Márcio Jerry assume oficialmente presidência da Federação no Maranhão

Em reunião na manhã desta quinta-feira (8), o deputado federal Márcio Jerry assumiu oficialmente pelo PCdoB a presidência da Federação Brasil da Esperança ( FE BRASIL) no Maranhão. Caberá a ele, agora, coordenar o processo eleitoral do PCdoB, PT e PV, partidos que integram a Federação. “Mais uma tarefa que assumo com muita responsabilidade e companheirismo com todos os que integram os partidos federados”, disse Jerry ao concluir a primeira reunião.

A tarefa da Federação não é simples, já que os três partidos terão posição comum nos 217 municípios do Maranhão. “Há muitas cidades em que temos momento posições divergentes, mas há disposição e método para ajustarmos e marcharmos juntos”, completou Jerry.

Lula, Dino e Bolsonaro são os maiores cabos eleitorais de São Luís


A pesquisa Luneta de intenções de votos para prefeito de São Luís divulgada na segunda-feira (saiba mais) também apontou quais podem ser as lideranças políticas com maior influência na definição de candidatos em 2024.

Quando questionados sobre quem poderia influenciar na escolha de um candidato na capital, 33,42% afirmara que este nome seria o do presidente Lula (PT).

Em segundo lugar aparece o ministro da Justiça e Segurança Pública, Flávio Dino (PSB), com 25,73% das menções; seguido de perto pelo ex-presidente Jair Bolsonaro (PL), que tem 25,09%.

O governador Carlos Brandão (PSB), a deputada federal Roseana Sarney (MDB), o senador Weverton Rocha (PDT), e o ex-prefeito de Sao Pedro dos Crente Lahesio Bonfim (PSC) também foram citados.

Como, nesse caso, o entrevistado pode mencionar mais de um nome, a soma dos percentuais ultrapassa a casa dos 100%.

Podemos não vai liberar deputado para filiar em outro partido

Os planos do deputado Leandro Bello de deixar o Podemos e se filiar ao PT não poderão ser consolidados até abrir a janela partidária para ele em 2026. O parlamentar corre o risco de perder o mandato se deixar sua legenda atual já que direção nacional tem resolução determinando o nenhum deputado ou vereador pode ser liberado para se filiar a outra sigla.

À coluna, o presidente estadual do Podemos, deputado federal Fábio Macedo, disse que não chegou a conversar com Bello sobre a possibilidade de ele deixar o partido. E completou afirmando que “de forma alguma” libera o deputado estadual para deixar a legenda.

Leandro Bello, ao que parece, primeiro decidiu garantir o espaço no Partido dos Trabalhadores. Ele conversou com a direção estadual que colocou a possibilidade para apreciação. O nome do parlamentar foi aceito pela maioria dos petistas, que aguardam somente Bello ter a anuência do Podemos para poder se filiar.

Talvez Leandro Bello fez isto acreditando que pelo Podemos incorporar o PSC, ele teria a justa causa para deixar o partido. No entanto, a resolução do TSE nº 22885/2008 diz que “a justa causa prevista neste dispositivo atinge apenas o parlamentar filiado ao partido político incorporado”.

O fato é que ele deverá permanecer no partido assim como teve que continuar filiado o vereador Marcial Lima, que vai para o PSDB, mas terá que esperar a janela partidária em 2024 para entrar no ninho tucano.

Fonte: Imirante

 

Ministério das Comunicações não vê base legal para concessão de TV ao PT

Integrantes do Ministério das Comunicações dizem, nos bastidores, não haver base legal para o PT ganhar concessão de TV própria.

No início de junho, o partido de Lula ingressou na pasta com pedido de concessão de um canal educativo para a legenda.

A solicitação foi enviada ao Departamento de Inovação, Regulamentação e Fiscalização do ministério, responsável pela análise.

Auxiliares do ministro Juscelino Filho ressaltam, porém, não haver precedente legal no Brasil de um partido político ter um canal de televisão.

“Isso não tem respaldo legal. Jilmar Tatto (secretário de Comunicação do PT) está falando demais”, disse à coluna um auxiliar de Juscelino.

Conforme noticiou o repórter Eduardo Barreto, há hoje uma fila de 2.665 pedidos para concessões educativas de TV no Brasil.

 

Republicanos, MDB e PT: Lideranças políticas revelam como vão sair as legendas na disputa eleitoral

Em entrevista ao programa Conexão Timbira, nesta quinta-feira (6), aos apresentadores Daniela Bandeira e Edvaldo Oliveira, os deputados federais da bancada maranhense Rubens Pereira Jr. (PT), Aluísio Mendes (Republicanos) e Cleber Verde (MDB) falaram sobre a discussão em torno da Reforma Tributária, em Brasília, e revelaram sobre como suas legendas vão sair nas eleições 2024.

