Márcio Jerry não mira ser vice-governador

O deputado federal licenciado e secretário de Estado das Cidades, Marcio Jerry, afastou a possibilidade de uma pré-candidatura a vice-governador, na chapa encabeçada pelo nome do grupo governista.

Em entrevista a jornal local, Jerry disse que seu desejo é disputar a reeleição e colocará seu nome à disposição do partido em convenção. O secretário falou sobre o desafio do PCdoB de superar a cláusula da barreira, como um dos motivos para disputar a Câmara.

Apontado como possível pré-candidato a vice-governador na chapa liderada pelo senador Weverton Rocha (PDT), ou pelo vice-governador, Carlos Brandão (PSDB), Marcio Jerry, que também é presidente estadual do PCdoB, representaria o ex-partido do governador Flávio Dino na majoritária.

Eleições 2022: Brandão e Weverton juntos

O vice-governador Carlos Brandão (PSDB) e o senador Weverton Rocha (PDT) têm se reunido cada vez mais, desde a reunião com o governador Flávio Dino (PSB). Ao que tudo indica, buscam juntos o consenso para a escolha do candidato da base governista em 2022.

Imagens que ganharam a imprensa, a blogosfera e as redes sociais no fim de semana foram a confirmação de um fato já consolidado nos bastidores: Brandão e Weverton estão mais próximos.

Em reunião dia 6 de julho, Flávio Dino estabeleceu os critérios para escolha do seu candidato. Os dois principais nomes da base têm conversado constantemente, um tentando convencer o outro de que é a melhor opção do grupo.

Há duas semanas, por exemplo, o vice-governador e o senador reuniram-se em um jantar a sós, em que foram colocados argumentos de convencimento mútuo. Weverton ofereceu, mais uma vez, apoio a Brandão em eventual indicação para o Tribunal de Contas do Estado, ao que foi recusado.

Weverton, por exemplo, deixou de realizar reuniões no interior e de ostentar apoios de partidos, prefeitos e lideranças, embora mantenha suas articulações nos bastidores.  O senador espera que os termos do Pacto assinado por Flávio Dino e Brandão sejam cumpridos em novembro, quando pretende mostrar o cumprimento de todos os pré-requisitos para ser o candidato da base.

Brandão também recuou na pressão para que Flávio Dino assuma logo sua preferência por ele. Mas continua realizando reuniões políticas com partidos fora da base, a exemplo do MDB e do PSD, que fazem oposição de Dino.

O vice-governador espera ser indicado em novembro dentro de critérios próprios, como o fato de que assumirá o governo em abril e terá condições de manter as políticas implantadas por Flávio Dino.

Eleições 2022: No Maranhão, apoio do PT pode ser decisivo

A proximidade e apoio do Partido dos Trabalhadores, nas eleições de 2022, virou ponto estratégico para os pré-candidatos ao governo do Maranhão. Com vistas a confirmar o apoio do partido ao projeto do PDT, o ex-ministro e ex-presidente do PT, José Dirceu, esteve no Maranhão e encontrou-se com o senador Weverton Rocha, aliado antigo da legenda e do ex-presidente Lula.

O senador Weverton Rocha busca a confirmação do apoio e já esteve também com Lula, tratando sobre uma possível parceria no estado.

Já o vice-governador Carlos Brandão mira também o apoio do partido. Ele já conversou com militantes estaduais do partido, como os deputados Zé Inácio, Zé Carlos, integrantes Augusto Lobato e Washington Luís.

O PT garante um tempo considerável de aparição no período eleitoral. Algo crucial na disputa, sendo o partido de maior bancada na Câmara dos Deputados e do maior tempo de TV.  A decisão do partido deve ficar para o início do próximo ano.

Eleições 2022: José Dirceu reforça conversas com políticos locais

O ex-ministro José Dirceu reuniu com o governador Flávio Dino e com membros do PCdoB e do PT. Dirceu está no Maranhão desde a semana passada, hospedado an casa do senador Weverton Rocha, em Barreirinhas. Apesar das férias, José Dirceu, é o principal interlocutor de Lula e cumpre agenda política no Maranhão.

O ex-ministro e ex-presidente do PT, José Dirceu, cumprirá na tarde desta sexta-feria, 23, sua agenda de compromissos políticos com potenciais aliados do partido para as eleições de 2022.

No Maranhão, ele já se reuniu também com o presidente nacional do PDT, Carlos Lupi, com o governador  Flávio Dino (PSB) e com líderes do PCdoB, a exemplo do deputado federal Márcio Jerry. Dirceu vai encaminhar as costuras para a montagem da frente ampla de esquerda que pretende formar para as eleições presidenciais. Além de PDT, PCdoB, PSB e MDB, o PT dialoga também com o PSOL.

Jair Bolsonaro recua de filiação ao Patriota

O presidente Jair Bolsonaro não vai mais se filiar ao Patriota, por conta da mudança no comando da sigla. A afirmação veio do presidente afastado do partido, Adilson Barroso. Paralelamente, a filiação do senador Flávio Bolsonaro, parece estar com os dias contados. “Com o partido nas mãos de esquerdistas, ele não vem mais. Para o Patriota, ficou difícil”, disse.

No último dia 9, o Tribunal Superior Eleitoral (TSE) validou a convenção nacional do Patriota que decidiu pelo afastamento, por 90 dias, de Barroso. O novo dirigente é Ovasco Resende, antes vice-presidente do partido.

Quanto a possível filiação do presidente Bolsonaro ao Patriota, Ovasco já disse que o grupo nunca foi contra, e que sempre esteve aberto ao diálogo. No entanto, o mandatário mantém interesse nos diretórios de São Paulo, Rio de Janeiro e Minas Gerais, partes mais sensíveis de serem negociadas.

