Lula dispara na disputa para presidência com saída de Moro

O ex-presidente Luiz Inácio Lula (PT) aparece com 44% das intenções de voto. Número ainda mais disparado e consolidando sua preferência junto ao eleitorado. O alcance do petista se mostrou maior com a saída do ex-juiz Sergio Moro (União Brasil) da disputa eleitoral para a presidência da República.

Já o presidente Jair Bolsonaro (PL) tem 30%. Os dados são de pesquisa Ipespe, contratada pela XP Investimentos e divulgada nesta quarta-feira, 6.

O levantamento aponta ainda, Ciro Gomes (PDT), com 9% das intenções de voto. Ele empata tecnicamente, dentro da margem de erro que é de 3,2 pontos percentuais para mais ou para menos, com João Doria (PSDB), que somou 3%

Doria, por sua vez, empata com a senadora Simone Tebet (MDB), com 2%, e com o deputado federal André Janones (Avante), que somou 1%. Felipe D´Ávila (Novo), o ex-deputado federal José Maria Eymael (DC) e Vera Lúcia (PSTU) foram citados, mas não chegaram a 1% de citações. Brancos e nulos somam 9%, e 3% disseram que não sabiam responder.

A pesquisa foi realizada no período de 2 a 5 de abril. Foram ouvidas mil pessoas, de 16 anos ou mais em todas as regiões do país, por telefone. O índice de confiança é de 95,5% e o número de protocolo junto ao TSE é BR-03874/2022.

STF determina bloqueio do Telegram

O Telegram deves ser suspenso em todo o Brasil. A decisão é do ministro do Supremo Tribunal Federal (STF), Alexandre de Moraes, emitida na tarde desta sexta-feira (18). A ordem atende pedido da Polícia Federal e foi encaminhada a plataformas digitais e provedores de internet.

O aplicativo não atendia decisões judiciais para bloqueio de perfis apontados como disseminadores de informações falsas, por isso, a Polícia Federal pediu sua suspensão. Segundo a polícia o Telegram usa a “atitude não colaborativa” com autoridades “como uma vantagem em relação a outros aplicativos de comunicação, o que o torna um terreno livre para proliferação de diversos conteúdos, inclusive com repercussão na área criminal”.

A ordem para o bloqueio do aplicativo de mensagens ainda está em fase de cumprimento. As empresas estão sendo notificadas pela Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel).

Operação investiga fraude no Seguro Defeso em 11 estados; Maranhão está na lista

A Operação Tarrafa, da Polícia Federal investiga organização criminosa por fraude bilionária no Seguro Defeso. O trabalho iniciou na quinta-feira (17). O Maranhão é um dos estados foco. Segundo a polícia, a associação teria desviado cerca de R$ 1,5 bilhão em pagamentos de benefícios, a solicitantes de 1.340 cidades.

São 180 mandados de busca e apreensão a serem cumpridos no Maranhão, São Paulo, Ceará, Bahia, Pernambuco, Minas Gerais, Santa Catarina, Rio Grande do Sul, Goiás, Tocantins e Piauí. Entre os materiais apreendidos está uma maleta cheia de documentos.

No total, 42 servidores públicos são alvo da operação, que mobiliza 600 agentes federais. Não há mandado de prisão expedido, mas, após a operação, as investigações ainda devem continuar, segundo a polícia. Além das buscas, os servidores estão sendo afastados por decisão judicial.

Bolsonaro tenta anular multa de R$ 80 mil

O presidente Jair Bolsonaro (PL), por intermédio da Advocacia-Geral da União, acionou a 13ª Vara Federal Cível do Distrito Federal. O objetivo foi para solicitar a anulação da multa aplicada contra ele pelo governo do Maranhão, em razão do não uso de máscara de proteção contra a Covid-19.

A punição, orçada em R$ 80 mil, foi aplicada ao presidente brasileiro durante visita oficial ao município de Açailândia, em 21 de maio de 2021. A AGU, agora, tenta recorrer da penalidade.

Os advogados da União alegam falta de competência de órgão estadual para aplicação de multas do tipo. Segundo a AGU, competiria ao governo municipal aplicar ou não a punição a Bolsonaro.

