São João do Maranhão terá mais de 500 atrações

O São João do Maranhão começa dia 27 de maio e prossegue até dia 31 de julho. maio. O evento terá arraiais descentralizados em vários pontos da Grande Ilha e em outros municípios do Estado.

A programação será de quinta a domingo, na maioria dos arraiais. O público evangélico também será contemplado com o Arraial do Povo de Deus, no Parque do Rangedor, dias 1° e 2 de julho.

Serão mais de 500 atrações ao longo de dois meses, em datas específicas, são praça Nauro Machado, Ipem, zona rural, Shopping da Ilha, Cohama, Ceprama, Vila Palmeira, Cidade Operária, Maiobão, Santo Antônio, Lagoa da Jansen e Convento das Mercês.

Na Nauro Machado, a programação vai de 11 de junho a 3 de julho; da Vila Palmeira, com um mês de duração, de 2 de junho a 2 de julho, de quinta a domingo para ambos; e o do Ipem, que funcionará diariamente, de 11 de junho a 10 de julho.

Feirinha Ribamar retoma suas atividades

A Feirinha Ribamar retornou suas atividades, neste fim de semana, após ter sido interrompida por conta da pandemia da Covid-19. Agora, em ambiente epidemiológico seguro, a feirinha voltou para abrilhantar as manhãs de domingo ribamarense.

A feirinha permanece no mesmo local, em frente à Baía de São José, um dos mais bonitos cartões postais da Ilha de São Luís.

As barracas de Gastronomia, Hortifruti, Artesanato, Food Truck e Institucional estarão abertas sempre a partir das 8h, para receber os turistas e visitantes.

“Voltamos com as atividades de nossa Feirinha, e aos poucos vamos retornar as nossas atividades culturais. Continuamos investindo no pequeno empreendedor, pois dele faremos nossa cidade mais próspera e desenvolvida”, disse o prefeito Dr. Julinho.

Prefeitura de Ribamar participa do Festival Maranhense de Sabores

A cidade de São José de Ribamar vai participar da primeira edição do Festival Maranhão de Sabores, que será de 12 de fevereiro a 6 de março. O objetivo do evento é valorizar a culinária maranhense e os sabores locais.

Podem participar do evento estabelecimentos enquadrados na Classificação Nacional de Atividades Econômicas (CNAE) como bares, restaurantes e similares, que contenham espaço físico de funcionamento.

O festival gastronômico está divido em duas etapas classificatórias, com quatro categorias: Prato Principal, Petiscos, Massas ou Sanduíches e Melhor Atendimento.

A inscrição é gratuita e deve ser feita até o dia 9 deste mês, pelo site www.festivalmaranhaodesabores.com.br/regulamento.

O festival é idealizado pela Secretaria de Estado de Indústria, Comércio e Energia (Seinc), com o patrocínio da Cervejaria Heineken e apoio da Associação Brasileira de Bares e Restaurantes no Maranhão (Abrasel-MA).

 

Feriado aquece ocupação de hotéis nos Lençóis

O polo Lençóis e Delta já desponta com taxa de ocupação na casa dos 83,6% de ocupação, para o feriado desta segunda-feira (15), dia da Proclamação da República. O levantamento é da Secretaria de Estado do Turismo (Setur), por meio do Observatório do Turismo do Maranhão.

A previsão para a taxa de ocupação hoteleira em São Luís é de 63%. Os números devem aumentar nos próximos dias, com novas vendas realizadas no balcão dos meios de hospedagem do estado.

 

Camboa: Pedras que alimentam em São José de Ribamar

A pesca é umas das principais atividades que movimentam a economia da cidade de São José de Ribamar. O município é cercado por portos, e o aglomerado de embarcações garantem o pescado que sustenta muita gente na Cidade Balneária.

Existem várias formas de pescar. Entre elas, a pesca por meio de camboas ou currais, que são armadilhas fixas formadas por pedras ou estacas. Elas ficam submersas quando a maré enche, os peixes sobem junto com a maré e quando ela vaza, os cardumes ficam presos.

