Petrobrás aumenta os preços da gasolina e do diesel

Os preços da gasolina e do diesel serão reajustados para as distribuidoras, informou a Petrobras, em comunicado nesta terça-feira (11). Os aumentos passam a valer a partir de amanhã.

Com o reajuste, o preço médio de venda da gasolina passará de R$ 3,09 para R$ 3,24 por litro, o que representa um aumento de 4,85%. O diesel vai subir de R$ 3,34 para R$ 3,61 por litro, alta de 8,08%.

A estatal justificou dizendo que “esses ajustes são importantes para garantir que o mercado siga sendo suprido em bases econômicas e sem riscos de desabastecimento pelos diferentes atores responsáveis pelo atendimento às diversas regiões brasileiras: distribuidores, importadores e outros produtores, além da Petrobras”.

Maranhão congela ICMS por 90 dias

Os estados aprovaram, por unanimidade, o congelamento do valor do Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS) cobrado nas vendas de combustíveis por 90 dias para mitigar a alta dos preços ao consumidor final, na bomba dos postos de gasolina. O Maranhão se insere na proposta. O congelamento valerá de 1.º de novembro de 2021 até 31 de janeiro de 2022.

Com a decisão, o preço base de incidência das alíquotas do ICMS praticadas pelos Estados fica congelado até fim de janeiro, não importando o preço cobrado pela Petrobras. Na regra atual, a atualização de preço médio é feita de 15 em 15 dias, alimentando a alta dos combustíveis.

A decisão foi tomada pelo Conselho Nacional de Política Fazendária (Confaz), colegiado que harmoniza as normas do ICMS, tributo cobrado pelos Estados, e conta com a presidência do Ministério da Economia.

A medida começa a valer no dia em que está prevista uma greve de caminhoneiros em protesto contra o preço do diesel, para o qual a Petrobras anunciou alta de 7% nesta semana. Foi o segundo aumento do mês de outubro anunciado pela estatal. No ano, só a gasolina já acumula alta de mais de 70%.

Boa notícia: Combustível mais barato

Dez dias após o último reajuste, a Petrobras anunciou uma nova mudança para os preços dos combustíveis, com queda de 0,20% no preço da gasolina nas refinarias e aumento de 1,40% no preço do diesel.

Com a nova política de revisão de preços adotada pela empresa no final de junho, a Petrobras consegue acompanhar as condições do mercado e enfrentar as concorrências de importadores.

A empresa avalia as condições do mercado para conseguir se adaptar às demandas, o que pode acontecer diariamente. Assim, ao invés de esperar um mês para o reajuste de preços, eles podem mudar semanalmente. Os novos valores começam a valer a partir desta terça-feira, 24. Quem não curte a ideia é o consumidor, que sofre com os aumentos constantes e precisa reprogramar mais uma vez o orçamento.

Além da concorrência, na decisão de revisão de preços, pesam as informações sobre o câmbio e as cotações internacionais.