Inmet alerta para chuvas mais intensas nesta segunda-feira, 9

Chuvas intensas são previstas para esta segunda-feira (9), em parte do Maranhão, segundo Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet). O órgão emitiu alerta laranja e amarelo para o estado.

O Inmet apontou que devem ser registradas chuvas intensas em alguns municípios maranhenses, incluindo os quatro que compõe a Grande Ilha de São Luís. O alerta laranja, com alto perigo de chuvas, deve se estender pelas áreas leste, norte e centro do Maranhão.

Devido ao alerta, podem ser registradas chuvas entre 30 a 60 milímetros por hora ou 50 e 100 milímetros por dia, além de ventos entre 60 a 100 km/h. Há risco de alagamentos, corte de energia elétrica, quedas de galhos de árvores e descargas elétricas.

O alerta amarelo deve compreender as áreas oeste, norte, leste e centro maranhense. Nestas regiões, há risco de ventos entre 40 a 60 km/h.

Chuvas ainda causam transtornos no Maranhão

O Corpo de Bombeiros Militar do Maranhão (CBMMA) informou que equipes permanecem monitorando cidades afetadas pelas chuvas, entre estas Poção de Pedras e Imperatriz. Totalizam 838 famílias desabrigadas ou desalojadas pelas chuvas, segundo último boletim emitido pela corporação, na segunda (21).

O número de famílias desabrigadas no interior do estado reduziu, em relação ao mês de janeiro, mas, 34 municípios ainda permanecem em monitoramento. Na última semana, uma enxurrada ocorrida no município de Poção de Pedras causou vários prejuízos, 74 famílias estão desabrigadas ou desalojadas, mas recebem auxílio do poder público.

As equipes dos bombeiros trabalham na operação de resgate e auxílio humanitário, em todos os municípios com registros de grandes danos. No momento, os municípios que inspiram maiores cuidados, são: Pedreiras e Trizidela do Vale, onde o rio Mearim já ultrapassou novamente a cota de inundação.

Desde janeiro deste ano, o volume de chuvas provocou a inundação de rios e córregos, principalmente na região sul, central e oeste do Maranhão. Um total de 22 municípios decretaram situação de emergência: Barra do Corda, Buriti Bravo, Caxias, Colinas, Estreito, Formosa da Serra Negra, Fortuna do Maranhão, Grajaú, Imperatriz, Jatobá, Lagoa Grande do Maranhão, Mirador, Paraibano, Parnarama, Pedreiras, Santa Quitéria, São João do Sóter, São Luís Gonzaga, Vila Nova dos Martírios, São Pedro da Água Branca, São Roberto e Trizidela do Vale.

No final do mês de janeiro, foram registradas até 2200 famílias desabrigadas e desalojadas. Ao todo 7600 famílias foram afetadas direta ou indiretamente pelos prejuízos.

Chuvas já atingem mais de 1.100 famílias no Maranhão

Chegou a 1.126, o número de famílias desabrigadas e desalojadas pelas chuvas  no Maranhão, segundo dados do Corpo de Bombeiro Militar do Maranhão (CBMMA), da noite de quarta (12). Sete cidades estão em situação de emergência: Mirador, Grajaú, Barra do Corda, Jatobá, Paraibano, Formosa da Serra Negra e Imperatriz.

Em Imperatriz, uma das mais afetadas, o número de desabrigados e desalojados aumentou, por causa do nível do Rio Tocantins, que voltou a subir. A elevação das águas é de 10,30 metros, mais de três metros acima da cota de inundação. No município, já são cerca de 279 famílias diretamente atingidas.

Na cidade de Mirador, o nível do Rio Itapecuru está baixando lentamente, segundo o Corpo de Bombeiros, marcando 4,67 m, até a tarde dessa quarta. Alguns povoados ainda estão isolados por causa da inundação.

Em Trizidela do Vale e Pedreiras, o nível do Rio Mearim está com tendência de aumento, chegando a 5,93 m, próximo da cota de inundação. Em Caxias, a cheia do rio Itapecuru deixou cerca de 24 famílias desabrigadas e a previsão é que o número cresça, pois as chuvas fortes continuam na cidade. O nível do rio chegou a 5,99 m, atingindo a cota de enchente.

