Passagem de ônibus sobe para R$ 3,90

Os preços das passagens do transporte coletivo de São Luís irão aumentar, a partir deste domingo (27). A informação foi divulgada nesta sexta-feira (25), pela Secretaria Municipal de Trânsito e Transporte de São Luís (SMTT).

Com o reajuste, a tarifa das linhas de ônibus não integradas, que custavam R$ 3,20 passarão a custar R$ 3,40. Já o preço das linhas integradas, sobe de R$ 3,70 para R$ 3,90.

Há cinco meses o Sindicato dos Trabalhadores em Transportes Rodoviários no Estado do Maranhão (Sttrema) e o Sindicato das Empresas de Transportes de Passageiros (SET) estão negociando reajuste salarial dos rodoviários e outras demandas. Nesse período, a categoria entrou em greve duas vezes.

Rodoviários e SET vão reunir em audiência

O Ministério Público do Trabalho (MTP) convocou o Sindicato dos Rodoviários do Maranhão e o Sindicato das Empresas de Transportes (SET),  audiência de mediação. O encontro será nesta quinta-feira (10), na sede do órgão, bairro Calhau, a partir das 9h40.

O objetivo é que as entidades cheguem a acordo sobre direitos trabalhistas e não haja greve do serviço de transporte coletivo.

O procurador do MTP, Marcos Rosa vai conduzir as conversas, para chegar a um entendimento, no que refere à Convenção Coletiva de Trabalho. Segundo a categoria de trabalhadores, foram várias as tentativas com o SET para se chegar a um acordo, mas não houve contraproposta.

No último dia 2, em assembleia geral, os rodoviários decidiram decretar estado de greve. Caso não haja acordo nessa audiência, a paralisação pode ser decretada.

Greve de ônibus: Transporte alternativo é a saída

Os pontos de ônibus da Grande São Luís amanheceram vazios, na manhã desta terça-feira (26). Sem ônibus, o transporte alternativo lucra com a paralisação dos rodoviários, que já entra no seu sexto dia. Já foram quatro reuniões entre as partes, todas sem acordo.

Na área Itaqui-Bacanga, na capital, onde o usuário pagava, antes da greve dos rodoviários, para o transporte alternativo o valor de R$ 3,50 e agora já chega ao preço de R$ 5,00. Situação parecida acontece com quem necessita dos serviços de um mototaxista. Antes da greve, o preço da passagem era R$ 12,00 e agora chega a custar até R$ 15,00.

A categoria quer um reajuste de 13%, jornada de trabalho de seis horas, tíquete de alimentação no valor de R$ 800, manutenção do plano de saúde e a inclusão de um dependente e a concessão do auxílio-creche, para trabalhadores com filhos pequenos. A paralisação dos rodoviários teve início na madrugada da última quinta-feira (21).

Empresa de ônibus suspende atividade, nesta terça-feira(19)

Um total de 25 linhas de transporte coletivo estão paradas, após protesto de rodoviários, nesta terça-feira (19). Os funcionários se concentram na porta da empresa de ônibus Ratrans, localizada na Avenida Casemiro Júnior, bairro Santa Cruz, na capital. Nenhum ônibus saiu da garagem da empresa. Os funcionários afirmam que a empresa não está cumprindo os direitos trabalhistas, vigorados pela Convenção Coletiva de Trabalho.

Eles reivindicam pagamento do salário, que estaria atrasado; e a volta dos tickets alimentação, que foi suspenso pelos empresários. Ainda segundo os rodoviários, eles não têm férias há cinco anos; e estão sem depósito do Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS) há oito anos. Os rodoviários dizem que só devem retornam às suas funções, quando todas as reivindicações forem atendidas.

A Secretaria Municipal de Trânsito e Transportes (SMTT), em nota, informou que não foi comunicada da paralisação e que, de forma emergencial, está remanejando frota de outras concessionárias para que a população seja atendida.