Prefeitura capacita enfermeiros para atuação em setor de Covid-19

Pensando no bem-estar da população durante a Pandemia, a prefeitura de São José de Ribamar vai criar, no Hospital Maternidade do município, o setor de combate à Covid-19. Em virtude disso, os enfermeiros da unidade passaram por um curso de capacitação, na última semana.

“Esse curso direcionado à equipe de Enfermagem servirá para adequação aos protocolos da pandemia para a equipe que atuará no setor Covid-19 do Hospital”, disse o gerente de Enfermagem do Hospital Maternidade, César Cipriano.

Um dos temas da capacitação foi a assistência de Enfermagem ao paciente com Covid-19, submetido à ventilação mecânica.”Abordaremos os cuidados da equipe multidisciplinar e falar de temas que precisamos saber sobre a Covid”, destacou a enfermeira Altayza Souza, que ministrou a palestra.

Mandetta e Teich: primeiros a depor na CPI da Pandemia

Começa hoje, 4, a Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) da Pandemia. O Senado ouve, de forma semipresencial, os primeiros depoimentos de ex-ministros da Saúde. Serão ouvidos Luiz Henrique Mandetta e Nelson Teich, respectivamente, a partir das 10h e das 14 horas.

Ambos estarão presencialmente na sala da CPI e serão ouvidos na condição de testemunhas. Mandetta deixou o cargo ainda no início da pandemia, em meados de abril de 2020. À época, o Brasil registrava 1.924 mortes. Já o médico Nelson Teich, que sucedeu Mandetta, ficou menos de um mês no ministério.

A expectativa é que a primeira parte da reunião de hoje se estenda até a tarde e atrase o horário de Teich. Mandetta responderá, primeiramente, a questionamentos elaborados pelo relator, senador Renan Calheiros (MDB/AL), que tem prioridade para fazer as perguntas e tempo livre para isso. Pelo menos 50 questões foram preparadas pelo senador.

Na sequência, os demais senadores membros titulares, suplentes e até os não membros da CPI terão cinco minutos para fazer perguntas. O depoente tem outros cinco minutos para responder. Para réplica e tréplica serão destinados outros três minutos aos parlamentares.

A CPI da Pandemia, instalada na semana passada, foi criada para apurar ações e possíveis omissões do governo federal durante a pandemia da covid-19. Os repasses da União feitos para estados e municípios também estão na mira dos parlamentares.

Cronograma

Para quarta-feira (5) está previsto depoimento do general Eduardo Pazuello, que esteve por mais tempo no comando do Ministério da Saúde desde o início da pandemia. Na quinta-feira, será a vez do atual ministro, o cardiologista Marcelo Queiroga. No mesmo dia, os senadores também ouvirão o diretor-presidente da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), Antonio Barra Torres.

Primeiro lote de vacina Pfizer chega ao Maranhão

Nesta segunda-feira, 3, o Maranhão recebe o primeiro lote de vacinas Pfizer. São 10.530 doses do imunizante para a aplicação, nesta etapa, apenas na capital São Luís. O público alvo são pessoas com comorbidades, gestantes, puérperas e pessoas com deficiência permanente.

A logística de recebimento e armazenamento é organizada pela Secretaria de Estado da Saúde (SES). As vacinas serão armazenadas em ultrafreezers, aparelhos que garantem a conservação adequada da vacina e podem chegar à temperatura de –86°.

Chegam também 173.250 doses da vacina AstraZeneca para dar continuidade a campanha de imunização contra a Covid-19. Essas doses também serão destinadas para o público citado anteriormente, além do público de 60 a 64 anos.

As doses serão encaminhadas para a Rede de Frio da SES, responsável pela distribuição aos municípios maranhenses. Com a nova remessa, o Maranhão totaliza 1.907.370 doses recebidas, sendo 830.000 da AstraZeneca, 1.066.840 doses da CoronaVac e 10.530 doses da Pfizer.