Sobre a Reforma do Tributária, os três parlamentares federais reafirmaram que seus votos serão a favor da Reforma, e que este é o entendimento da maioria da bancada maranhense. A votação está prevista para iniciar às 18h, desta quinta.
Também foi tratado sobre as articulações que envolvem as eleições municipais no Maranhão. Todos os três sinalizaram os rumos de seus partidos: MDB, PT e Republicanos.

O deputado Rubens Pereira ressaltou a importante mudança no caminho do PT, nos últimos anos, e o incremento do grupo político para alcançar o maior número de prefeitos no Maranhão, neste próximo pleito. Atualmente, a legenda só tem a cidade de Coroatá, com o prefeito Luís da Amovelar Filho. Segundo Rubens Jr, a expectativa é multiplicar este número por cerca de 1000%. Sobre São Luís, o parlamentar petista disse que acredita que neste momento o partido não deve sair com candidato próprio, para disputar a vaga de prefeito, já que existe o projeto prioritário do PT de eleger governador, em 2026, Felipe Camarão (atual vice-governador). Para Rubens, uma eventual derrota na disputa de São Luís, pode prejudicar a eleição de Camarão na disputa estadual. (Veja na altura de 15 minutos no vídeo do Youtube).

O deputado Aluísio Mendes disse que o Republicanos tem conversado com vários atores que figuram como pré-candidatos à prefeitura, como o presidente da Câmara de São Luís, Paulo Victor, o deputado federal Duarte Júnior, e tem agendada uma reunião com o deputado estadual Neto Evangelista. Mas Aluísio fez questão de ressaltar que o a conversa mais frequente tem sido com o prefeito Eduardo Braide, sinalizando a ligação mais firme com o projeto de reeleição do atual prefeito. O deputado republicano também revelou que, independentemente de quem a legenda apoiar, o partido vai sair com o vice da chapa na disputa eleitoral. (Veja na altura de 31 minutos no vídeo do Youtube)

O deputado Cleber Verde confirmou o que já vinha sendo ventilado nos sites e blogs políticos, que o MDB vem construindo um diálogo com alguns pré-candidatos, mas que o partido já está na base do governo Braide, e que o parlamentar tem uma inclinação maior pelo prefeito Eduardo Braide. Recentemente, Cleber Verde assumiu o diretório municipal do MDB e tem tido diálogo para composição de força nesta corrida eleitoral. (Veja na altura de 42 minutos no vídeo do Youtube).

Brandão define os espaços do PT dentro do novo governo

O governador Carlos Brandão (PSB) iniciou a quarta-feira (1º) com mais anúncio do novo secretariado. Foram definidos os espaços do PT dentro do novo governo Brandão.

“Informo que o vice-governador Felipe Camarão assumirá a Seduc, Luiz Henrique comandará a Setres, Cricielle Muniz será diretora-geral do Iema e Lilia Raquel segue para nova missão, agora na Sedihpop, disse o governador nas redes sociais

PT-MA terá papel de destaque nos próximos quatro anos, aponta Francimar Melo

“Nossa preocupação é dar uma grande contribuição ao estado. Com a eleição do presidente Lula e com o campo de aliança que fizemos no estado e no país, o PT do Maranhão será, de fato, um dos protagonistas do processo político, tanto no estado, quanto no país”, afirmou o presidente estadual do PT, Francimar Melo, em entrevista a emissora local, nesta sexta-feira (18). Ele destacou a eleição de Luiz Inácio Lula da Silva à presidência da República, que trouxe ao PT o protagonismo. “Estamos nos organizando para as mudanças”, apontou Melo.

No Governo do Estado, no qual a legenda comanda quatro pastas e na próxima gestão terá um vice-governador, o neopetista Felipe Camarão (PT).

Na nova gestão do governador Carlos Brandão (PSB), Francimar Melo se posicionou destacando o papel de relevância, que em sua avaliação o PT terá – a legenda conta com o neopetista Felipe Camarão (PT) e mais quatro secretarias. “Sabemos que o governador Brandão tem considerado essa presença relevante. Queremos compor o governo e no momento certo, o governador convidará os partidos para essa discussão. Temos militantes que terão as condições reais para continuar contribuindo com o desenvolvimento do Maranhão”, destacou.

O PT está no comandas das secretarias estaduais dos Direitos Humanos e Participação Popular (Sedihpop), de Agricultura Pecuária e Pesca (Sagrima), de Desenvolvimento Social (Sedes) e a Agência Estadual de Mobilidade Urbana e Serviços Públicos (MOB).

No que refere à federação com o PCdoB e PV, que formou a Federação Brasil da Esperança, Melo citou o que considera vantagens para a sigla, mas, reconheceu que houve perdas.

