“O PT, na sua grande maioria, tem discutido a aliança, com apoio ao governador Flávio Dino”, afirma Honorato Fernandes

Em entrevista à emissora de rádio local, o presidente do Diretório Municipal do PT em São Luís, Honorato Fernandes, debateu o cenário do partido para as eleições 2022, pontuou posições das lideranças no Estado e confirmou o apoio à candidatura do governador Flávio Dino ao Senado. Atualmente, o PT está com as pré-candidaturas de Paulo Romão, para senador, e de Felipe Camarão ao Governo do Estado.

“O PT, na sua grande maioria, tem discutido a aliança com apoio ao governador Flávio Dino. É uma discussão que só deve acontecer ano que vem. Vamos definir se será aliança ou candidatura própria”, afirmou o presidente municipal. O líder partidário citou que vários membros da legenda vêm fazendo manifestações em apoio a diversos nomes e defendeu Weverton para o Governo. “Achamos mais viável uma aliança e as lideranças nacionais têm esse interesse da aliança no Maranhão e com o senador Weverton”, apontou.

O presidente do Diretório Municipal ressaltou que o direcionamento é para fortalecer o nome de Lula nacionalmente. “Defendemos, de forma muita aberta, a aliança para fortalecer o palanque de Lula. Respeitamos a posição de qualquer militante do partido e temos o direito de manifestar nossa posição, que é a defesa de uma aliança com o senador Weverton Rocha”, frisou.

Rede é o primeiro na abertura de diálogos de Camarão com partidos

A Rede Sustentabilidade foi o primeiro partido a sentar com o Pré-candidato ao governo do Maranhão, Felipe Camarão (PT), que iniciou rodada de diálogos com legendas alinhadas do campo político progressista com vistas a parcerias para as eleições de 2022.

Membros da executiva estadual da Rede se reuniram com Camarão e membros do Partido dos Trabalhadores nesta terça-feira (12), onde a tônica da conversa foi o futuro do Maranhão a partir das eleições do ano que vem.

Felipe Camarão comentou que as duas legendas possuem posicionamentos políticos que favorecem uma parceria forte para 2022, visando uma frente progressista forte. “Agora, o próximo passo seria uma conversa mais direta com os diretórios dos dois partidos para alinhar essa possível parceria”, se anima o pré-candidato.

Porta-voz da Rede Sustentabilidade, Janicelma Fernandes, disse que há um agenda política comum de luta em prol de melhorar a vida das pessoas e por conquistas sustentáveis para o Estado do Maranhão.

“Não há nenhum impedimento para que possamos caminhar juntos (com Felipe). Claro que este é o primeiro diálogo, outros virão, e esperamos que nosso partido possa contribuir com um projeto de crescimento do estado, de avanço e manutenção de políticas públicas para nosso povo. Vamos amadurecer dentro do partido e tomar a decisão com muita tranquilidade”, pontua Janicelma

A líder partidária disse ainda que vê com bons olhos a pré-candidatura de Felipe, e que enxerga a oportunidade de (ele) continuar melhorando o que já foi construído no campo da Educação do Maranhão como Secretário.

Também participaram do encontro Breno Ribeiro, que divide o comando estadual da Rede como Porta-voz; Sidney Nunes, secretário de Organização da Rede; e Jeisael Marx, Porta-voz Municipal do partido em São Luís.

Pelo PT, estavam o vice-presidente estadual, Francimar Melo, e Cricielle Muniz, que faz parte do Diretorio Nacional do partido.

O anúncio da pré-candidatura de Felipe Camarão a governador do Maranhão pelo PT foi feito oficialmente no último dia 08 de outubro em uma caravana do Partido dos Trabalhadores na cidade de Pedreiras.

Chico Carvalho deixa PSL

“Não tenho mais nada a dizer sobre o PSL, para mim não interessa mais”, enfatizou o vereador Chico Carvalho, ao anunciar sua saída da legenda na qual milita há 18 anos. Ao anunciar a saída, Carvalho mostrou frustração com os rumos que o partido vem tomando, criticou as várias alterações no comando e deixou claro que faltou apoio à sua história.

“Foram muitas mudanças de presidente e todos tinham credibilidade para representar o partido, mas, não houve uma palavra da direção nacional para defender meu legado e dizer que Chico Carvalho é quem manda no PSL do Maranhão. Pedi minha desfiliação por legítima causa”, alfinetou. Chico Carvalho foi presidente estadual, vice-presidente nacional e vereador por oito mandatos, em sua trajetória no PSL. Agora é esperar em qual legenda ele irá se filiar.

Se despedindo do legado no partido, Chico Carvalho frisou que vai seguir seu novo caminho. “Vou seguir meu rumo, seguir meus passos e fazer a política que eu sempre fiz e que eu sempre mostrei que tenho capacidade de fazer”, enfatizou.

