Prefeitura realiza o sextou da vacinação para faixa etária acima de 18 anos

A vacinação para imunização da Covid-19 alcançou a idade de 18 anos. Nesta sexta-feira (16), a prefeitura realiza o #sextoudavacinação com aplicação da primeira dose para pessoas acima de 18 anos, que acontece no Liceu Ribamarense I, Liceu Ribamarense II e Escola Municipal Alto do Turu, das 8h às 18h.

Até o momento, a Secretaria Municipal de Saúde (Semus) já aplicou 97.797 doses da vacina, sendo 85.066 referentes à primeira dose e 12.742 à segunda dose.

Ao todo, a prefeitura já recebeu 113.314 doses da vacina contra a Covid-19.

São José de Ribamar aplica mais de 30 mil doses contra a Covid-19

A Prefeitura de São José de Ribamar, por meio da Secretaria Municipal de Saúde (SEMUS), vem se empenhando para vacinar a população. A quantidade de doses aplicadas chegou a 30.355, sendo 22.509 primeira dose e 7.846 segunda dose.

Com a nova remessa de doses recebidas pelo Ministério da Saúde, a cidade chegou a 70.521 doses recebidas. Para acelerar o processo, a vacinação segue no formato de força tarefa e está imunizando a população em geral de 55 a 59 anos e grupos prioritários.

Desde o começo da força tarefa de vacinação, no dia 26 de maio, foram aplicadas 3.113. Desse total, 1.012 doses foram aplicadas só no dia 1º de junho.
Os grupos, idade e cronograma de vacinação são atualizados toda semana, de acordo com a quantidade de doses no estoque.

Na sexta-feira (4), a prefeitura segue vacinando no Liceu Ribamarense I e III, Escola Municipal Alto do Turu e SESI Araçagy, das 8h às 16h. No sábado (5), a imunização ocorre das 8h às 13h no Liceu Ribamarense I, e das 8h às 12h no SESI Araçagy.

Vereadores debatem sobre percentual de vacinados em São Luís

Foto: Leonardo Mendonça

Na sessão ordinária remota desta quarta-feira (2), os vereadores Astro de Ogum (PCdoB) e Dr. Gutemberg (PSC), debateram sobre o percentual de vacinados contra a COVID-19 na capital, discutindo possíveis explicações para o crescente número de internados em leitos de UTI, mesmo com o aumento no número de vacinações.

No primeiro momento do debate, o vereador Dr. Gutemberg relembrou a recente declaração feita pelo prefeito Eduardo Braide (Podemos) de que São Luís será a primeira capital a vacinar toda a sua população no Brasil, enfatizando o desafio que o gestor municipal tem pela frente. “Tenho certeza que ele dará conta deste grande compromisso”, afirmou o parlamentar.

Em seguida, o vereador Astro de Ogum questionou sobre o número de vacinados na capital, apontando que, nos últimos dias, houve piora no número de internações. O parlamentar alertou sobre o desrespeito da população às normas estabelecidas pela gestão estadual quanto ao número de pessoas permitidas em eventos. “Onde houve autorização de até cem pessoas, vimos lugares com mil. Tem que haver maior fiscalização”, afirmou.

Ao retomar a palavra, o vereador Dr. Gutemberg apresentou os dados referentes à vacinação no Maranhão e em São Luís, indicando que foram 1.759.701 pessoas vacinadas no Estado, e 20 a 23% da população vacinada na capital.

“Nosso quadro só vai mudar e só teremos maior tranquilidade quando vacinarmos 70% da população. Temos um caminho longo a percorrer. Um grande benefício que observamos, é cada vez menos idosos internados nas UTIs, porque já foram vacinados. Hoje, a faixa etária que mais ocupa leitos de UTI é de 30 a 50 anos. Semana que vem, o calendário de vacinação irá avançar para pessoas mais jovens”, informou o vereador.

No debate, Dr. Gutemberg relembrou que, mesmo que haja medidas de fiscalização, o Poder Executivo Municipal e Estadual não têm como fiscalizar toda a população, de modo que cabe às pessoas a conscientização sobre o momento de pandemia que estamos vivendo e a necessidade de manter os cuidados para evitar a transmissão com o novo Coronavírus.

Covid-19: Jornalistas vão ser vacinados no Maranhão


O governador do Maranhão Flávio Dino (PCdoB), anunciou nesta sexta-feira (28) que irá iniciar na próxima segunda-feira (31), a vacinação dos profissionais de comunicação.

A solicitação foi feita pelo Sindicato dos Jornalistas e por vários profissionais da comunicação que fizeram um movimento para chamar atenção da necessidade da imunização do profissional que não parou o trabalho em nenhum momento durante a pandemia. A vacinação dos profissionais da comunicação vai ocorrer nas próprias empresas através do envio de equipes de saúde do Governo do Maranhão.

Flávio Dino garantiu que todas as empresas de comunicação envolvendo jornais impressos, televisão, rádio e demais que estão inclusas no grupo. Isso envolve todos os profissionais, desde o porteiro até os jornalistas.