Esse tipo de pesca artesanal é tradicional em toda a costa brasileira. Em São José de Ribamar, também há relatos dessa forma de capturar peixes. De acordo com o pesquisador e historiador Antônio Miranda, as camboas exitem há séculos. “Em 1618, quando os Frades Franciscanos chegaram para catequizar os índios, eles já encontraram esse tipo de construção”, relatou.

A Ponta Verde era habitada pelos Índios Gamelas, que viviam da pesca e do cultivo de frutas, segundo Miranda. Apesar de parecer uma obra da natureza, as camboas foram feitas pelos indígenas. “Elas eram uma rica fonte de alimento, porque os índios conseguiam pegar uma enorme quantidade de peixe”, frisou.

Além da Ponta Verde, as camboas são encontradas nas praias de Panaquatira, Caúra e Barbosa. Antônio relata que as armadilhas precisavam passar por manutenção constantemente. “Com o vai e vem das marés, as pedras enterravam na areia, o que reduzia o tamanho do curral. Por essa razão, os índios empilhavam mais pedras. Algumas camboas eram maiores que um homem,” conta o pesquisador.

No século 20, com o crescimento populacional, algumas pessoas começaram a retirar as pedras dos currais para fazer alicerces das casas. Ainda hoje os currais podem ser vistos na Ponta Verde, Caúra e Panaquatira. Na Praia do Barbosa, apenas uma marcação de pedra indica o local que era uma fonte rica de peixes. Esse tipo de pesca continua na cidade.

 

 

Praia de Banho em Ribamar: reduto de turismo e lazer

Contato com a natureza, sensação de liberdade, brisa do mar batendo no rosto e uma paisagem magnífica, que muda a cada minuto pelo vai e vem das marés. Essas são algumas características que descrevem a Praia de Banho, em São José de Ribamar.

Além da forte religiosidade, a cidade tem infinitas belezas naturais. A praia está localizada no Centro da Cidade Balneária e pode ser acessada pela escadaria da Praça João Lammer ou pela Avenida Beira-Mar. Com uma visão paradisíaca, a praia conta com bares, restaurantes e pousadas, que possibilitam um ambiente familiar e confortável.

A Praia de Banho é um belo lugar para visitar e levar a família. O contato com a natureza e a variação da maré transformam em único o momento de quem a visita. Se você ainda não conhece essa praia, não perca tempo e viva uma experiência única.

A praia já era utilizada desde 1800. Na década de 1950 houve uma revolução religiosa por causa das imagens de São José. Durante esse período, oito poços foram descobertos na praia e ficavam visíveis apenas quando a maré estava seca. Serviam para moradores e turistas pegarem água. Hoje, há apenas um poço marcado com uma manilha ao lado do trampolim da praia.

Em 1970, houve uma necessidade de melhorar o acesso ao local e uma escadaria foi feita por trás da Gruta, mas se deteriorou com o passar dos dias. No fim do anos 80 e início dos anos 90, o quebra-mar foi construído. Também nesse período, o acesso à praia melhorou, transformando a praia no que ela é nos dias atuais.

Blitz do turismo orienta visitantes do Festejo de São José de Ribamar

O fim de semana foi marcado pelo acolhimento aos turistas com a Blitz do Turismo, montada ao lado da Igreja Matriz. O projeto é para quem tem frequentado São José de Ribamar, principalmente devido ao Festejo de São José, que ocorre até 26 de setembro.

Essa é uma iniciativa da prefeitura de São José de Ribamar, por meio da Secretaria de Turismo, Cultura, Esporte e Lazer (Semtur), com agentes levando informações e orientações aos visitantes do município.

Entre os mais variados segmentos turísticos que estão sendo desenvolvidos na cidade, a Semtur destaca: o Turismo Náutico; Turismo de Aventuras (passeio de Buggy); turismo Gastronômico (culinária típica); Turismo Cultural (exposições, histórias e lendas); Turismo de Sol e Praia; e o tradicional Turismo Religioso.

Um dos objetivos do planejamento do turismo na cidade é desenvolver o empreendedorismo, motivar o trade turístico, investir mais em estabelecimentos hoteleiros, agências de turismo, embarcações, restaurantes, traslados, guia de turismo, entre outros.