Ele diz que deixa o PSL com o sentimento de dever cumprido e a partir de agora, vai cuidar de seu novo caminho político. “ É com grande satisfação que digo, meu dever foi cumprido com honestidade, lealdade e sempre fazendo o melhor para o PSL do Maranhão. Para muitas pessoas, essas podem ser apenas palavras, mas, para mim, isso é código de vida e de carreira política”, concluiu.

Dino lidera para o Senado e Roseana para o Governo, diz pesquisa Escutec

O governador Flávio Dino é líder absoluto para a disputa no Senado e para o Governo do Maranhão, Weverton Rocha e Roseana Sarney se destacam. É o que diz a pesquisa do instituto Escutec, divulgada neste sábado (2), sobre as intenções de voto para as eleições 2022. A pesquisa mostra ainda as intenções de voto para a Presidência, em que Lula lidera e Bolsonaro perde. A Escutec ouviu 1.400 eleitores, de 23 a 30 de setembro e com margem de erro é de dois pontos percentuais para mais ou para menos.

A ex-governadora Roseana Sarney (MDB) lidera para o Governo do Maranhão, seguida do senador Weverton Rocha (PDT) e após, o ex-prefeito Edivaldo Holanda Júnior (PSD). O vice-governador Carlos Brandão (PSDB) vem em seguida. Na lista de nove nomes apresentados, os melhores colocados são Roseana Sarney (26%), Weverton Rocha (20%), Edivaldo Júnior (12%) e Carlos Brandão (10%.)

Outros índices apontam Roberto Rocha (9%); o prefeito de São Pedro dos Crentes, Lahesio Bonfim (5%); o secretário de Indústria do Estado, Simplício Araújo (4%,); o deputado federal Josimar de Maranhãozinho (3%); e o secretário de Educação, Felipe Camarão (2%).

Sem o nome de Roseana, Weverton Rocha lidera com 24%, seguido por Edivaldo Júnior (17%), Roberto Rocha (14%), Brandão (11%), Lahesio (8%), Maranhãozinho e Simplício empatam com 5% e Felipe Camarão aparece com 3%. Nenhum dos candidatos foi a opção de 8% dos eleitores e não sabe ou não respondeu somaram 5%.

Senado

Na disputa ao Senado com Flávio Dino, ele lidera com 44%. Seguem Roberto Rocha (23%) e Josimar de Maranhãozinho (7%). Sem o governador no certame, disputam Roberto Rocha (42%), Othelino Neto (9%) e Josimar de Maranhãozinho (11%). A opção Nenhum dos candidatos, somou 20% e não sabe ou não respondeu, 18%.

Flávio Dino vence adversários em todos os cenários da disputa para 2022, aponta pesquisa Exata

Governo do Estado ou senado. O governador Flávio Dino venceria as disputas para as eleições 2022, se concorresse em qualquer um dos cargos – apesar de não poder concorrer ao Governo, por estar em seu segundo mandato. Ele lideraria contra Roseana Sarney, Weverton e Roberto Rocha. É o que afirma a pesquisa Exata, divulgada nesta sexta-feira (1º). A pesquisa questionou eleitores maranhenses sobre nomes ao Governo do Maranhão, Senado e também, a Presidência da República. Neste último, Lula lidera as preferências e Bolsonaro é o campeão em rejeição.

Foram 1432 entrevistados, por meio de  abordagem e domicílios sorteados, nas regiões Norte, Sul, Leste, Oeste, Central e Grande São Luís, na pesquisa realizada de 24 a 28 de setembro. A margem de erro foi de 3,2 pontos percentuais para mais ou para menos.

Na escolha do nome para presidência, sendo hoje a eleição. Lula sai na frente com expressivos 62%, seguido de Jair Bolsonaro (17%), Ciro Gomes (6%), Sérgio Moro (2%) e João Doria (1%). Brancos e nulos somaram 8% e os que não sabiam ou não responderam, 4%.

Jair Bolsonaro lidera na lista dos que não seriam escolhidos ‘de jeito nenhum’, com largos 65%. João Doria e Sérgio Moro empataram com o segundo maior índice de rejeição – 25% -, seguidos por Lula (21%) e Ciro Gomes (19%).  O total de 1% dos entrevistados disse que votaria em todos os nomes e 7%, não votaria em nenhum; não sabiam ou não responderam, 2%.

Governo

Para o Governo do Maranhão, sem Flávio Dino, a ex-governadora Roseana Sarney venceria, segundo a pesquisa. Roseana teria 27% das intenções de voto, seguida por Weverton Rocha (21%), Edivaldo Holanda Jr. (9%), Roberto Rocha (8%), Dr. Lahésio (7%), Carlos Brandão (6%), Josimar do Maranhãozinho (5%) e Simplício Araújo (1%). Brancos/nulos/nenhum e que não souberam ou não responderam, 8%.