Vacina contra Covid-19 para profissionais da educação com 40 anos

Os profissionais das redes pública estadual e federal de educação, com 40 anos ou mais, podem receber a vacina contra a Covid-19, a partir desta segunda (3), em São Luís.

Podem ser vacinados professores, gestores, supervisores, merendeiras, zeladores, porteiros e técnicos da ativa de unidades cadastradas no Ministério da Educação (MEC) com lista enviada para a Secretaria de Estado da Educação (Seduc).

A vacinação acontece das 8h às 16h, no drive-trhu do São Luís Shopping e também no Centro Integrado Rio Anil, localizado no antigo Cintra. Pela manhã, serão vacinados os nascidos de janeiro a junho. Pela tarde, as doses serão aplicadas nos nascidos de julho a dezembro.

Para receber a vacina, os profissionais devem levar RG, Cartão de Vacina (Se não tiver, é feito no local), Cartão do SUS e contracheque ou declaração da direção.

Mais de 150 municípios superaram os 80% das vacinas aplicadas

Gráfico apresentado pelo governador Flávio Dino, na mais recente coletiva, mostra que 153 municípios maranhenses já ultrapassaram a marca de 80% das doses de vacinas contra a covid-19 aplicadas. Com isso, estas cidades estão aptas a receber mais remessas do Governo do Estado.

Segundo o gráfico, 52 cidades estão com percentual entre 70% e 80%, sete entre 60% e 70% e apenas cinco entre 50% e 60%. Os dados ficam registrados no sistema do Ministério da Saúde, que mede o nível de aplicabilidade da vacina nas regiões.

O governo do Maranhão já recebeu 1,58 milhão de doses  e distribuiu 1,45 milhão. O total de doses aplicadas é de 1,22 milhão.

Maranhão recebe mais de 11 mil doses de vacinas contra a Covid-19

Novo lote com 11.400 doses de vacina contra a Covid-19 chegou ao Maranhão. Segundo a Secretaria de Estado da Saúde (SES), já foram totalizadas 1.723.590 doses de vacinas entregues ao estado.

As vacinas serão destinados às pessoas com comorbidades, gestantes e puérperas e pessoas com deficiência permanente. Nesta remessa também estão inseridas doses para continuidade da imunização de pessoas de 60 a 64 anos e do grupo de forças de segurança, salvamento e forças armadas.

Os municípios maranhenses contabilizaram 1.270.222 doses aplicadas. Dentre as cidades com cobertura de vacinação abaixo de 60% estão Itaipava do Grajaú, Buriti Bravo, Matões do Norte e Boa Vista do Gurupi.

Após 400 mil mortes, Governo Federal anuncia programa de testagem

Após mais de um ano de pandemia e cerca de 400 mil mortes, o ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, anunciou nesta quarta-feira (28), que o governo federal vai implantar  um programa de testagem contra o novo coronavírus. A medida é recomendada por epidemiologistas e organizações sanitárias internacionais, desde a primeira metade de 2020, para monitorar a pandemia.

“Em breve, anunciaremos um programa de testagem da população com antígeno, para que possamos adotar uma política melhor de quarentena para esses indivíduos afetados pela Covid”, disse Queiroga.

A falha na implantação da testagem contra o novo coronavírus é uma das 23 acusações que podem ser feitas contra o governo de Jair Bolsonaro na Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) da Covid-19, segundo lista preparada pela própria Casa Civil.

De acordo com a plataforma Covid-19 no Brasil, já foram realizados cerca de 43 milhões de testes no Brasil, mas esse número inclui exames PCR, de antígenos e sorológicos. Para efeito de comparação, a Itália, com uma população 3,5 vezes menor, fez 45 milhões de testes PCR, tido como “padrão ouro” para diagnosticar a doença.

Municípios com baixa cobertura de vacinação serão alvos do TCE

O Tribunal de Contas do Estado (TCE-MA) vai realizar fiscalização nos municípios do Maranhão com menores percentuais de cobertura na vacinação contra a Covid-19. A medida inclui também os que não prestaram informações obrigatórias ao órgão, em descumprimento da Decisão Normativa nº 39/2021. Nesses casos também haverá o pagamento da multa prevista.