“Foi mais um sacrifício no Congresso Nacional, pois o PT do Maranhão não é um partido isolado, mas nacional. Há momentos em que precisamos nos sacrificar por um projeto maior, que neste caso, foi a federação e a eleição do presidente Lula. Esse foi o nosso sacrifício. Estamos exercitando a democracia com muito diálogo e conversas para encontrar caminhos para fortalecimento do Estado. São três partidos que, nestes quatro anos, estarão construindo todos os projetos conjuntamente”, garantiu.

PT volta a crescer no Sul e Sudeste, aponta dados do TSE

Mapas eleitorais com base em dados do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), reunidos pelo G1 e divulgados neste sábado (15), referentes ao primeiro turno das disputas indicam que, este ano, a votação do PT passou de um modelo mais disperso de votos para um mais concentrado em municípios do Norte e Nordeste do Brasil. O diferencial é a retomada em grandes centros do Sudeste e Sul.

Com mais de 57 milhões de votos conquistados este ano, a votação de Luiz Inácio Lula da Silva voltou a expressar força nas região Sudeste e em cidades importantes do Sul e Centro-Oeste.

Nestas eleições, os percentuais de votação petista foram mais uniformemente distribuídos pelo país.

O maior percentual de votos para Lula foi registrado em Lindóia do Sul, em Santa Catarina, com 79,7%. Em Porto Alegre, o petista recebeu 46% dos votos. Já a sua pior votação foi em Pires Ferreira, no Ceará, onde obteve apenas 5,7%.

PT é quem mais aciona TSE sobre fake news; metade é contra Bolsonaro

O PT é responsável pela maior parte de ações no Tribunal Superior Eleitoral (TSE) para combater fake news nas eleições de 2022. Ao todo, o partido concentra 62 dos 86 pedidos registrados entre 8 de agosto até 9 de outubro. Informações da Justiça eleitoral indicam que 32 destas ações (52%) têm o presidente Jair Bolsonaro (PL), seus filhos ou aliados como autores.

O partido de Lula conseguiu vitórias em metade dos pedidos feitos à Justiça eleitoral, seja total (42%) ou parcial (8%). Em 21% dos casos, os pedidos foram negados e as demais não têm conclusão até o momento.

Entre os temas divulgados em campanha eleitoral ou internet estão que Lula persegue cristãos, que o petista acabará com o agronegócio caso eleito presidente e que Lula tem ligação com facções criminosas.

Jair Bolsonaro e o PL também acionaram a Justiça eleitoral contra fake news, mas em apenas sete casos – quase 10 vezes menos do que o PT. O atual presidente venceu cinco dos pedidos, com aproveitamento positivo de 71% e derrotas nos dois demais casos. Cinco das ações tinham PT, Lula ou aliados, como o deputado federal André Janones, como autores do que Bolsonaro e o PL classificaram como notícia falsa.

As ações de Bolsonaro e seu partido incluem a retirada do ar do site www.bolsonaro.com.br – o domínio não foi renovado e acabou com novo dono postando críticas ao presidente. As mensagem o chamavam de genocida e mostra ainda vídeo de entrevista que liga Bolsonaro ao canibalismo.

As demais 17 representações feitas ao TSE têm o PDT, MDB e PSOL como autores e todos contra Bolsonaro.

Ciro vai seguir decisão do PDT no apoio a Lula

O candidato à presidência derrotado, Ciro Gomes (PDT), vai acompanhar a posição do seu partido sobre o apoio, no segundo turno, ao ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT). A decisão foi anunciada pelo presidente nacional da sigla, Carlos Lupi, em coletiva nesta terça-feira (4), em Brasília. Ciro Gomes não estava presente no momento do anúncio, mas em vídeo, confirmou que segue seu partido.

Apesar do apoio, a participação de Ciro na campanha do petista ainda é dúvida. Em 2018, ele evitou se posicionar. Há a possibilidade que ele repita 2018, quando declarou voto em Fernando Haddad (PT) contra Bolsonaro, mas viajou para a Europa durante o segundo turno e não se engajou na disputa.

De acordo Carlos Lupi, quem for convidado pelo PT para subir no palanque de Lula, deverá ir. Ele evitou dizer como Ciro Gomes vai contribuir com a campanha do petista, mas afirmou que o ex-ministro não irá para a Europa, como fez em 2018. “O Ciro não viajará, ficará aqui no Brasil e já declarou esse apoio”, afirmou Lupi.

Apesar dos embates, Ciro considera necessário uma unificação do PDT, que saiu enfraquecido da eleição. A legenda perdeu duas cadeiras na Câmara Federal, saindo de 19 para 17 deputados, não conseguiu eleger nenhum de seus candidatos aos governos estaduais. E ele próprio ficou em quarto lugar na disputa ao Palácio do Planalto, com apenas 3% dos votos.

Em troca do apoio ao PT, o partido de Ciro anunciou que vai apresentar propostas para incorporar ao plano de governo de Lula.