Campanha de vacinação contra a Influenza começa nesta segunda (12) em São José de Ribamar

A prefeitura de São José de Ribamar lançou o calendário 2021 da vacinação contra a Influenza. A campanha começa nesta segunda-feira (12) e vai até o dia 9 de julho de 2021, das 8h às 17h, em todas as unidades básicas de saúde.

Na campanha serão vacinadas crianças de 6 meses a menores de 6 anos, gestantes, puérperas, povos indígenas, trabalhadores de saúde, idosos a partir de 60 anos, professores das escolas públicas e privadas, pessoas portadoras de doenças crônicas não transmissíveis e outras condições clínicas especiais, pessoas com deficiência permanente, forças de segurança e salvamento.

Também serão imunizadas forças armadas, caminhoneiros, trabalhadores de transporte coletivo rodoviário de passageiros urbano e de longo curso, trabalhadores portuários, funcionários do sistema prisional, adolescentes e jovens de 12 a 21 anos de idade, sob medidas socioeducativas e população privada de liberdade.

A campanha será dividida em três etapas. A primeira começa nesta segunda-feira (12) e se estende até o dia 10 de maio. Nesta fase, serão imunizadas crianças de 6 meses a menores de 6 anos, gestantes, puérperas, povos Indígenas e trabalhadores de saúde.

A segunda etapa vai vacinar idosos a partir de 60 anos e professores. A imunização acontece de 11 de maio a 08 de junho.

De 9 de junho a 9 de julho ocorre a terceira fase da vacinação contra a Influenza. Nela, serão imunizadas pessoas com comorbidades, pessoas com deficiência permanente, caminhoneiros, trabalhadores de transporte coletivo rodoviário passageiros urbano e de longo curso, trabalhadores portuários, forças de segurança e salvamento, forças armadas, funcionários do sistema de privação de liberdade e população privada de liberdade e adolescentes e jovens em medidas socioeducativas.

Vale destacar que a campanha contra Influenza acontece no período da vacinação contra a Covid-19. Pessoas que estão nos grupos prioritário da vacina Covid-19 devem tomar a vacina influenza, respeitando o intervalo mínimo de 14 dias entre as vacinas.

Centro de vacinação, o próximo deve ser no Convento das Mercês

Foto: Handson Chagas

A prefeitura de São Luís anunciou o funcionamento de mais um Centro Municipal de Vacinação, que vai atender ao público alvo no Centro de Convenções da UFMA. Lembrando que já existe um Centro de Vacinação no Multicenter Sebrae, um drive-thru na própria Universidade Federal do Maranhão e na semana passada, na segunda-feira (1), teve início mais um drive-thru no Espaço Reserva da Ilha, ao lado do Shopping da Ilha.

O novo Centro na UFMA atende ao grande número de pessoas que mora na região Itaqui Bacanga. Mas somente o drive thru não era suficiente? Na verdade o drive também tinha demanda muito grande e recebia apenas idosos. Filas gigantes de veículos já foram registradas na porta da Universidade.

Foto: Karlos Gerômy

O certo é que São Luís precisa mesmo de mais pontos para imunização. São esperadas mais doses de vacinas para garantir maior número de pessoas atendidas.

No dia 23 de março o secretário municipal de Saúde, Joel Nunes, foi recebido pelo secretário de Educação e presidente da Fundação da Memória Republicana, Felipe Camarão, no Convento das Mercês (foto acima), em que foi fechado acordo para instalação de um Centro de Vacinação em parceria Prefeitura de São Luís – Governo do Maranhão, agora resta apenas a chegada de mais doses de imunizantes para a parceria se concretizar… na prática.

Jair Bolsonaro pode ser vacinado amanhã. Será? E será com a Coronavac?

O Palácio do Planalto sinalizou ao Ministério da Saúde, nesta sexta-feira (02), que o presidente Jair Bolsonaro (sem partido) será vacinado neste sábado, portanto amanhã.

Duas vacinas são usadas no Brasil para imunização contra o novo coronavírus, a AstraZeneca e a CoronaVac, e o que se viu muito foi o presidente renegando a vacina chinesa. Chegou a cancelar a compra do imunizante que estava sendo negociada pelo então ministro da Saúde Eduardo Pazuello e desmentiu até que a sua mãe teria sido vacinada com o imunizante da empresa Sinovac.

Pelo sim ou pelo não… Bolsonaro acabou fechando acordo com a empresa chinesa e atualmente milhares de brasileiros recebem a vacina. Tudo isso depois de uma séria discussão se teria ou não eficácia o imunizante, e por fim a Anvisa deu o amém da compra.

De acordo com a Valor Econômico, ninguém pode “cravar” como certa a vacinação do Presidente, que afirmou ontem que não será imunizado até que “o último brasileiro seja vacinado”. A partir deste sábado, podem ser vacinadas no Distrito Federal pessoas com mais de 66 anos, idade que o presidente completou há duas semanas.

Os técnicos da pasta foram orientados a organizar a aplicação mesmo sem a certeza da vacinação do presidente. A primeira dose da vacina contra a covid-19 pode ser feita no próprio Ministério da Saúde ou em um posto de saúde. O local ainda está sendo definido pelo Gabinete de Segurança.