Dos 217 municípios maranhenses, 190 elaboraram e encaminharam seus Planos de Vacinação, sendo que, desse total, 151 atendiam aos requisitos do Plano Estadual de Vacinação. Um total de 10 municípios não encaminharam ou encaminharam de forma inadequada; nove não responderam ao quesito sobre a adequação ao Plano Estadual e oito não encaminharam o questionário até o momento.

Um total de 119 municípios não publicaram seus Planos de Vacinação nos Portais da Transparência, outra exigência da Decisão Normativa do TCE. De acordo com a análise do Tribunal, a divulgação e campanha sobre a vacina são aspectos que precisam ser melhorados. Além disso, o processo de informação no sistema nacional sobre o registro da vacinação ocorre de forma precária na maioria dos municípios.

Como pontos positivos, o estudo destaca a utilização dos sites das prefeituras para divulgação e orientação da população. A maioria traz informações atualizadas sobre a pandemia da covid-19, sobre a vacinação e cadastro para os grupos prioritários, além de orientações sobre prevenção e divulgação das medidas restritivas.

Ministro da Saúde relata dificuldade em fornecer vacinas para 2ª dose da CoronaVac

O ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, admitiu nesta segunda-feira (26), que há “dificuldade” no fornecimento de vacinas para aplicação da segunda dose da CoronaVac, utilizada contra a Covid. A declaração foi dada ao participar de uma sessão da comissão do Senado que discute medidas de combate à doença.

“Tem nos causado certa preocupação a CoronaVac, a segunda dose. Tem sido um pedido de governadores, de prefeitos, porque, se os senhores lembram, cerca de um mês atrás se liberou as segundas doses para que se aplicassem. E agora, em face de retardo de insumo vindo da China para o Butantan, há uma dificuldade com essa 2ª dose”, declarou Queiroga no Senado.

Nas últimas semanas, municípios de Alagoas, Pernambuco, Rio Grande do Norte, São Paulo, Amapá e Paraíba limitaram ou suspenderam a imunização, por falta de doses para a segunda aplicação. Há cerca de um mês, em 21 de março, o Ministério da Saúde mudou a orientação e autorizou que todas as vacinas armazenadas pelos estados e municípios para garantir a segunda dose fossem utilizadas imediatamente como primeira dose.

Vigilância Estadual realiza mais de 10 mil fiscalizações na pandemia

A Superintendência de Vigilância Sanitária (Suvisa), serviço ligado à Secretaria de Estado da Saúde (SES), já realizou 10.065 ações de enfrentamento à Covid-19, desde março de 2020. Foram 8.981 inspeções em estabelecimentos comerciais, 917 blitzen para verificação do cumprimento das normas, 121 barreiras sanitárias no Aeroporto Internacional Marechal Cunha Machado e 46 barreiras de trânsito em São Luís.

Foram lavrados 8.981 Termos de Fiscalização; 1.706 Termos de Intimação exigindo o cumprimento de diretrizes sanitárias; 304 Autos de Infração, conduzindo para abertura de processos administrativos sanitários; 61 multas e 38 interdições sanitárias de estabelecimentos reincidentes ou que se recusaram a cumprir o decreto estadual.

Na capital, os agentes identificaram maior incidência de registros nos bairros Centro (6,8%), São José de Ribamar (6,6%), Calhau/Litorânea (6,2%), Cohatrac (4,3%), Cohama (3,7%), Cohab (3,4%) e João Paulo (3,1%). Dos estabelecimentos, lojas de moda representaram 18,1% (1.826 inspeções), seguido por bares/restaurantes com 14,7% (1.480) e supermercados com 11,6% (1.164). As fiscalizações ocorrem diariamente, incluindo sábados, domingos e feriados, nos três turnos.