“O turismo é imprescindível para nossa cidade que é rica em cultura, religiosidade, natureza exuberante, e que casam justamente com o turismo religioso, os quais juntos formam um importantíssimo vetor de emprego e renda para nossa população, bem como apresentam ao mundo a belíssima cidade de São José de Ribamar”, finalizou o secretário da Semtur, Urubatan Neto.

As ações seguem durante os fins de semana e se estenderá até o encerramento do festejo, cumprindo os protocolos sanitários de proteção à Covid-19.

Aeroporto de Barreirinhas deve entrar em atividade em 2022

O Aeroporto de Barreirinhas, principal cidade dos Lençóis Maranhenses, deve começar a receber voos nacionais a partir de 2022.

O terminal dispõe de espaço para embarque, desembarque, banheiros no primeiro e segundo pavimentos, incluindo instalações próprias para pessoas com deficiência física, saguão, área de exposição, lojas e um anexo para área administrativa.

O local tem capacidade de pouso e decolagem para aeronaves do modelo A319 com até 120 passageiros. Já o terminal terá capacidade para atender 300 pessoas por dia.

 

Secretários de Turismo da Região Metropolitana discutem roteirização do setor

De forma presencial e seguindo todos os protocolos sanitários, secretários de cinco municípios que fazem parte da Região Metropolitana reuniram-se para discutir a Roteirização do Turismo na Região Metropolitana de São Luís. A reunião marcou o IV Encontro de Instância de Governança. O objetivo foi debater a modernização do turismo e de que forma a gestão de São José de Ribamar tem progredido para expandir o turismo no município, mesmo com a pandemia.

“É uma satisfação receber esse encontro com a presença de secretários de turismo da região. Isso demonstra a força integrativa da administração do prefeito, e a nossa gestão é participativa, dinâmica e que promove a unidade entre os municípios. Esse é o nosso foco e o nosso progresso”, destacou o secretário de Turismo e Cultura de São José de Ribamar, Urubatan Neto.

Participaram do encontro, os secretário de Turismo Saulo Ribeiro (São Luís), Diego Ricci (Paço do Lumiar) e Alysson Penha (Raposa), a adjunta de Turismo de São José de Ribamar, Polyana Paixão e o assessor da secretaria de Turismo de Alcântara, Bruno Ferrer.

Mais da metade dos turistas de São Luís são do sul e sudeste

São Luís registrou uma mudança no perfil de turista que recebe. No mês de junho, foi observado que 58% dos turistas vieram das regiões Sul e Sudeste, seguido de 25% vindos da região Nordeste – que regularmente envia a maior quantidade de turistas para São Luís.

Essa informação é baseada na série histórica de pesquisas do Observatório de Turismo da Cidade, vinculado ao grupo de pesquisa “Turismo, Cidades e Patrimônio”, da Universidade Federal do Maranhão (Ufma), em parceria com a Prefeitura de São Luís, por meio da Secretaria Municipal de Turismo (Setur). As pesquisas de demanda turística são realizadas desde 2017.

De acordo com os dados, o gasto médio diário informado pelos entrevistados foi de acima de R$ 200 durante a estadia em São Luís. 75% dos entrevistados ficaram em meios de hospedagem, 15% em casa de parentes e 11% em apartamentos e casas alugadas. É do Estado de São Paulo a maioria dos turistas que visitaram São Luís.

Em relação à permanência na Ilha, a maior parte informou que ficaria entre um e cinco dias (55%). Outro dado importante da pesquisa é que 93% dos turistas avaliaram como boa ou excelente a experiência em São Luís. Além disso, os locais mais visitados foram Centro Histórico (26%), seguido de bares e restaurantes (18%) e praias (16%).

Além disso, o fluxo de passageiros (embarque e desembarque) em junho de 2021 no aeroporto de São Luís apresentou um crescimento de 425,81% no comparativo de 2020. Isto representa uma retomada dos voos para o destino, assim como do turismo, de forma gradativa.

O destino São Luís conquistou o selo de Viagem Segura (Safe Travels) após apresentar ao Conselho Mundial de Viagens e Turismo (WTTC) um documento com uma série de protocolos que estão sendo adotados na administração pública municipal. A partir disso, a Setur incentivou estabelecimentos do turismo como agências, bares e restaurantes a aderirem também.