No cenário sem Flávio Dino e sem Roseana Sarney, quem sairia na frente seria Weverton Rocha, com 32% dos votos. Seguindo, estariam Edivaldo Holanda Jr. (13%), Dr. Lahésio (12%), Carlos Brandão (11%) e Josimar do Maranhãozinho (8%). Nenhum/Branco/Nulo ficaram em 13% e que não sabiam ou não responderam, 11%.

Considerando quadros mais enxutos, Weverton Rocha sairia na frente – 39% –  em uma disputa com Edvaldo Holanda Jr. (17%) e Carlos Brandão (15%), tendo Nenhum/Branco/Nulo com 16% e não sabem ou não responderam, 13%. Num cenário apenas com Carlos Brandão, Weverton também vence com largos 48%, frente à 19% do seu adversário. Nenhum/Branco/Nulo somariam 20%; e que não sabem ou não responderam, 13%.

No quesito rejeição, a pesquisa perguntou aos entrevistados em quem não votariam de jeito nenhum. Roseana Sarney sai na frente, na rejeição do eleitorado, com 42%. Seguem a emedebista, Josimar do Maranhãozinho (30%), Carlos Brandão (21%), Simplício Araújo (16%), Roberto Rocha (15%), Weverton Rocha (14%), Edivaldo Holanda Jr. (14%) e Dr. Lahésio (13%). Um total de 22% dos entrevistados afirmou que votaria em todos; 21% não votaria em nenhum; e 4% não sabiam ou não responderam.

Senado

A pesquisa aponta Flávio Dino na frente para a disputa ao Senado, com 40%. Em segundo lugar, Roseana Sarney com 22%, seguida por Roberto Rocha (12%), Edivaldo Holanda Júnior (6%), Josimar do Maranhãozinho (6%) e Othelino Neto (3%). Nenhum/Branco/Nulo somaram 5% e que não sabiam ou não responderam, 6%.

Flávio Dino ganharia em cenários mais enxutos. Disputando com Roseana, ele teria 49% contra 31% da emedebista. Nenhum/Branco/Nulo somariam 15% e que não souberam ou não responderam, 5%. Em uma disputa com Roberto Rocha, Flávio Dino ganharia com índice 55% contra 28% do adversário. Nesse cenário, Nenhum/Branco/Nulo somariam 12% e que não souberam ou não responderam, 5%.

No quesito rejeição, os entrevistados, perguntados sobre em quem não votariam de jeito nenhum, Roseana Sarney sai mais uma vez na frente, com 40%. Seguida por Josimar do Maranhãozinho (29%), Flávio Dino (26%), Othelino Neto (19%), Roberto Rocha (18%) e Edivaldo Holanda Júnior (15%). Um total de 5% afirmou que votaria em todos os candidatos e 6% não votaria em nenhum. Que não sabiam ou não responderam, totalizaram 4% das intenções de voto.

A pesquisa finaliza avaliando a administração do governador Flávio Dino. A maior parte dos entrevistados considerou a gestão regular (37%). Um total de 32% dos pesquisados considerou boa; 13% péssima; 9% ótima; e 8% ruim. Não sabiam ou não responderam somaram 1%. No entanto, o governo Flávio Dino é aprovado pela maioria dos entrevistados – 65%. Não aprovam somou 33% e que não sabiam ou não responderam, 2%.

Jefferson Portela vai disputar Câmara dos Deputados

 

Jefferson Portela será candidato a deputado federal. E vai se unir ao senador Weverton Rocha, a quem, abertamente, já mostrou apoiar. Também se filiará ao partido de Weverton, o PDT. Com isso, Portela será menos um na lista de fortalecedores do nome de Carlos Brandão, principal candidato defendido pelo governador Flávio Dino.

Portela e Weverton estavam em viagem, no interior do Maranhão, em mais um encontro da coligação Maranhão Mais Feliz. Entre os auxiliares do governador Dino, Portela tem sido firme no seu apoio a Weverton, bem antes da pré-campanha. E Weverton, por sua vez, vem fortalecendo o nome de Portela.

No evento em Pinheiro, em reunião com prefeitos aliados, o senador reforçou o compromisso de ver o secretário eleito, pedindo empenho de sua base.

Deputados fechados com Brandão reforçam nome para 2022

O líder do Governo na Assembleia Legislativa, deputado Rafael Leitoa, foi um dos participantes de uma série de vídeos, mostrando querer reforço do nome de Carlos Brandão para a dipsuta de 2022.  Na mensagem, o deputado diz que, “com a saída do governador Flávio Dino, em abril, temos certeza que o nosso Maranhão vai sair no rumo certo”.