Equipes dos Bombeiros estão nas cidades afetadas, trabalhando na retirada da famílias, entrega de alimentos e remédios e orientando para minimizar os riscos e prejuízo. A ação tem apoio da Defesa Civil e prefeituras.

Sobe para 779 o número de famílias afetados pelas chuvas no Maranhão

O Corpo de Bombeiros Militar do Maranhão (CBMMA) informou, nesta segunda-feira (10), que 779 famílias foram afetadas pelas chuvas no estado. As cidades de Mirador, Grajaú, Barra do Corda, Jatobá, Paraibano e Formosa da Serra Negra decretaram situação de emergência.

Em Imperatriz, 244 famílias estão desabrigadas ou desalojadas. O nível do rio Tocantins continua subindo e chegou à marca de 9,60 metros. Em Mirador, o rio Itapecuru apresenta tendência de baixa, mas ainda acumula grande volume, com nível de 4,78 metros.

Em Trizidela do Vale e Pedreiras, o nível do rio Mearim encontra-se próximo da cota de inundação e as cidades permanecem em alerta. Famílias que vivem nos locais de maior risco foram retiradas e serão levadas para abrigos públicos.

Os Bombeiros atuam no resgate e transporte de pessoas isoladas pelas águas, além da distribuição de alimentos e medicamentos.

Chuvas castigam e mais cidades maranhenses entram na lista de afetadas

O Corpo de Bombeiros emitiu alertas aos municípios de Itapecuru-Mirim, Coroatá, Pirapemas, Cantanhede, Santa Rita e Rosário, devido à elevação de oito metros do Rio Itapecuru. As equipes vão executar plano de contingência nas áreas de riscos mapeadas pelas coordenadorias da Defesa Civil nestas cidades.

No município de Trizidela do Vale e Pedreiras, o plano de contingência já é executado, devido à tendência de elevação do Rio Mearim, que atingiu a marca de 4,82 metros que, por enquanto, ainda está inferior a cota de alerta.

As enchentes de vários rios no Maranhão têm causado inundações e alagamentos. O Corpo de Bombeiros segue com as operações de auxílio às famílias afetadas. O trabalho inclui retirada das pessoas de áreas de risco, apoio com medicamentos e alimentação, além de monitoramento da elevação do nível dos principais rios. A operação conta com equipes das coordenadorias Estadual de Defesa Civil, municipais e unidades operacionais.

Devido às chuvas, já declararam situação de emergência os municípios de Mirador, Barra do Corda, Jatobá e Grajaú.

Mais chuvas intensas no Maranhão, alerta boletim climático

O Maranhão vai enfrentar um período de mais chuvas intensas e bem acima da média normal. É o que alerta boletim climático feito por diversos Centros de Meteorologia do Nordeste, que prevê fortes chuvas para a região norte do estado, no primeiro semestre de 2022.

Segundo o boletim, a previsão é de chuvas acima da média histórica, no centro-norte do Brasil, incluindo quase toda a metade oeste da região Nordeste. As águas vão atingir o Maranhão, Piauí e em grande parte, a Bahia.

Para janeiro, fevereiro e março, os volumes de chuva podem exceder 900 milímetros A cidades maranhenses com maior previsão de chuva para o período são Turiaçu, Bacabal e São Luís.

O boletim foi elaborado com a colaboração dos Centros Estaduais de Meteorologia do Nordeste, incluindo o do Maranhão, Ceará, Piauí, Alagoas, Rio Grande do Norte, Pernambuco e Bahia.

Desabrigados

Prevendo o aumento das chuvas, Municípios com histórico de ocorrências de enchentes, por conta do período chuvoso, já recebem atendimento das equipes do Corpo de Bombeiros Militar do Maranhão (CBMMA). Cidades nas regiões em torno dos rios Tocantins, Parnaíba e Mearim já sentem os efeitos das chuvas. Na lista estão Pedreiras, Formosa da Serra Negra, Imperatriz, Benedito Leite. A Defesa Civil, órgão do CBMMA, monitora para prevenção de acidentes e presta auxílio a desabrigados.