Eleições 2022: Lula lidera intenções de votos e Bolsonaro lidera rejeições, diz DataIlha

Pesquisa do instituto DataIlha avaliou a preferência do eleitorado para a presidente da República, nestas eleições. O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT), segue liderando com vantagem que vem crescendo a cada novo levantamento. Já o presidente Jair Bolsonaro (PL) cresce no quesito rejeição. A pesquisa foi divulgada na terça-feira, 15, e considerou ainda a aceitação ao governo do presidente Jair Bolsonaro, que foi classificada como péssima. A pesquisa é aberta e espontânea.

O questionamento aberto, feito aos entrevistados foi: “Se as eleições fossem hoje, em quem você votaria para presidente da República?”. Lula venceria com folga, pontuando 49,8%; Bolsonaro ficaria em segundo lugar, com 25,7%. Seguem na preferência Ciro Gomes (7,3%), Sérgio Moro (4,7%) e João Dória (1%). Que não votaria em nenhum, 7,3%, e que não souberam ou não responderam, 4,4%.

Foi considerado ainda um segundo cenário, espontâneo, com acréscimo de mais 11 nomes. Lula pontuaria com 33,1% e Bolsonaro com 21%, ou seja, o petista ainda venceria o atual presidente. Em seguida vêm Ciro Gomes (2,1 %), Sérgio Moro (1,1 %), Flávio Dino (0,2 %), André Janones (0,2 %), Marina (0,1 %), Cabo Daciolo (0,1%), candidato do PT (0,1%), Edvaldo Holanda Jr (0,1%), Guilherme PL (0,1%), Haddad (0,1%), João Amoedo (0,1%), Luis Felipe Dávila (0,1%) e Zema (0,1%). Que não votaria em nenhum, 2,7%, e que não souberam ou não responderam 39,3%.

Rejeição

Quando perguntados “Em quem você não votaria”, Jair Bolsonaro aparece em primeiro lugar com 45,1%, seguido de Lula, com 22,6%. Completam a lista, Sérgio Moro (8,1%), Ciro Gomes (5,6%) e João Dória (5,1%). Que não votaria em nenhum, 6.1%, e que não souberam ou não responderam, 7,6%.

O Instituto de DataIlha ouviu 2 mil eleitores, estratificadas por município, gênero, faixa etária, grau de escolaridade, renda e religião. A pesquisa está registrada no Tribunal Superior Eleitoral (TSE), sob o número 00422/2022.

Vacina 100% brasileira contra a Covid-19 está em fase final

Fabricada pela Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz) com todos os insumos produzidos no Brasil, a vacina da AstraZeneca está em fase final de desenvolvimento. A previsão é que os primeiros lotes sejam entregues em fevereiro.

O imunizante é resultado de contrato de transferência tecnológica entre a Fiocruz e o consórcio formado pela Universidade de Oxford e a farmacêutica AstraZeneca.

Os primeiros lotes produzidos no Brasil pela fundação usaram ingrediente farmacêutico ativo (IFA) enviado pela China. Mas, houve atrasos o que despertou para a importância de se concretizar a produção do IFA no Brasil.

A Fiocruz montou as estruturas de produção do IFA, realizou testes e agora, está concluindo o processo de desenvolvimento da vacina totalmente nacional. O IFA é formado por vírus e células.

Após o processo de controle de qualidade e atestada a garantia da segurança e eficácia, a vacina é autorizada pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) e enviada ao Ministério da Saúde para distribuição aos estados e municipais.

Aprovado uso e venda de autoteste para Covid-19

 

Foi aprovado, por unanimidade, o uso e venda, no Brasil, dos autotestes para detecção de Covid-19. A decisão saiu após reunião da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), realizada nesta sexta-feira (28). A medida será publicada uma resolução com requisitos para que empresas interessadas em vender os autotestes em farmácias peçam registro dos produtos.

Porém, os autotestes não estarão disponíveis de imediato, pois, para que cheguem às farmácias, cada produto, de cada fabricante ou importador, deve ser aprovado, individualmente, pela Anvisa e após análise de ampla documentação.