Bom… Bolsonaro é polêmico até na hora de ser imunizado.

Idosos de 72 a 74 anos recebem vacina a partir desta segunda-feira (29), no Pátio Norte em Ribamar

Uma parceria da prefeitura de São José de Ribamar, prefeitura de Paço do Lumiar e o Governo do Estado vai garantir vacinação via drive thru, a partir desta segunda-feira (29). O objetivo é aumentar a cobertura vacinal nas duas cidades.

A vacinação é para o grupo de idosos de 72 a 74 anos e será realizada no Pátio Norte Shopping até quinta-feira (1º), das 8h às 16h.

É necessário levar documento de identificação com foto, carteira de vacinação, cartão do SUS e comprovante de residência.

Vale destacar, que quem tomou a primeira dose da vacina contra a Covid-19 em São José de Ribamar e já possui agendamento para a segunda dose, pode procurar o Liceu Ribamarense ou qualquer Unidade Básica de Saúde.

Fique atento ao calendário de vacinação no drive thru no Pátio Norte Shopping

29 de março – segunda-feira

Idosos com 74 anos.
Pela manhã, os nascidos entre janeiro a junho. À tarde, os nascidos de julho a dezembro;

30 de março – terça-feira

Idosos com 73 anos.
Pela manhã, os nascidos entre janeiro a junho. À tarde, os nascidos de julho a dezembro;

31 de março – quarta-feira

Idosos com 72 anos.
Pela manhã, os nascidos em janeiro, fevereiro e março. À tarde, os nascidos em abril, maio e junho.

1º de abril – quinta-feira

Idosos com 72 anos.
Pela manhã, os nascidos em julho, agosto e setembro. À tarde, os nascidos em outubro, novembro e dezembro.

Novos calendários serão divulgados em breve.

Painel da Anvisa mostra em tempo real status de autorização de vacinas

Foto: REUTERS/Thomas Peter/File Photo

Um painel que descreve os documentos enviados e o status de avaliação de pedidos de autorização de uso emergencial de vacinas contra a covid-19 foi elaborado pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa).

A ferramenta permite acompanhar em tempo real o andamento das solicitações cujo status varia entre em análise, dados insuficientes, concluído, não apresentado e pendente de complementação.

Segundo a agência, a ferramenta traz, também, a porcentagem relativa ao status de submissão de cada um dos relatórios e informações necessárias à análise de autorização de uso temporário e emergencial. “A porcentagem concluída é estimada com base no status de submissão, na criticidade dos dados, bem como no esforço necessário para sua geração e avaliação”, informou a agência.

Sobre os dois pedidos recebidos esta semana, da Janssen e da Sputnik V, o painel aponta as seguintes informações: Janssen: 32% concluído; 54% em análise e 14% pendente de complementação. Sputnik V: em razão da ausência de documentos considerados importantes para a análise, conforme previsão legal, houve a suspensão da contagem dos prazos, até que a empresa apresente as informações descritas como “não apresentadas” no painel divulgado.

“Na medida em que as informações pendentes forem enviadas à Anvisa, bem como a análise dessas informações for sendo concluída, será possível observar a alteração da porcentagem de conclusão da avaliação de cada processo”, acrescentou a Anvisa. O painel será atualizado sempre que houver novidade.

Edição: Agência Brasil/ Kleber Sampaio

Profissionais da Fesma auxiliam na vacinação de quilombolas do interior do Maranhão

O Governo do Estado irá reforçar a imunização de comunidades quilombolas distribuídas em 90 municípios maranhenses. Os profissionais da Força Estadual de Saúde do Maranhão (FESMA), que já ajudam os municípios na vacinação de indígenas, farão a aplicação do imunobiológico e também atuarão no registro de doses aplicadas.

“Realizamos, previamente, o planejamento e as programações, em conjunto com as gestões municipais para, assim, ampliarmos o alcance da vacinação nas comunidades quilombolas”, informou a coordenadora da FESMA, Cheila Farias.

No último sábado (20), o Maranhão recebeu 116.800 doses da vacina AstraZeneca, que serão utilizadas para a proteção de 63% da população quilombola do estado. A FESMA trabalhará em parceria com os municípios nas localidades onde as comunidades estão. O trabalho inclui orientação geral, vacinação e registro de doses utilizadas, que devem ser informadas no Sistema de Informações do Programa Nacional de Imunizações (SIPNI).

Ao todo, 11 equipes da força, com total de 33 profissionais que já desenvolvem suas atividades nas regiões com municípios que possuem população quilombola, participarão da ação imunizante.

A vacinação das comunidades quilombolas segue as orientações do Ministério da Saúde e do Ministério Público Federal, que recomendou a instituição de medidas para evitar o contágio e a disseminação da doença entre povos e comunidades tradicionais brasileiras. São grupos com modos de vida próprios e coletivizados, em que o trabalho e as demais interações se dão tradicionalmente pelo contato e proximidade entre integrantes da comunidade.