Sendo assim, Bolsonaro vai continuar sua busca por uma legenda. Uma reunião do presidente com o bloco dos partidos PSC, PTB e PROS, que ocorreria no último dia 15, foi adiada para o próximo dia 22 e tem como foco discussões sobre a filiação do capitão da reserva para as eleições de 2022. O mandatário ainda tem mantido conversas com o PP e o PL.

Flávio Dino reúne com Carlos Lupi no Maranhão

É esperado o encontro entre o governador Flávio Dino (PSB) e o presidente nacional do PDT, Carlos Lupi. Ele deve vir ao Maranhão conversar com Dino e no encontro, diversas pautas devem ser debatidas, incluindo a eleição para a presidência da República.

Flávio Dino tentará unir o PDT ao PT e dialogar sobre uma possível aliança entre o ex-presidente Lula e o ex-ministro, Ciro Gomes, adversários políticos. O encontro promete movimentar o cenário político estadual e nacional nesta semana.

Na esfera local, Carlos Lupi tentará convencer Dino sobre o apoio à pré-candidatura do senador, Weverton Rocha, ao Governo do Estado. O Maranhão deve concentrar os olhares da disputa eleitoral para 2022.

Rocha aposta em filho para continuidade na política

Roberto Rocha Júnior pode ser um nome na disputa para a Câmara Federal,

nas eleições de 2022. Ele, que é ex-vereador de São Luís, recebeu convocação do pelo pai, Roberto Rocha. Rocha Júnior tinha saído da política desde 2016, quando foi o candidato a vice-prefeito, na chapa do deputado Wellington do Curso, mas acabaram em terceiro lugar.

Atualmente, ele segue o pai em agendas de visitas a obras e até faz entregas de maquinários, viabilizados pelo mandato do pai. Já visitou municípios maranhenses como Viana, Vitória do Mearim e também, bairros de São Luís, tudo como preparativo para um futura disputa eleitoral.

Caso seja lançado como deputado federal, Roberto Rocha Júnior será o futuro político do pai. Roberto Rocha deve disputar o Governo do Estado ou nova vaga no Senado Federal.

PSD articulado para lançar candidato próprio ao governo

O papel da oposição nas eleições de 2022 no Maranhão foi um dos assuntos da entrevista que o deputado estadual César Pires concedeu nesta quinta-feira (15) à TV Mirante.

Ele declarou que a candidatura a governador do ex-prefeito de São Luís, Edivaldo Holanda Júnior, faz parte do projeto nacional do PSD, coordenado no Maranhão pelo deputado federal Edilázio Júnior.

César Pires reafirmou que continuará sua trajetória na oposição, e confirmou que ingressará no PSD em março do próximo ano, na janela partidária. Mas fez questão de enfatizar que deixará o PV sem nenhuma mágoa, e que sou mudança partidária ocorre em decorrência das limitações partidárias do PV, em nível nacional.

Sobre a disputa majoritária de 2022, César Pires afirmou que a candidatura de Edivaldo é um projeto do PSD nacional, conforme afirmou o próprio presidente do partido, Gilberto Kassab, em encontro do qual participou em Brasília com o deputado federal Edilázio Júnior, dirigente da legenda no Maranhão.

Em seu projeto nacional, como quarto maior partido do Brasil, o PSD quer eleger 80 deputados federais e lançar candidatos aos governos estaduais e a presidente da República. “Edivaldo Holanda Júnior será o nosso candidato a governador, saindo da dicotomia Bolsonaro x Lula, com ideias novas. Não temos atrelamento ao governo Flávio Dino. Temos nossas convicções e faremos de Edivaldo Júnior o próximo governador do Maranhão”, afirmou César Pires.

John Cutrim

Eleições 2022: 14 secretários estaduais devem deixar cargo para disputa eleitoral

Um total de 14 secretários do governo Flávio Dino são pré-candidatos a deputado estadual ou federal em 2022. O número é maior do que os que encararam a disputa em 2018. A maioria deve concorrer a uma das 42 vagas na Assembleia Legislativa.

Na lista, Carlos Lula (Saúde), Rodrigo Lago (Agricultura Familiar), Catulé Júnior (Turismo), Rogério Cafeteira (Esporte), Francisco Gonçalves (Direitos Humanos), Jowberth Alves (Trabalho e Economia Solidária) e Júlio Mendonça (Agência de Pesquisa Agropecuária).

Dos que devem disputar uma das 18 vagas na Câmara dos Deputados estão Felipe Camarão (Educação), Márcio Jerry (Cidades), Rubens Pereira Júnior (Articulação Política), Clayton Noleto (Obras), Marcio Honaiser (Desenvolvimento Social), Jefferson Portela (Segurança Pública) e Simplício Araújo (Indústria e Comércio).

Felipe Camarão tem filiação homologada pela executiva do PT

Por unanimidade, a executiva estadual do Partido dos Trabalhadores homologou, nesta quinta-feira (8), a filiação do secretário estadual de Educação, Felipe Camarão, pré-candidato a deputado federal nas eleições do ano que vem.

Conforme já era previsto, os dezoito membros da executiva aprovaram o pedido do secretário, que chega, segundo o presidente Augusto Lobato, para somar e ajudar o partido a aumentar sua bancada na Câmara Federal.

“Recebemos com  muita alegria a filiação de Felipe Camarão. É um excelente secretário e vai ser um grande militante do PT”, disse Lobato após a reunião.

 

Ao tomar conhecimento, através do presidente sobre a aceitação do seu pedido de filiação, Camarão usou sua rede social para agradecer aos dirigentes petistas: “ficou imensamente honrado em fazer parte do maior partido do Brasil”, observou. Blog do Jorge Vieira