suculento.

Infantil

Para as crianças, ‘A Festa das Cores’ é o tema da programação do Dia das Crianças no Parque, que vai acontecer nos próximos dias 13, 14 e 15 e conta com oficinas de carimbo em mochilinhas, pantufas personalizadas, pintura em tela e contação de histórias. A programação, que tem como foco o público infantil, vai ser presencial e virtual.

Visitações

As visitas serão previamente agendadas e os grupos devem ter, no máximo, dez pessoas. Da mesma forma, as visitações, as reservas de espaços (auditório e salas) também deverão ser agendadas e estão com restrição de público. O auditório vai receber até 50 pessoas e as salas de treinamento até 20 pessoas. O agendamento pode ser feito a partir desta segunda, das 8h às 16h, pelo telefone 3272 7702.

Gestores do Nordeste pautam a juventude como prioridade em encontro no Maranhão

O Maranhão acolheu o Encontro de Gestores Estaduais de Juventude do Nordeste, onde foi destacada a importância de construir políticas de estado, com a preocupação e o compromisso de que sejam mantidas em outras gestões. A atividade, realizada quinta (23) e sexta-feira (24), foi coordenada pela Secretaria Extraordinária de Estado da Juventude (Seejuv).

No primeiro dia de agenda, os gestores da juventude pautaram as ações executadas dentro de suas secretarias e como vêm sendo desenvolvidas com os jovens dentro do seu estado, além da construção da Agenda Nordeste, a Leitura da Carta para a juventude e  Estruturação do Fórum da Juventude e a criação da Cartilha dos Gestores Estaduais de Juventude. Na oportunidade foram eleitos os representantes  para o Fórum da Juventude, além de visitação ao Palácio do Leões e encontro com o governador Flávio Dino. No segundo dia de atividade, os coordenadores de juventude realizaram visita ao Centro Educa Mais Dorilene Silva Castro, em seguida a eleição do Fórum da Juventude.

O secretário de Estado da Juventude do Piauí Vicente Gomes ressalta a importância de ter um bom relacionamento enquanto gestores estaduais.  “Estamos aqui em São Luís, fomos recebidos pela Gestão para discutir políticas públicas, e sempre é importante para a gente, enquanto gestores estaduais, estabelecer relacionando com outros estados para conhecer experiência e debater as dificuldades, principalmente para discutir as políticas integradas” ressaltou Secretário.

A secretária Rafaela Camaraense avalia o encontro como positivo, onde ter experiências vividas por outros estados ajudam a contribuir em novas políticas.“Esse encontro foi extremamente produtivo. A gente vivenciou as experiências de outros estados, e voltou para a Paraíba com essas experiências. Partindo disso, sentarei com governador do meu estado para propor novas políticas”,  disse.

A secretária de Estado da Juventude do Maranhão e anfitriã do Encontro de Gestores  Estaduais, Tatiana Pereira, exaltou a importante agenda realizada pela secretaria e a consolidação dessas ações conjuntas no Nordeste.“O Maranhão sediou uma importante agenda que foi a articulação nordeste, dos Gestores Estaduais da Juventude, mostrando o quanto é relevante estarmos consolidando ação conjunta no nordeste, onde nós trocamos muitas experiências. Além disso, aconteceu a Eleição do Fórum dos Gestores Estaduais da Juventude, que é esse espaço de aglutinação de forças, na perspectiva de inclusive pactuar ações estratégicas para juventude do nordeste” expressou secretária.

Polícia Federal apreende madeira sem documentação no Maranhão

Um caminhão com carregamento de madeira da espécie Candeia foi flagrado por uma equipe da Polícia Federal, na localidade de Alto São Francisco, no município São João do Soter. A apreensão ocorreu na segunda (20).

A equipe realizava buscas para apurar o cometimento de crimes contra o meio ambiente quando o caso ocorreu. O motorista do caminhão afirmou que não possuía documento de origem florestal que aprovasse a ação.

O homem foi enquadrado no art. 46 da lei de crimes ambientais por transporte de madeira sem a documentação legal e conduzido até a Delegacia, juntamente do veículo já carregado com cerca de 12m³ de madeira. O material foi apreendido e encaminhado para Secretaria do Meio Ambiente.

Camboa: Pedras que alimentam em São José de Ribamar

A pesca é umas das principais atividades que movimentam a economia da cidade de São José de Ribamar. O município é cercado por portos, e o aglomerado de embarcações garantem o pescado que sustenta muita gente na Cidade Balneária.

Existem várias formas de pescar. Entre elas, a pesca por meio de camboas ou currais, que são armadilhas fixas formadas por pedras ou estacas. Elas ficam submersas quando a maré enche, os peixes sobem junto com a maré e quando ela vaza, os cardumes ficam presos.

Esse tipo de pesca artesanal é tradicional em toda a costa brasileira. Em São José de Ribamar, também há relatos dessa forma de capturar peixes. De acordo com o pesquisador e historiador Antônio Miranda, as camboas exitem há séculos. “Em 1618, quando os Frades Franciscanos chegaram para catequizar os índios, eles já encontraram esse tipo de construção”, relatou.

A Ponta Verde era habitada pelos Índios Gamelas, que viviam da pesca e do cultivo de frutas, segundo Miranda. Apesar de parecer uma obra da natureza, as camboas foram feitas pelos indígenas. “Elas eram uma rica fonte de alimento, porque os índios conseguiam pegar uma enorme quantidade de peixe”, frisou.

Além da Ponta Verde, as camboas são encontradas nas praias de Panaquatira, Caúra e Barbosa. Antônio relata que as armadilhas precisavam passar por manutenção constantemente. “Com o vai e vem das marés, as pedras enterravam na areia, o que reduzia o tamanho do curral. Por essa razão, os índios empilhavam mais pedras. Algumas camboas eram maiores que um homem,” conta o pesquisador.

No século 20, com o crescimento populacional, algumas pessoas começaram a retirar as pedras dos currais para fazer alicerces das casas. Ainda hoje os currais podem ser vistos na Ponta Verde, Caúra e Panaquatira. Na Praia do Barbosa, apenas uma marcação de pedra indica o local que era uma fonte rica de peixes. Esse tipo de pesca continua na cidade.