Os aliados estão no caminho para firmar a candidatura de Brandão como pré-candidato ao Governo do Estado, sendo ele o principal nome do governador Flávio Dino para a sucessão em 2022.

As manifestações pró-Brandão no Governo partem de outros fortes nomes, a exemplo do deputado Duarte Jr, que mostrou força na última campanha a prefeito de São Luís; Adelmo Soares, que foi secretário do governo Dino e tem bom trânsito no interior do Estado; Arnaldo Melo, ex-presidente da Assembleia; e Thaíza Hortegal.

O foco é por Brandão em primeiro lugar e fortalecer o nome do vice-governador para as eleições de 2022.

Eleições 2022: PT de olho no apoio de Flávio Dino

O Partido dos Trabalhadores começou a percorrer 20 cidades macrorregionais do Maranhão, com a caravana “Lula Livre, Brasil Livre”, no intuito de fortalecer a legenda com vista às eleições de 2022. São Bento será a primeira cidade a receber o primeiro ato da caravana, no Maranhão, promovido pelo Diretório Estadual do Partido dos Trabalhadores. O evento será realizado na Câmara de Vereadores do município. A caravana vai até 27 de novembro.

Segundo o deputado estadual, Luís Henrique Lula da Silva (PT-MA), a atual conjuntura política do Brasil, é extremamente complexa, adversa, e muito difícil. Sobre Flávio Dino, pontuou ser um caminho promissor. “Naturalmente que hoje o governador Flávio Dino (PSB) tem na sua base política três candidaturas. Nós também queremos saber se um dos nossos nomes expressivos do partido se não serve  para colocar nessa balança de [pré-candidatos]”, acrescentou o parlamentar. A preocupação nesse momento é posicionar a legenda no processo político do estado.

Citou que, o ato que ocorreu no último dia 7 de setembro, reafirmou a posição que o PT precisa ter com relação a essa disputa feita pela sociedade, na guerra de narrativas impostas pelo governo Bolsonaro.

Na última sexta-feira (16) o parlamentar usou a tribuna da Assembleia Legislativa do Maranhão e em seu discurso fez questão de destacar a recente decisão da unificação de posição dos partidos PT, PSOL, PCdoB, PSB, PDT, Rede, PV e Cidadania em relação à política nacional e ao governo Bolsonaro.

Eleições 2022: Nova pesquisa mostra liderança de Lula

Pesquisa do instituto Datafolha divulgada pelo site do jornal Folha de São Paulo, revela os índices de intenções de voto para a eleição presidencial de 2022.

O ex-presidente Lula manteve a liderança em relação ao presidente Jair Bolsonaro. No segundo turno, o ex-presidente tem 56% contra 31%. Lula também ganha nas simulações de disputa com os outros candidatos no segundo turno. Já Bolsonaro perde nos cenários pesquisados.

Na pesquisa estimulada, Lula aparece com 44%, seguido de Jair Bolsonaro com 26%. O ex-ministro Ciro Gomes aparece com 9%, o governador de São Paulo, João Doria tem 4% e o ex-ministro Luiz Henrique Mandetta tem 3%. Branco, nulo ou nenhum somam 11%. Não sabem 2%.

A pesquisa ouviu 3.667 pessoas entre os dias 13 e 15 de setembro em 190 cidades brasileiras. A margem de erro é de dois pontos para mais ou para menos, dentro do nível de confiança de 95%.

Felipe Camarão e a força com o PT

O secretário de Educação do governo Flávio Dino, Felipe Camarão, mostra condições de ampliar as vagas do partido, hoje reduzidas ao deputado Zé Carlos. A presença de Felipe Camarão no PT não apenas reforça a campanha de Lula, como também amplia as chances de o partido ter uma bancada inédita na Câmara Federal

Tido como opção de candidato a governador na base do governo Flávio Dino (PSB) – e apontado também como possível vice ou suplente de senador – o secretário de Educação Felipe Camarão é uma espécie de trunfo do PT nas eleições de 2022.

Felipe Camarão está melhor posicionado nas pesquisas de intenção de votos para a corrida sucessória e pode garantir ao partido do ex-presidente Lula uma bancada inédita na representação maranhense na Câmara Federal.

Camarão, não apenas garantir o próprio Zé Carlos como também abrir possibilidade para um terceiro nome, pela primeira vez na história do partido no estado. O nome do secretário é também cotado para composição de chapa com um dos candidatos da base governista; ou mesmo como suplente de senador do próprio Flávio Dino.

O PT entra na disputa pelas vagas da bancada maranhense, portanto, com amplas chances de ser um dos principais partidos a partir de 2022.