Entre os critérios está que os autotestes tenham informações claras para o público leigo, sobre como colher adequadamente o material biológico e fazer o exame. Os produtos devem ter ainda sensibilidade de 80% ou mais ao coronavírus e no mínimo, 97% de condições de detecção do vírus.

A aprovação ocorre após envio de informações pelo Ministério da Saúde, a pedido da Anvisa. Em janeiro, a agência solicitou esclarecimentos sobre a inclusão do autoteste nas políticas públicas de testagem para Covid-19.

PSDB dá aval para federação com Cidadania; no Maranhão, união pode gerar impasse

Na busca de alianças para fortalecer a pré-candidatura de João Doria ao Palácio do Planalto, a Executiva Nacional do PSDB deu aval, nesta quinta-feira (27), por unanimidade, para que o partido avance nas negociações de federação partidária com o Cidadania. O acordo que for firmado, valerá também para os estados.

“Temos um levantamento preliminar que indica que essa federação com o Cidadania é bem-vinda. Precisamos avançar agora no regramento para essa convivência. O Cidadania tem sido parceiro importante do PSDB e há convergência política tanto em eleições quanto na atuação no Legislativo”, afirmou o presidente nacional do PSDB, Bruno Araújo.

Os dirigentes da legenda defenderam celeridade no desfecho das negociações para que, se o casamento sair do papel, as siglas possam definir rapidamente as chapas que vão disputar as eleições estaduais e nacionais.

No Maranhão, o deputado estadual Wellington do Curso (PSDB), já anunciou que, caso o vice-governador Carlos Brandão realmente saia da legenda, esta terá candidato próprio ao governo do Maranhão. Um nome já foi ventilado, o da ex-deputada Andrea Murad (MDB), que ficou feliz com o convite feito pelo diretório nacional, mas ainda não se posicionou a respeito.

Por outro lado, a senadora Eliziane Gama, que é do Cidadania, já afirmou que seu apoio é para o senador Weverton Rocha (PDT), pré-candidato ao Governo do Estado. Portanto, uma federação que tem todas as possibilidades no nacional, mas, no Maranhão, pode gerar empasses para as eleições de 2022.

Estados aprovam congelamento do ICMS dos combustíveis

Foi prorrogado, por mais dois meses, o congelamento do Imposto Sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS) cobrado sobre os combustíveis. A decisão partiu do Confaz – Comitê Nacional de Política Fazendária, nesta quinta-feira (27). O prazo fica estendido até dia 31 de março.

A medida teve apoio dos 27 secretários de Fazenda dos estados e do Distrito Federal, que compõem o Confaz. Os governadores chegaram a anunciar que o congelamento do ICMS sobre combustíveis não seria renovado, mas mudaram de ideia.

O anúncio vem em meio à alta dos combustíveis, provocada pelo aumento do petróleo no mercado internacional e pela disparada do dólar – fatores levados em conta pela Petrobras para reajustar os preços.

Vacina contra a Covid-19 é diferencial no enfrentamento da doença, após um ano

Hoje, dia 17 de janeiro de 2021, completa um ano que a enfermeira Mônica Calazans tomava a primeira dose da Coronavac, em São Paulo. Ela foi a primeira pessoa vacinada contra a Covid-19 no Brasil. Um ano depois, a imunização já tem seus efeitos positivos no combate ao coronavírus.

Este primeiro ano da vacinação, fez uma grande diferença para que o país pudesse ter esperança de atravessar a crise sanitária, mesmo tendo sido após um atraso, provocado pelo governo Jair Bolsonaro (PL). A negligência se repetiu com a imunização de crianças.

Quase 70% das pessoas que tomaram a vacina, mesmo contraindo novamente a doença,, têm tido sintomas leves e conseguem se recuperar em isolamento domiciliar.  O lado negativo é que, os 30% não tomaram as doses – primeira ou a segunda – têm sofrido com as formas mais graves.

No rol de aumento de casos, a maioria das vítimas são os que recusaram a imunização. Estes são também, a maior parte dos internados, como mostram várias pesquisas. Interessante que, a maioria dos que se negam a vacinar contra a Covid-19, tomaram tantos outros imunizantes ao longo da vida.