Deputado Othelino Neto confirma filiação ao PDT

O deputado estadual e presidente da Assembleia Legislativa do Maranhão, Othelino Neto, vai se filiar ao PDT. Em coletiva, nesta segunda-feira (7), o parlamentar confirmou sua saída do PCdoB. Ele muda de legenda para apoiar a pré-candidatura do senador Weverton Rocha, ao Governo do Maranhão para estas eleições. Frisando a relação harmoniosa que mantém com o governador Flávio Dino (PSB), pontuou que irá apoiá-lo para o Senado.

“Divergimos na escolha do pré-candidato ao governo para estas eleições, pois já manifestei minha opção e apoio ao senador Weverton, mas, minha relação com o governador Flávio Dino permanece a mesma. Não terei como permanecer no PCdoB, por ter feito outra escolha”, explicou Othelino Neto.

O deputado ratificou se apoio à Flávio Dino e o desejo que se junte ao seu grupo político. “Militamos no mesmo campo político há muitos anos. Queremos que ele seja nosso candidato ao Senado. Ainda temos muito tempo e, quem sabe, até lá, possamos estar todos juntos, no mesmo palanque”, ressaltou.

 

Larissa Abdalla assume Sedes na saída de Márcio Honaiser

A advogada Larissa Abdalla vai assumir a secretaria de Desenvolvimento Social (Sedes) no lugar do deputado estadual licenciado Márcio Honaiser (PDT). O anúncio da sua saída do governo foi feito nesta quinta-feira (27), com pedido formal ao governador Flávio Dino (PSB).

A confirmação da saída de Márcio Honaiser da pasta deve sair nas próximas edições do Diário Oficial do Estado. Fora da Sedes, o parlamentar vai retornar ao Plenário da Assembleia Legislativa do Maranhão assim que o recesso acabar.

A notícia da exoneração caiu como uma bomba, já que várias especulações e supostos motivos reverberaram nos bastidores da política.

O certo é que Márcio Honaiser não viveu plenamente a carreira parlamentar e agora corre atrás do prejuízo.

Aliança PDT e PT pode minar com pré-candidatura de Ciro Gomes

A possibilidade de composição do PT com o PDT, para as eleições 2022, pode ser barrada com a confirmação do ex-governador do Ceará, Ciro Gomes, como pré-candidato à presidência. Ao firmar o nome dele, o partido parece descartar, de vez, uma aliança com petistas, ao menos em nível nacional. Isso complica a definição nos estados. Para o Maranhão, o anúncio pode ser uma ameaça.

Aqui no estado, o senador pedestista Weverton Rocha, sonhava dividir palanque com o PT e ter a força do nome do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva em sua campanha.

A entrada de Ciro, ao contrário, desfavorece o PT e é benéfica para o PSDB do vice-governador Carlos Brandão. Mesmo apesar do anúncio feito, em vídeo, por Lula, rechaçando uma composição com o partido tucano. Weverton terá que se curvar à nacional e abraçar a pré-candidatura de Ciro e não de Lula, como era desejado.

A pré-candidatura de Ciro se mostra uma pedra no sapato de Weverton e uma provável esperança para Brandão.